DIVERSÃO

A programação gratuita do fim de semana

Selecionamos 48 atrações grátis para você se divertir sem gastar nem um tostão

- Atualizado em

Fernando Lemos
(Foto: Redação Veja rio)

ESPECIAL

O MERCADO. Em edição da feira dedicada ao Dia Mundial do Rock, comemorado na sexta (13), profissionais de moda, arte e design apresentam produtos inspirados pelo gênero musical. Nos dois dias do evento, cerca de noventa estandes vão oferecer acessórios, peças de vestuário, joias, objetos de decoração e obras de arte. Uma exposição de fotos e vinis completa o programa. Os primeiros visitantes ganharão ecobags para guardar suas compras e brindes. Casa de España. Rua Vitório da Costa, 254, Humaitá, ☎ 2536-3150. Sábado (14) e domingo (15), 14h às 21h. Grátis. www.estilistasindependentes.com.

ANIVERSÁRIO DO THEATRO MUNICIPAL. Já é tradição: no dia de seu aniversário ? ele está fazendo 103 anos, o Municipal abre as portas e oferece ao público variada programação gratuita a partir das 10h. Alunas da Escola de Dança Maria Olenewa se apresentam no palco principal às 11h. Às 15h, o Ballet do Theatro Municipal interpreta trechos de coreografias como Carmen, de Roland Petit, A Criação, de Uwe Scholz, e Nascimento Novo, de David Persons. Às 20h30 será encenada a ópera Rigoletto, de Verdi, com a Sinfônica e o Coro do teatro. Theatro Municipal (2?227 lugares). Praça Floriano, s/nº, Centro, ☎ 2332-9462, ? Cinelândia. Sábado (14), a partir das 10h. Grátis.

CRIANÇAS

PASSARINHO À TOA. A obra do poeta Manoel de Barros inspira o espetáculo do grupo Tapetes Contadores de Histórias. Cadu Cinelli, Edison Mego, Luciana Zule, Rosana Reátegui e Ilana Pogrebinschi integram o elenco, que é acompanhado por um músico tocando ao vivo. Espaço Cultural Eletrobras Furnas (192 lugares). Rua Real Grandeza, 219, Botafogo, ☎ 2528-5166 (segunda a sexta) e 9237-8631 (sábado, domingo e feriado). Sábado e domingo, 18h. Grátis. Senhas distribuídas uma hora antes do espetáculo (é necessário apresentar documento de identidade com foto). Até dia 29. Reestreia prometida para sábado (14).

Exposição

Estreias

DANIEL SENISE. Um dos nomes mais representativos da Geração 80, o artista apresenta seis trabalhos inéditos, sem título. Em todos, utilizou uma técnica intrigante: primeiro, aplicou cola, verniz e pigmentos no chão, para em seguida "decalcá-lo" em um tecido fino. Esse pano foi posteriormente recortado e colocado em uma estrutura de alumínio, resultando na obra exposta. Três das peças foram obtidas a partir dos tacos do chão da casa de um amigo. As restantes vieram do piso do ateliê do próprio artista. Preços sob consulta. Galeria Silvia Cintra + Box 4. Rua das Acácias, 104, Gávea, ☎ 2521-0426. → Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até 25 de agosto. A partir de sexta (13). www.silviacintra.com.br.

UM OLHAR SOBRE O CRUZEIRO: AS ORIGENS DO FOTOJORNALISMO NO BRASIL. Mais de 300 imagens integram a exposição sobre a revista O Cruzeiro, uma das mais importantes do Brasil no século XX, fundamental para o desenvolvimento do fotojornalismo no país. Registros de profissionais como Jean Manzon, José Medeiros, Peter Scheier, Henri Ballot, Pierre Verger, Marcel Gautherot, Luciano Carneiro, Salomão Scliar, Indalécio Wanderley, Ed Keffel, Roberto Maia, João Martins, Mário de Moraes, Eugênio Silva, Carlos Moskovics, Flávio Damm e Luiz Carlos Barreto estão presentes na mostra. Várias imagens também aparecem como foram publicadas na revista, inseridas na página de uma matéria. Curadoria de Helouise Costa. Instituto Moreira Salles. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, ☎ 3284-7400. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Estac. grátis. Visitas guiadas de terça a sexta, às 17h. Até 7 de outubro. A partir de quarta (11). www.ims.com.br.

