DIVERSÃO

A programação gratuita do fim de semana

Selecionamos 47 atrações com entrada grátis para você aproveitar o sábado (18) e o domingo (19) sem gastar nem um tostão

- Atualizado em

Pedro Kirilos/Riotur
(Foto: Redação Veja rio)

CRIANÇAS

CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL. Próximos convidados do tradicional projeto Sessão Criança, de atrações para os pequenos nos fins de semana, no CCBB, os palhaços Tomaz Gama e Carolina Consani vão fazer graça com as relações entre nós e nossos colonizadores lusitanos ? em 2012, o intercâmbio entre os dois países será incentivado pelas programações do Ano de Portugal no Brasil, aqui, e do Ano do Brasil em Portugal, por lá. A apresentação da dupla acontece após a exibição da sessão Festival Mickey Mouse ? Parte 3, uma seleção de filmes de animação produzidos pelos Estúdios Disney entre 1935 e 1938 (50min de sessão de cinema e 30min de apresentação). Centro Cultural Banco do Brasil ? Sala de cinema CCBB (102 lugares). Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Sábado (18) e domingo (19), 14h. Grátis. Distribuição de senhas uma hora antes.

CIRCUITINHO DAS ARTES. Na 16ª edição, o Circuito das Artes do Jardim Botânico abre as portas de ateliês de arte, objetos de design e moda, além de oferecer promoções nos restaurantes do bairro e apresentações musicais. Pelo quarto ano consecutivo, parte da programação será dedicada aos pequenos. No sábado (18) e no domingo (19), e depois nos dias 25 e 26, quem passear pela região vai encontrar variadas opções de diversão para a garotada reunidas no Circuitinho das Artes. As atrações são gratuitas.Em seus respectivos ateliês, Cris Cabus vai ensinar sobre escultura com barro e Cattia Capistrano apresentará aos participantes noções de estamparia em materiais reciclados. Na escola Jardim Botânico Educação Infantil, a proposta é mais cabeça, mas não menos divertida: os visitantes terão seus sentidos estimulados pelo contato com alimentos (paladar) e tapetes de diferentes texturas (tato). Perto dali, o espaço do Centro Educacional da Lagoa (CEL) vai abrigar as conhecidas oficinas de desenho de Daniel Azulay. Horta caseira, teatro, reciclagem, criação de "dedoches" (fantoches para os dedos) e percussão serão alguns dos temas trabalhados no espaço cultural Lunático Café. A farra dos próximos dois fins de semana inclui, entre outras pedidas, acrobacia aérea e apresentação do Grupo Costurando Histórias ? ambas também no Lunático, no dia 26. Cada atividade é direcionada a uma faixa etária específica: confira a programação completa em www.vejario.com.br. Circuitinho das Artes do Jardim Botânico. Sábado (18), domingo (19) e dias 25 e 26. Distribuição de senhas meia hora antes do início de cada atividade. Grátis.

TEATRO DE ANIMAÇÃO ? OS BONECOS PEDEM PASSAGEM. O grupo Bonecos em Ação é responsável pelo projeto de ocupação do Teatro Duse, em Santa Teresa, com atividades para todas as faixas etárias. Para as crianças, no sábado (18) e no domingo (19), às 11h, será apresentado o espetáculo A Árvore que Contava Sonho, sobre as descobertas de uma flor, nascida em uma árvore, e um menino. Os personagens são brindados com a sabedoria do tronco, através de metáforas e de três histórias da tradição oral. A fábula é narrada pela atriz e contadora de histórias Ilana Pogrebinschi em uma apresentação intimista que se vale de fantoches, máscaras e adereços. Completam o espetáculo canções tradicionais brasileiras e da tradição judaica acompanhadas ao violão e flauta transversa. Teatro Duse (100 lugares). Rua Hermenegildo de Barros, 161, Santa Teresa, ☎ 3233-1306. Sábado (18) e domingo (19), 11h. Grátis.

TEATRO INFANTIL

ANTES QUE O GALO CANTE. Com dezesseis anos de atuação, a companhia Os Ciclomáticos ocupa o centro cultural em Santa Teresa nos domingos de agosto. A trupe encena a fábula sobre o amor impossível entre uma gata (Nivea Nascimento) e um sabiá (Getulio Nascimento). Escrito por Ribamar Ribeiro e Fabíola Rodrigues, o texto é livremente inspirado em Romeu e Julieta, de Shakespeare. Trilha sonora de Caíque Botkay e Ricardo Silva. Direção de Carla Meirelles (60min). Rec. a partir de 6 anos. Parque das Ruínas (75 lugares). Rua Murtinho Nobre, 169, Santa Teresa, ☎ 2224-3922. Domingo, 11h. Grátis. Até dia 26.