MACANUDISMO. Apresentado aos editores do La Nación pela colega Maitena, criadora de Mulheres Alteradas, o desenhista Liniers passou, em 2002, a assinar no jornal argentino uma tirinha chamada Macanudo ? gíria antiga em seu país, equivalente a "supimpa" no Brasil. Novo talento na terra de Quino, o genial criador da personagem Mafalda, ele vem adquirindo projeção crescente desde então. Brasil, Espanha, Peru, Canadá, Itália e França foram alguns dos países onde seu traço já foi publicado. Essa trajetória de sucesso é retratada em Macanudismo, aberta ao público a partir de terça (10), na Caixa Cultural. Primeira grande retrospectiva da obra do ilustrador de 38 anos, a exposição já passou por Buenos Aires e Córdoba. No Rio, tem curadoria da produtora e fã Bebel Abreu. O acervo selecionado é amplo. Só de tiras, serão exibidas 500 de Macanudo e outras vinte de séries anteriores, como Bonjour e Posters. Estarão à vista, portanto, tipos como a adorável menina Enriqueta e seu gato Fellini, o espirituoso grupo de pinguins e Olga, a amiga imaginária do garoto Martincito. Capas de coletâneas, ilustrações para um livro infantil, arte para CDs de músicos argentinos, páginas de contos em quadrinhos, cadernos de desenhos e até óleos sobre tela, entre outros itens, integram a exposição. Os trabalhos, vale ressaltar, são originais ? a única exceção é um painel com reproduções do livro Cosas que Pasan Si Estás Vivo, de 2011. Aos admiradores mais entusiasmados, uma dica: além da mostra, a programação dedicada a Liniers tem oficinas e exibições de filmes. Confira a agenda em www.macanudismo.com.br. Macanudismo. Caixa Cultural ? Galeria 2. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 2544-4080, ? Carioca. → Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis. Até 9 de setembro. A partir de terça (10). www.caixacultural.com.br.

OLHAR TÁTIL ? NOVOS SENTIDOS DA FOTOGRAFIA CONTEMPORÂNEA. Doze artistas participam da mostra, que reúne 21 ampliações em grandes formatos, sem unidade temática aparente. Paisagens, retratos e instantâneos têm, em comum, a proposta de desafiar a percepção visual. Os autores são André Sheik, Bruno Veiga, Henrique Koifmann, Ivani Pedrosa, Leonardo Aversa, Marcos Bonisson, Nadam Guerra, Paulo Sérgio Nascimento, Renato Velasco, Ricardo Fasanelo, Teresa Salgado e Zeka Araújo. Um vídeo de Nadam Guerra, exibido em loop, completa o acervo. Curadoria de Mauro Trindade. Centro Cultural Justiça Federal ? Gabinete de Fotografia. Avenida Rio Branco, 241, Centro, ☎ 3261-2550, Cinelândia, ? Cinelândia. Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 28 de outubro. A partir de sexta (13).

PEDRO PAULO DOMINGUES. Batizada como ... ascensão e queda... (assim mesmo, com letras minúsculas e reticências), a mostra conta com dezoito trabalhos, entre objetos, fotografias, vídeos e instalações. A obra que dá nome à exposição é um obelisco de 2,50 metros de altura que, por meio de um equipamento eletromecânico, descreve repetidamente um movimento em que parece que vai cair, para logo em seguida ser recolocado de pé. R$ 2?250,00 a R$ 22?500,00. Galeria Coleção de Arte. Praia do Flamengo, 278, térreo, Flamengo, ☎ 2551-0641. Segunda a sábado, 10h às 18h. Grátis. Até dia 28. A partir de segunda (9). www.colecaodearte.com.br.

RAPHAEL DOMINGUES E EMYGDIO DE BARROS. Diagnosticados como esquizofrênicos, Domingues (1912-1979) e Barros (1895-1986) passaram uma temporada internados no antigo Centro Psiquiátrico Nacional, no Engenho de Dentro ? atualmente Instituto Municipal Nise da Silveira, batizado em homenagem à psiquiatra Nise da Silveira (1905-1999). Foi ela que, em 1946, criou no centro o ateliê de artes do Setor de Terapêutica Ocupacional e Reabilitação, que seria frequentado pelos dois. Entre desenhos e pinturas, 100 obras compõem a exposição Raphael e Emygdio: Dois Modernos no Engenho de Dentro, que tem curadoria de Rodrigo Naves e Heloisa Espada. A própria Nise também é homenageada com uma biografia fotográfica apresentada em mostra paralela. Instituto Moreira Salles. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, ☎ 3284-7400. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Estac. grátis. Visitas guiadas de terça a sexta, às 17h. Até 7 de outubro. A partir de domingo (15). www.ims.com.br.

REFERÊNCIA/EXPERIÊNCIA. Objetos, fotografias, vídeos e gravuras integram a coletiva, reunião de obras de Anton Steenbock, Claudia Hersz, Cristiano Lenhardt, Laila Terra, Mayana Redin e Nino Cais. Cada um deles apresenta um trabalho. A curadoria é de Ivair Reinaldim. Preços sob consulta. Jaime Portas Vilaseca Galeria. Avenida Ataulfo de Paiva, 1079, loja 109, subsolo, Leblon, ☎ 2274-5964. Segunda a sexta, 11h às 19h; sábado, 11h às 14h. Grátis. Até 30 de agosto. A partir de quinta (12). www.portasvilaseca.com.br.

Última Semana

✪✪✪ ANA VITÓRIA MUSSI. Na exposição Bang, que tem curadoria da Marisa Flórido, Ana Vitória projeta simultaneamente, nas paredes do espaço, imagens de filmes de guerra intercaladas com registros da violência urbana nas favelas cariocas. Entre os longas cujos frames são exibidos estão Pearl Harbor (2001), de Michael Bay, e Olympia (1938), de Leni Riefenstahl. Os flagrantes foram obtidos por fotografias de imagens exibidas na televisão. Entrecortadas, elas vão se sucedendo e provocam no visitante a sensação de estar em meio a um tiroteio. A exibição é embalada pela música Bang Bang (My Baby Shot Me Down), na voz da cantora americana Nancy Sinatra. Oi Futuro Flamengo. Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060, ? Largo do Machado. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Até domingo (15). www.oifuturo.org.br.

✪✪✪✪ BILL LUNDBERG. A respeitada revista francesa Cahiers du Cinéma definiu o artista americano como o "mago do cinema". Geralmente aplicado a grandes diretores, o epíteto realmente serve a Lundberg, pioneiro da técnica conhecida como filme-escultura. A retrospectiva batizada com seu nome reúne onze trabalhos. Em todos, ele se vale da imagem em movimento para criar um efeito instigante. Em Stolen Kisses, de 2008, as mãos de uma mulher, mexendo-se, são projetadas sobre as costas de uma camisa masculina, evocando a ideia de um casal se beijando. Do ano seguinte, Guest atrai olhares com a repetição de uma cena simples: uma porta, aberta de tempo em tempo para receber convidados. Ainda mais curiosa, Charades, de 1977, mostra quatro pessoas fazendo mímica. Filmados em super-8, seus movimentos incidem sobre um copo d?água. Oi Futuro Flamengo. Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060, ? Largo do Machado. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Até domingo (15). www.oifuturo.org.br.

ccbb2.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

✪✪ OPAVIVARÁ!. O coletivo carioca é o mais novo ocupante da Sala A Contemporânea, que o CCBB dedica à arte emergente brasileira. Única obra exposta, Self-Service Pajé é um display com sessenta ervas medicinais e um cardápio-bula que descreve as indicações e contraindicações de cada uma, além de garrafas térmicas, sachês e copos. O público é convidado a escolher as ervas de sua preferência e fazer um chá de verdade, ali mesmo. Redes e esteiras nas quais os visitantes podem descansar se espalham pelo ambiente de luz baixa. A proposta do coletivo, de tirar o espectador de sua posição habitual de observador e colocá-lo como participante do trabalho, revela-se uma faca de dois gumes: por um lado, aproxima as pessoas da obra, mas pode acabar diluindo sua apreciação estética e conceitual. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. → Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até domingo (15).

ORLANDO MOLLICA. O artista plástico, arquiteto e urbanista abre um ateliê com a exposição Rio Lado B ? Anotações Imprecisas. No acervo estão seis pinturas que evocam suas lembranças da Zona Norte da cidade, e quatro obras chamadas por ele de handmades: recortes de detalhes dos próprios quadros expostos, plotados sobre uma tela e posteriormente retocados a mão. R$?10?000,00 a R$ 18?000,00. Ateliê Orlando Mollica. Rua Santa Alexandrina, 445, Rio Comprido, ☎ 2527-5226. 15h às 19h. Grátis. Até sábado (14).

✪✪✪ RAFAEL CARNEIRO. Paisagens impressas em antigas enciclopédias, com aspecto entre a fotografia e a ilustração, inspiram as cinco pinturas de grandes formatos que o artista exibe em Limbo. Há ainda um desenho e um vídeo. R$ 3?000,00 a R$ 40?000,00. Galeria Artur Fidalgo. Rua Siqueira Campos, 143, 2º piso, Copacabana, ☎ 2549-6278, ? Siqueira Campos. Segunda a sexta, 11h às 19h; sábado, 11h às 18h. Grátis. Até sábado (14). www.arturfidalgo.com.br.

✪✪✪ REGINA VATER. Conhecida pelos trabalhos que fundem arte e tecnologia, a artista carioca é mulher do americano Bill Lundberg, autor de uma mostra no mesmo endereço. Em Quatro Ecologias, apresenta obras em web arte, videoarte, fotografia e escultura. Em uma delas, a web instalação Desejo, uma câmera filma uma maçã que vai apodrecendo até o fim da temporada. As imagens são transmitidas para um blog, ao qual os visitantes podem enviar poemas que, por sua vez, são exibidos em uma tela na mostra. Merece especial atenção a poética videoinstalação Conselhos para uma Lagarta (1976), composta de duas projeções de filmes em telas contrapostas ? em uma, Regina aparece em vários autorretratos; na outra, há frases extraídas do livro Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll. Oi Futuro Flamengo. Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060, ? Largo do Machado. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Até domingo (15). www.oifuturo.org.br.

RODRIGO TORRES. Questões ligadas à memória coletiva permeiam a exposição Sensor, na qual o artista apresenta nove pinturas sobre suportes variados, como tela, fotografia e papel, e uma instalação. Nesta última, batizada com o nome da mostra, Torres se vale de uma foto fragmentada. R$ 2?000,00 a R$ 20?000,00. A Gentil Carioca. Rua Gonçalves Ledo, 17, Centro, ☎ 2222-1651. Terça a sexta, 12h às 19h; sábado, 12h às 17h. Grátis. Até sábado (14). www.agentilcarioca.com.br.

Em cartaz

A. O símbolo matemático que significa "para qualquer que seja" batiza a exposição com obras de Abra, Braga Tepi, Denise Araripe, Gaia, Jose Tannuri, Nelson Felix e Tunga. Galeria H. Rocha. Avenida Atlântica, 4240 (Shopping Cassino Atlântico), loja 333, Copacabana, ☎ 2227-1179. Terça a sábado, 10h às 19h. Grátis. Até dia 23.