ESPECIAL

16º CIRCUITO DAS ARTES DO JARDIM BOTÂNICO. Pelos próximos dois fins de semana, oitenta artistas e artesãos do bairro abrem as portas de mais de quarenta ateliês para os visitantes. A inauguração oficial do evento, na sexta (17), às 19h, será marcada por palestra do artista plástico Luiz Aquila no Parque Lage. Programação completa em www.circuitodasartes.com. Jardim Botânico. Sábado (18) e domingo (19), 12h às 19h. Grátis. As senhas para a palestra do artista plástico Luiz Áquila serão distribuídas às 18h. Até dia 26.

MÚSICA NO MUSEU. Pablo Arruda, contrabaixista empresta o nome e comanda o trio completado por Rafael Brito (sax tenor, barítono e soprano) e Jean Chamaux (violão). Eles interpretam repertório próprio, além de obras de compositores como o russo Serge Koussevitzky e o indiano Ravi Shankar. Clube Hebraica-Rio ? Sala Israel (100 lugares). Rua das Laranjeiras, 346, 4º andar, Laranjeiras, ☎ 2557-4455. Sábado (18), 18h. Grátis. Distribuição de senhas uma hora antes.

SHOWS

FESTVALDA. Promovido pela marca de pastilhas desde 1992, o festival ficou conhecido por dar espaço para bandas novatas de várias partes do Brasil. Depois de uma pausa de treze anos nas atividades, o evento está de volta em três dias de programação gratuita. Na quinta (16) e na sexta (17), 24 bandas se apresentam. A vencedora será anunciada no sábado (18). Os shows de abertura ficam a cargo do projeto 11:11, de Tchello, no primeiro dia, e de Thaísa Mainnon, no segundo dia. No encerramento a atração é Tico Santa Cruz, do Detonautas. Todo o concurso será transmitido ao vivo via web. Circo Voador (2?000 pessoas). Arcos da Lapa, s/nº, Lapa, ☎ 2533-0354. Quinta (16) a sábado (18), a partir das 20h. Grátis. Impressão de ingressos: www.webfastvalda.com.br. e www.circovoador.com.br.

TEATRO

HOMENS, SANTOS E DESERTORES, de Mario Bortolotto. No ano passado, Rodolfo Bottino (1959-2011) atuou neste que seria o seu último espetáculo. Ele é substituído por Ricardo Blat, que contracena com Nelson Yabeta no drama sobre a convivência entre um homem maduro e um jovem estudante. No desenrolar da trama, o espectador é conduzido a acreditar que eles são apenas vizinhos, amigos e até amantes. Mas, aos poucos, percebe que essa relação por vezes paternalista, por parte do mais velho, é pautada por afinidades como a inadequação social de ambos e os gostos musicais e literários que compartilham. Direção de Ernesto Piccolo (60min). 14 anos. Espaço Cultural Eletrobras Furnas ? Auditório (192 lugares). Rua Real Grandeza, 219, Botafogo, ☎ 2528-5166. Sábado e domingo, 20h. Grátis. Senhas distribuídas uma hora antes. Para o acesso é necessário portar documento de identidade com foto. Até 2 de setembro. Reestreia prometida para sábado (18).

PARALELAMENTE, de Lisa E. Fávero e João Rodrigo Ostrower. Com encenação e texto inspirados na dinâmica da internet, cheio de recortes como se fossem hiperlinks, o drama mostra os desdobramentos de um encontro entre cinco amigos que não se veem há anos ? vividos por Cirillo Luna, Cynhtia Reis, Elio de Oliveira, Mariana Nunes e Monique Vaillé. Direção dos autores (60min). 12 anos. Estreou em 4/8/2012. Sede da Cia. dos Atores (60 lugares). Rua Manoel Carneiro, 12, Lapa, ☎ 2242-4176. Sábado a segunda, 20h. Grátis. Até dia 27.

DANÇA

POROROCA. Depois de apresentar Piracema, a Lia Rodrigues Companhia de Danças volta a outro espetáculo do seu repertório. Nesta coreografia para onze bailarinos, desenvolve-se em cena a ideia da pororoca, fenômeno da natureza que acontece quando as águas fluviais encontram o mar (60min). 12 anos. Espaço Cultural Sérgio Porto (80 lugares). Rua Humaitá, 163, Humaitá, ☎ 2535-3846. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. Grátis. Até dia 26. Estreia prometida para sexta (17).