✪✪✪ AFONSO TOSTES. Em Elementos, o artista exibe catorze esculturas feitas de madeira descartada. Pela primeira vez ele as expõe na parede. A intervenção dele sobre o material é mínima, limitando-se ao corte que lhe ressalta o relevo, as curvas e a tridimensionalidade. Causa um interessante efeito o contraste entre o acabamento impecável na área do corte e os sinais da passagem do tempo no restante da madeira ? há, por exemplo, buracos de prego, farpas e superfícies pintadas. R$ 10?000,00 a R$ 20?000,00. Luciana Caravello Arte Contemporânea. Rua Barão de Jaguaribe, 387, Ipanema, ☎ 2523-4696. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 14h. Grátis. Até dia 21. www.lucianacaravello.com.br.

ALVARO SEIXAS. Dez pinturas em dimensões variadas compõem o acervo exibido em Keep Dripping. Apesar do nome da exposição, as obras não remetem apenas à técnica do gotejamento de tinta (dripping) celebrizada por artistas como Jackson Pollock (1912-1956), mas também a estilos como suprematismo e construtivismo. R$ 1?000,00 a R$ 12?000,00. Mercedes Viegas Arte Contemporânea. Rua João Borges, 86, Gávea, ☎ 2294-4305. Segunda a sexta, 12h às 20h; sábado, 16h às 20h. Grátis. Até dia 28. www.mercedesviegas.com.br.

✪✪✪ AMAZÔNIA, CICLOS DE MODERNIDADE. Criação de artesãos de Parintins, uma grande árvore com animais da floresta, além de pés de açaí e guaraná, dá as boas-vindas aos visitantes na rotunda. A instalação é uma das atrações da alentada mostra, que tem curadoria de Paulo Herkenhoff e reúne cerca de 300 peças, entre obras de arte e objetos variados. Técnicas e suportes usados são os mais diversos: há fotografias, pinturas, aquarelas, desenhos, esculturas e vídeos. Entre os 76 artistas reunidos há nomes de nacionalidades e épocas distintas. Do italiano Joseph Léon Righini (c.1820-1884) foram escolhidos os óleos Vistas do Brasil, Residência às Margens do Rio Anil, de 1862, e Belém do Pará, de 1868. O polonês Frans Krajcberg mostra uma escultura sem título. Apaixonado pela cultura brasileira, o francês Pierre Verger (1902-1996) é o autor de uma série de fotografias de Belém. Representantes da arte contemporânea nacional, como Adriana Varejão e Cildo Meireles, também estão presentes. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até dia 22.

A ARQUITETURA PORTUGUESA PELO TRAÇO DE LUCIO COSTA. Um dos grandes nomes da arquitetura e do urbanismo brasileiros, Lucio Costa (1902-1998) fez, em 1952, uma viagem a Portugal, durante a qual preencheu cinco blocos de papel com desenhos e anotações sobre o país e sua paisagem urbana. Considerados perdidos por cinquenta anos, esses registros são exibidos pela primeira vez na exposição que tem curadoria de Maria Elisa Costa e José Pessôa. Caixa Cultural ? Galeria 1. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 2544-4080, ? Carioca. → Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis. Até 5 de agosto. www.caixacultural.com.br.

✪✪✪ ARTISTAS BRASILEIROS NA ITÁLIA. Fundada por dom João VI em 1826, a Academia Imperial de Belas Artes travou, desde o seu surgimento, um profícuo diálogo com a produção artística da Itália. Entre 1845 e 1890, pelo menos quinze alunos e professores vinculados à escola viajaram àquele país para se aperfeiçoar tecnicamente. Herdeiro do acervo da instituição, o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA) joga luz sobre essa parceria. Com curadoria de Monica Xexéo, diretora da instituição, Daniel Barreto, Pedro Xexéo e Laura Abreu, a mostra reúne 95 obras, entre pinturas, esculturas, desenhos e gravuras, de 38 criadores que incorporaram elementos da cultura italiana a seus trabalhos. Sobressaem no acervo alguns dos artistas da Academia Imperial que estiveram na Itália na segunda metade do século XIX, como os irmãos Félix (1866-1905), Rodolfo (1852-1931) e Henrique Bernardelli (1857-1936) ? é deste último o belo óleo Maternidade ?, além de Victor Meirelles (1832-1903). Entre as criações desse grupo, no entanto, a atração mais importante é o imponente óleo Turbínio, de Antônio Parreiras (1860-1937). Alvo de uma meticulosa restauração, feita por técnicos do MNBA, a tela volta a ser exibida após mais de cinquenta anos. Museu Nacional de Belas Artes. Avenida Rio Branco, 199, Centro, ☎ 2219-8474, ? Cinelândia. → Terça a sexta, 10h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 17h. Grátis. Até 5 de agosto. www.mnba.gov.br.

✪✪✪ DO ART NOUVEAU AO ART DÉCO. Mulher do marchand Isaac Krasilchik, sócio da galeria de arte paulistana A Ponte, Bertha Krasilchik apresenta 238 peças de sua coleção, acumulada desde os anos 50. A maior parte do acervo é composta de joias ? são mais de 100. Além disso, há uma série de objetos, como cigarreiras e estojos de maquiagem, todos confeccionados com materiais preciosos. O que poderia ser uma mostra de interesse apenas de um público específico se revela grata surpresa. Os objetos expostos oferecem uma aula sobre os dois estilos. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até 30 de setembro.

✪✪✪ ESPELHO REFLETIDO ? O SUR­REA­LISMO E A ARTE CONTEMPORÂNEA BRASILEIRA. Publicado em 1924, o Manifesto Surrealista influenciou amplamente a vanguarda artística europeia no período entreguerras, mas não se restringiu àquele momento. Mesmo artistas brasileiros contemporâneos recorrem a elementos do movimento lançado pelo poeta francês André Breton (1896-1966), como mostra a alentada coletiva, que ocupa dois andares com cerca de 140 obras de 56 criadores. A variedade de técnicas é desnorteante, o que faz bem à visita: abrange desenhos, pinturas, instalações, fotografias, objetos, vídeos. Em meio à atraente estranheza dos trabalhos, destacam-se aqueles impregnados de humor, como a série de figuras distorcidas nas ilustrações de Roberto Magalhães e a gigantesca mosca de pelúcia morta no chão, de Camille Kachani. Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica. Rua Luís de Camões, 68, Centro, ☎ 2232-4213. Terça a sexta, 11h às 18h; sábado, domingo e feriados, 11h às 17h. Grátis. Até dia 29.

✪✪✪ FERNANDA CHIECO. Na mostra Trono de Pescador, a artista paulistana apresenta dez belos desenhos feitos com lápis de cor sobre hanji, um tipo de papel coreano. Produzidos desde 2011, os trabalhos foram todos iniciados durante uma residência artística que Fernanda realizou na cidade de Incheon, na Coreia do Sul, e refletem contradições que ela percebeu no local. Paço Imperial. Praça XV de Novembro, 48, Centro, ☎ 2215-2093. Terça a domingo, 12h às 18h. Grátis. Até 5 de agosto. www.pacoimperial.com.br.

✪✪✪ FRANKLIN CASSARO. Leia em Veja Rio Recomenda. Galeria Laura Alvim. Avenida Vieira Souto, 176, Ipanema, ☎ 2332-2017. Terça a domingo, 13h às 21h. Grátis. Até 12 de agosto.

HERTON ROITMAN. Gaúcho radicado em São Paulo, o artista exibe cerca de trinta trabalhos na mostra Respiração, composta em sua maioria de assemblages e pinturas sobre tela e papel que evocam abstrações geométricas. Sua mais recente paixão, a fotografia, também está presente em uma série de registros. R$ 1?900,00 a R$ 10?000,00. Galeria Almacén. Avenida Ayrton Senna, 2150, 1º piso, bloco G, loja F (CasaShopping), Barra, ☎ 3325-3322/8622. Segunda, 12h às 22h; terça a sábado, 10h às 22h; domingo, 15h às 21h. Grátis. Até dia 22. www.almacen.com.br.

IVANI PEDROSA. Quinze trabalhos, entre instalações, objetos, desenhos e esculturas, fazem parte de (In) Visibilidade, organizada com curadoria de Marisa Flórido. As obras permitem a interação do público ? em Dona do Tempo (2011), as seis fotos do pôr do sol em Ipanema, dentro de uma caixa de acrílico, podem ser movidas pelo visitante. R$ 320,00 a R$ 24?300,00. Galeria de Arte Maria de Lourdes Mendes de Almeida. Rua Joana Angélica, 63, Ipanema (Universidade Candido Mendes), ☎ 2523-4141, ramal 206. Segunda a sexta, 14h às 20h; sábado, 16h às 20h. Grátis. Até dia 27.

✪✪✪ JOSÉ PAULO. Em Para Nunca Mais Me Esquecer, o artista pernambucano evoca questões ligadas a memória, rotulação e permanência. São quinze obras, entre objetos, esculturas, acrílicas e desenhos, além de um grande painel de cerâmica. A peça que dá nome à exposição, feita em 2010, reúne 25 enormes esculturas de ferro e madeira que lembram marcadores de gado. A curadoria é de Marcelo Campos. Paço Imperial. Praça XV de Novembro, 48, Centro, ☎ 2215-2093. Terça a domingo, 12h às 18h. Grátis. Até 5 de agosto. www.pacoimperial.com.br.

✪✪✪ LEILA DANZIGER. Em Todos os Nomes da Melancolia, a artista carioca apresenta trabalhos inéditos que versam sobre o estado de espírito do título. São duas séries fotográficas, um vídeo, dois objetos de parede e uma instalação de mesa. Esta última é a mais curiosa: traz duas encadernações de jornais de verdade, em que as páginas sofreram intervenções da artista. R$ 2?000,00 a R$ 10?000,00. CosmoCopa Arte Contemporânea. Rua Siqueira Campos, 143, sala 32, ☎ 2236-4670, ? Siqueira Campos. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 16h. Grátis. Até dia 16. www.cosmocopa.com.