EXPOSIÇÃO

ESTREIA

DANILO RIBEIRO. Paisagens urbanas e personagens típicos do cotidiano carioca, como surfistas, garotas na praia, policiais e vendedores de mate, aparecem nas dezoito pinturas que o artista exibe em Viagem Pitoresca ao Rio de Janeiro Contemporâneo ? Volume I. Curadoria de Fernando Cocchiarale. R$ 7?500,00. Galeria Artur Fidalgo. Rua Siqueira Campos, 143 (Shopping dos Antiquários), 2º piso, Copacabana, ☎ 2549-6278, ? Siqueira Campos. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 10h às 14h. Grátis. Até 22 de setembro. A partir de sexta (17). www.arturfidalgo.com.br.

FELIPE BARBOSA. Em De Casa em Casa, o artista apresenta seis obras inéditas, entre coloridas pinturas de acrílica (sobre tela e madeira) e esculturas. R$ 2?000,00 a R$ 45?000,00. CosmoCopa Arte Contemporânea. Rua Siqueira Campos, 143 (Shopping dos Antiquários), 2º piso, ☎ 2236-4670, ? Siqueira Campos. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 16h. Grátis. Até 15 de setembro. A partir de quinta (16). www.cosmocopa.com.

GAIS. Carioca egresso da arte de rua, o artista apresenta a mostra As Poucas Modificações Feitas Não Desfiguraram o Diretório: Fotomontagem Originalcopia. São dez fotomontagens nas quais ele se vale de colagens e intervenções variadas. Como sugere o nome da exposição, além dos trabalhos originais, Gais exibe uma cópia de cada um. Curadoria de Vanda Klabin. Huma Art Projects. Rua Alfredo Chaves, 56, Humaitá, ☎ 2535-3395. Terça a sábado, 11h às 18h. Grátis. Até 29 de setembro. A partir de quarta (15). www.huma.art.br.

MAURÍCIO DIAS E WALTER RIEDWEG. Juntos desde 1993, o carioca Dias e o suíço Ried-

weg propõem aqui uma homenagem à obra de João do Rio (1881-1921), autor de A Alma Encantadora das Ruas, jornalista e um dos maiores cronistas de personagens e paisagens cariocas. Em Até que a Rua nos Separe, a dupla exibe obras em suportes variados, de videoinstalações a trabalhos que misturam vídeo, fotografias, desenho e música. Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica. Rua Luís de Camões, 68, Centro, ☎ 2232-4213 e 2242-1012. Terça a sexta, 11h às 18h; sábado, domingo e feriados, 11h às 17h. Grátis. Até 30 de setembro. A partir de quinta (16).

WALTERCIO CALDAS. Três instalações compõem a exposição Cromática. A que batiza a mostra vai ficar no salão central: é um tríptico no qual o visitante tem a sensação de estar mergulhado nas cores vermelha, amarela e azul. Casa França-Brasil. Rua Visconde de Itaboraí, 78, Centro, ☎ 2332-5120. → Terça a domingo, 10h às 20h. Grátis. Até 21 de outubro. A partir de quinta (16). www.fcfb.rj.gov.br.

Última semana

DAISY XAVIER. Em Arqueologia da Perda, a artista carioca exibe uma eclética seleção de trabalhos. Há uma instalação com onze lanças de madeira (referência ao tríptico A Batalha de São Romano, de Paolo Ucello, que data do século XV), dezesseis esculturas de madeira e vidro, desenhos, pinturas e um vídeo. R$ 5?000,00 a R$ 30?000,00. Anita Schwartz Galeria de Arte. Rua José Roberto Macedo Soares, 30, Gávea, ☎ 2274-3873. Segunda a sexta, 10h às 20h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até sábado (18). www.anitaschwartz.com.br.

✪✪✪ GUEL SILVEIRA. O baiano Silveira, que já ilustrou uma edição do livro Tieta do Agreste, de Jorge Amado, apresenta a individual Dobras. Nela, exibe doze trabalhos em técnica mista sobre cartão. R$ 5?000,00 a R$ 8?000,00. Tramas Galeria de Arte. Avenida Atlântica, 4240 (Shopping Cassino Atlântico), loja 219, ☎ 2287-2036. Segunda a sábado, 11h às 18h. Grátis. Até sábado (18).