✪✪✪ MANA BERNARDES. Na exposição Desembrulho Poético, a artista, designer e poeta exibe acervo variado. Há delicadas joias feitas com garrafas PET. Na varanda da galeria estão as Joias Flutuantes, peças que parecem flores, feitas com bolas de vidro cheias de líquido colorido e um material usado na fabricação de lantejoulas. Esta mesma matéria-prima é usada nas três luminárias expostas em uma sala. Domina a mostra, no entanto, a série de quinze trabalhos que lhe dá nome: são versos de autoria da própria Mana, escritos ou bordados em um tecido finíssimo. Preços sob consulta. Luciana Caravello Arte Contemporânea. Rua Barão de Jaguaribe, 387, Ipanema, ☎ 2523-4696. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 14h. Grátis. Até 11 de agosto. www.lucianacaravello.com.br.

MARIO GRUBER. Morto em 2011 aos 84 anos, o pintor, gravador, escultor e muralista tem um panorama de sua obra reunido em O Mundo Fantástico de Mario Gruber. São 35 óleos e 65 gravuras, além de uma seleção de matrizes. Curadoria de Denise Mattar. Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. → Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 12 de agosto. www.correios.com.br.

MEU MEIO. Fechado desde 2010, o Museu do Meio Ambiente reabriu com o térreo inteiramente dedicado a atrações fixas. Entre elas, a sala com o programa educativo para crianças e computadores nos quais é possível acessar o banco de dados do Jardim Botânico, onde fica o museu. O 2º andar abriga mostras temporárias, como Meu Meio. Com curadoria de Marcello Dantas, são apresentadas instalações interativas que têm como tema a relação entre o homem e a natureza. Uma delas é a Sala Efeito Borboleta, um experimento com raios laser e projeções na parede, que mostra como nossos atos interferem em problemas como a desertificação. Quatro artistas comparecem com vídeos: Carlos Nader, Angelo Venosa e a dupla formada por Leandro Lima e Gisela Motta. Museu do Meio Ambiente. Rua Jardim Botânico, 1008 (Jardim Botânico do Rio de Janeiro), Jardim Botânico, ☎ 3874-1808. Terça a domingo, 10h às 17h. Grátis. Até 12 de agosto.

MEU PADRINHO PADRE CÍCERO. Com curadoria de Emanoel Araújo, diretor do Museu Afro Brasil, em São Paulo, a exposição tem como personagem o líder religioso do Ceará padre Cícero Romão Batista (1844-1934). Seis artistas daquele estado têm gravuras, esculturas e pinturas exibidas. Pertences do próprio homenageado também são expostos. Espaço Memória do Centro Municipal Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas. Campo de São Cristóvão, s/nº (Pavilhão de São Cristóvão), São Cristóvão. Terça a quinta, 10h às 18h; sexta a domingo, 10h às 22h. Grátis. Até 19 de agosto.

MURAL ITÁLIA-BRASIL. Artistas dos dois países trabalharam juntos no projeto, desenvolvendo, com técnicas de street art, murais em locais públicos de Brasília, Salvador e do Rio ? aqui, o brasileiro Ozi e a dupla italiana Orticanoodles fizeram trabalhos na estação de metrô da Cinelândia e na favela do Vidigal. Na exposição, que tem curadoria de Marco Antonio Teobaldo, são exibidos fotografias e vídeos com o making of do processo. Há ainda uma ferramenta interativa que permite ao visitante fazer seu próprio grafite nas paredes do espaço. Caixa Cultural ? Espaço Livraria. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 2544-4080, ? Carioca. → Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis. Até 12 de agosto. www.caixacultural.com.br.

✪✪✪ PANOS E TAPAS, JOIAS E ADORNOS D?ÁFRICA. Peças vindas do Museu Afro Brasil, em São Paulo, compõem o acervo exibido. Emanoel Araújo, diretor daquela instituição, é o curador da mostra, que reúne aproximadamente 250 objetos, entre tecidos, objetos e enfeites, feitos por povos da África. Há colares de diversos materiais, de miçangas a ossos, além de tornozeleiras, brincos, anéis, caixas, baús, máscaras e bastões. A variedade do acervo, aliada à sinalização explicativa sobre as tribos que utilizam os adornos, torna a visita um programa interessante. Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica. Rua Luís de Camões, 68, Centro, ☎ 2232-4213 e 2242-1012. Terça a sexta, 11h às 18h; sábado, domingo e feriados, 11h às 17h. Grátis. Até dia 29.

PATRICIA CARMO. A partir de um símbolo nacional, o pau-brasil, a artista propõe uma reflexão sobre a memória, a identidade e o caráter do país em Branco Sujo, sua primeira exposição em uma galeria comercial brasileira. O acervo é composto de um molde em gesso de uma árvore desse tipo, plantada no Jardim Botânico carioca, caixas de madeira com pequenas esculturas, peças de cerâmica, desenhos e fotografias. R$ 5?000,00 a R$ 12?000,00. Mercedes Viegas Arte Contemporânea. Rua João Borges, 86, Gávea, ☎ 2294-4305. Segunda a sexta, 12h às 20h; sábado, 16h às 20h. Grátis. Até dia 28. www.mercedesviegas.com.br.

POR UM FIO. Alunos do curso Em Torno da Pintura, ministrado por Malu Fatorelli na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, se reúnem nesta coletiva em que são apresentados trabalhos resultantes de diversas técnicas. Os artistas são Ana Leal, Ana Fonseca, Jô, José Sena, Mariana Roquette-Pinto, Sidney Piccoli, Sofia de Giani, Alice Strauch, Pedro Carneiro, Andrea Cassinelli, Teresa Stengel e Maria do Carmo di Renna Morais. Escola de Artes Visuais do Parque Lage ? Galerias 1 e 2. Rua Jardim Botânico, 414, Jardim Botânico, ☎ 3257-1800. Segunda a quinta, 9h às 22h; sexta a domingo e feriados, 9h às 17h. Grátis. Até 12 de agosto. www.eavparquelage.rj.gov.br.

✪✪ RABIN AJAW ? A FILHA DO REI. O rito de sagração de uma jovem como Filha do Rei (ou Rabin Ajaw), um dos mais importantes da cultura indígena da Guatemala, dá nome à exposição. Com curadoria do artista plástico Luiz Dolino, a mostra propõe uma viagem pelos costumes das populações de origem maia daquele país. O acervo reunido, composto basicamente de peças de vestuário e tecidos, decepciona um tanto quem chega em busca de um painel mais amplo. São pouco mais de sessenta itens do gênero, além de uma seleção de fotografias de mulheres guatemaltecas e de objetos utilitários. Em uma videoinstalação é possível entrar em contato com aspectos da vida daquele povo, como seus rituais e sua culinária. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até dia 22.

✪✪✪ REGINA SILVEIRA. 1001 Dias (Escotilha) é o nome da videoinstalação da artista, que exibe uma sucessão contínua de dias e noites, em uma imagem que ora se contrai, ora se expande, como se passasse pelo obturador de uma câmera fotográfica. Sons da natureza fazem parte da ambientação. Completam o acervo duas serigrafias, três fotogravuras e um múltiplo. R$ 6?000,00 a R$ 40?000,00. Largo das Artes. Rua Luís de Camões, 2, Largo de São Francisco, Centro, ☎ 2224-2985, ? Uruguaiana. Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, 12h às 17h. Grátis. Até dia 21. www.largodasartes.com.br.

✪✪✪ RENÉ MACHADO. Em sua primeira individual, Captura, o artista investe no tema do meio ambiente em obras permeadas de humor. Nas catorze telas apresentadas, personagens de quadrinhos e desenhos animados são vistos em situações de perigo ou violência ? o tigre Haroldo, criado pelo cartunista Bill Waterson, por exemplo, aparece sendo alvejado. Há ainda uma sala com uma instalação cheia de animais de borracha e pelúcia enjaulados, presos em armadilhas ou estraçalhados. Um vídeo interativo completa o acervo. Curadoria de Marco Antonio Teobaldo. Centro Cultural Justiça Federal. Avenida Rio Branco, 241, Centro, ☎ 3261-2550, ? Cinelândia. Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até dia 22.

RIO CIDADE-PAISAGEM. O acervo iconográfico da Biblioteca Nacional serve de fonte para esta exposição sobre o Rio de Janeiro. Dividida em módulos que contemplam diversos pontos da cidade, como a Baía de Guanabara, a Floresta da Tijuca e Copacabana, a mostra reúne 120 itens, entre mapas, gravuras, desenhos, manuscritos, revistas, jornais e partituras. Biblioteca Nacional ? Espaço Cultural Eliseu Visconti. Rua México, s/nº, Centro, ☎ 3095-3879, ? Cinelândia. Terça a sexta, 10h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 17h. Grátis. Até 5 de agosto.

✪✪✪ SILVANA MELLO. Gaúcha radicada em São Paulo, a artista faz sua primeira individual no Rio. Batizada como Meus Raros Amigos, a mostra ocupa duas salas: na galeria estão vinte obras que usam principalmente o bordado como técnica, mas também incluem pinturas, instalações e um painel de azulejos. Chamam a atenção os quatro aparelhos sonoros (entre rádios antigos e vitrolas) cheios de invervenções ? em um deles, miniaturas de bonecos, árvores e carros sugerem uma inusitada cena de beira de estrada. Em uma referência ao nome da exposição, no anexo são exibidos trabalhos de três amigos de Silvana: os artistas Carlinhos Dias, Carla Barth e Camila Macedo. R$ 1?000,00 a R$ 10?000,00. Galeria Laura Marsiaj. Rua Teixeira de Melo, 31-C, Ipanema, ☎ 2513-2074. Terça a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 16h. Grátis. Até dia 28. www.lauramarsiaj.com.br.

✪✪✪ TEIMOSIA DA IMAGINAÇÃO. Dez artistas populares de diversas partes do Brasil integram a mostra. São eles o alagoano Antonio de Dedé, os baianos Nilson Pimenta e Aurelino, o cearense Francisco Graciano, os mineiros Getúlio Damado, Izabel Mendes e Jadir João Egídio, os pernambucanos José Bezerra e Manoel Galdino e o sergipano Véio. Boa parte dos 77 trabalhos é de esculturas de madeira, mas a variedade de estilos não deixa a exposição cair na monotonia. Além disso, há pinturas, cerâmicas e obras em técnica mista. Curadoria de Germana Monte-Mór. Paço Imperial. Praça XV de Novembro, 48, Centro, ☎ 2215-2093. Terça a domingo, 12h às 18h. Grátis. Até 5 de agosto. www.pacoimperial.com.br.

✪✪✪ WALTERCIO CALDAS. Criado em 1974, A Origem do Futuro, o primeiro múltiplo do artista, é composto de uma embalagem de papel com um disco de vinil sobre o qual repousam duas miniaturas de canhão. Esta e outras trinta peças, todas desenvolvidas para reprodução em série, compõem o acervo de Múltiplos. Dois trabalhos são inéditos. Embora não seja exatamente uma retrospectiva, a mostra abrange várias épocas e revela a versatilidade do artista: há gravuras, colagens, águas-fortes, objetos e até trabalhos em alumínio cortado com laser. R$ 1?200,00 a R$ 40?000,00. Mul.ti.plo Espaço Arte. Rua Dias Ferreira, 417, sala 206, Leblon, ☎ 2259-1952. Segunda a sexta, 10h às 18h30; sábado, 10h às 14h. Grátis. Até dia 21. www.multiploespacoarte.com.br.

ZALINDA CARTAXO. Em Extensus IV, a artista faz uma intervenção no espaço interno da galeria, usando luz e pigmentos azuis. Do lado de fora, uma pintura da mesma cor completa o trabalho. A única obra à venda, um múltiplo, está avaliada em R$ 750,00. Galeria Amarelonegro Arte Contemporânea. Rua Visconde de Pirajá, 111, lojas 1 e 2, Ipanema, ☎ 2549-3950. Segunda a sexta, 14h às 19h; sábado, 11h às 16h. Grátis. Até dia 20. www.amarelonegro.com.

FOTOGRAFIA

✪✪✪ COLEÇÃO ITAÚ DE FOTOGRAFIA BRASILEIRA. Montada no início do ano na Maison Européenne de la Photographie, em Paris, a mostra apresenta 115 trabalhos de 56 artistas. No alentado painel, que abrange dos anos 40 aos dias de hoje, a opção do curador Eder Chiodetto foi pelas imagens de caráter mais experimental. Em Homenagem a Mondrian (1960), do paulistano German Lorca, uma janela evoca as linhas da obra do pintor holandês. Há ainda uma sequência de belíssimas imagens de Claudia Andujar, da série Sonhos Yanomami, que remete aos rituais dos xamãs por meio da sobreposição de fotografias de índios a registros de elementos da natureza. Nomes como Geraldo de Barros, José Oiticica Filho, Thomaz Farkas, José Yalenti, Rosângela Rennó, Miguel Rio Branco, Vik Muniz e Rodrigo Braga integram a seleção. Paço Imperial. Praça XV de Novembro, 48, Centro, ☎ 2215-2093. Terça a domingo, 12h às 18h. Grátis. Até 5 de agosto. www.pacoimperial.com.br.

[ECO]: O MEIO AMBIENTE VISTO POR COLETIVOS FOTOGRÁFICOS. Entre os grupos participantes da mostra, a brasileira Cia de Foto exibe Chuva, série que retrata o impacto de 42 dias de temporal em São Paulo. Também foram convocados representantes da Espanha, Costa Rica, México, Venezuela, Peru e Argentina. Curadoria do espanhol Claudi Carreiras. Instituto Cervantes ? Sala de Exposições. Rua Visconde de Ouro Preto, 62, Botafogo, ☎ 3554-5910, ? Botafogo. → Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 10h às 14h. Grátis. Até dia 21. www.riodejaneiro.cervantes.es.

HARCOURT, ESCULTOR DE LUZ. Fundado na França em 1934, o lendário Studio Harcourt se notabilizou por produzir retratos de diversas celebridades da cultura, das ciências, do esporte e da vida pública. Na mostra foram reunidas 99 fotografias. Estão presentes figuras como o cantor Charles Aznavour, a atriz Brigitte Bardot, o ator John Malkovich, o tenista Rafael Nadal e a cantora Edith Piaf, além de brasileiros, a exemplo do escritor Paulo Coelho e da atriz Glória Pires. Centro Cultural Justiça Federal. Avenida Rio Branco, 241, Centro, ☎ 3261-2550, ? Cinelândia. Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 12 de agosto.

HISTÓRIAS QUE SÓ EXISTEM QUANDO LEMBRADAS. O longa homônimo de Julia Murat, lançado em 2011, inspira a mostra. No filme, a personagem Rita (Lisa E. Fávaro) é uma jovem fotógrafa que produz um ensaio em uma cidade no Vale do Paraíba, estado do Rio. Na vida real, porém, os registros são do carioca Quito. Cerca de trinta deles são exibidos. Escola de Artes Visuais do Parque Lage ? Galeria EAV. Rua Jardim Botânico, 414, Jardim Botânico, ☎ 3257-1800. Segunda a quinta, 9h às 22h; sexta a domingo e feriados, 9h às 17h. Grátis. Até 12 de agosto. www.eavparquelage.rj.gov.br.

OTTO WEISSER. Manipuladas digitalmente, figuras de mulheres ganham cores fortes e contrastantes no trabalho que o fotógrafo suíço exibe em Amazonças. As 35 imagens evocam a Floresta Amazônica e animais selvagens. R$ 4?200,00 a R$ 9?500,00. Galeria M. Leite Barbosa Arte Latina. Rua do Mercado, 35, Centro, ☎ 2221-3366. Segunda a sexta, 11h30 às 18h30; sábado, 11h às 15h. Grátis. Até dia 21. www.mleitebarbosa.com.

Fonte: VEJA RIO