JOÃO & ANTONIO. Fotografias de João de Orleans e Bragança e peças de prata do designer de joias Antonio Bernardo (este estreando no circuito de galerias de arte) compõem a coleção em exibição. O primeiro apresenta 35 imagens de reflexos de barcos sobre as águas da Baía de Paraty. Bernardo comparece com oito objetos sem título, pertencentes à série que ele batizou de Radiolaria. R$ 3?000,00 a R$ 75?000,00. Galeria H.A.P. Rua Abreu Fialho, 11, Jardim Botânico, ☎ 3874-2830/2796. Segunda a sexta, 11h às 18h; sábado, 13h às 18h. Grátis. Até sábado (18). www.hapgaleria.com.br.

MEU PADRINHO PADRE CÍCERO. Com curadoria de Emanoel Araújo, diretor do Museu Afro Brasil, em São Paulo, a exposição tem como personagem o líder religioso padre Cícero Romão Batista (1844-1934). Seis artistas cearenses exibem gravuras, esculturas e pinturas. Pertences do próprio homenageado também são mostrados. Espaço Memória do Centro Municipal Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas. Campo de São Cristóvão, s/nº (Pavilhão de São Cristóvão), São Cristóvão. Terça a quinta, 10h às 18h; sexta a domingo, 10h às 22h. Grátis. Até domingo (19).

gratis-1.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Em cartaz

ANA DURÃES. A artista é o nome por trás de trabalhos assinados na ficção pelos personagens Rodinei (Jayme Matarazzo), na novela Cheias de Charme, em cartaz na TV Globo, e Lena Moretti (Débora Bloch), na minissérie Queridos Amigos, exibida em 2008. Algumas dessas obras aparecem projetadas na exposição Mundo das Coisas. A parte inédita do acervo compreende cerca de trinta pinturas em técnica mista. Pertencem à série Os Anônimos 24 retratos feitos com estêncil, a partir de fotografias digitalizadas, sobre camadas descascadas de outdoor. Outras peças integram a coleção que dá nome à mostra, na qual Ana usa spray e óleo. Curadoria de Denise Mattar. Espaço Cultural Eletrobras Furnas. Rua Real Grandeza, 219, Botafogo, ☎ 2528-3112. Terça a sexta, 14h às 18h; sábado, domingo e feriados, 14h às 19h. Grátis. Até 7 de outubro.

✪✪✪ ANDRÉ ANDRADE. Doze trabalhos do artista carioca são reunidos em Por que Não Me Contou sobre Você?. Todos exibem imagens de televisão com interferências ou falhas de transmissão, fotografadas por ele diretamente do aparelho e trabalhadas com tinta sobre uma placa de alumínio com tinta automotiva. Curadoria de Vanda Klabin. R$ 2?200,00 a R$ 8?800,00. Galeria Athena Contemporânea. Avenida Atlântica, 4240 (Shopping Cassino Atlântico), lojas 210 e 211, Copacabana, ☎ 2513-0239. Segunda a sexta, 11h às 19h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até 1º de setembro.

✪✪✪ ANNA LETYCIA. Discípula de Iberê Camargo (1914-1994), com quem iniciou seu aprendizado de gravura em metal na década de 50, a artista, nascida em Teresópolis, é considerada hoje uma das mais importantes gravadoras brasileiras. Aos 82 anos, ela tem sua premiada trajetória celebrada nesta retrospectiva. Os 77 trabalhos reunidos perpassam toda a carreira de Anna ? o que dá ao visitante a oportunidade de acompanhar os diferentes rumos tomados ao longo do tempo. Mais antigas da mostra, as obras da série Formigas, de 1956, apresentam esses insetos de maneira literal. Produzido nos anos 2000, o conjunto Novas Imagens traz formas abstratas de original beleza. Em boa parte dos trabalhos figuram recipientes quadrados e caramujos, dois elementos aos quais a artista dispensou especial atenção, como se nota na série Caixas, de 1982. Museu Nacional de Belas Artes. Avenida Rio Branco, 199, Centro, ☎ 2219-8474, ? Cinelândia. → Terça a sexta, 10h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 17h. Grátis. Até 9 de setembro. www.mnba.gov.br.

ANTONIO DIAS, BEATRIZ CARNEIRO, MARTA JOURDAN E TATIANA GRINBERG. Batizada apenas com os nomes de seus participantes, a coletiva reúne obras em técnicas variadas, predominantemente fotografias e esculturas ? estas feitas de vidro, porcelana, espelho, cerâmica, barro e piche. R$ 2?500,00 a R$ 25?000,00. Mercedes Viegas Arte Contemporânea. Rua João Borges, 86, Gávea, ☎ 2294-4305. Segunda a sexta, 12h às 20h; sábado, 16h às 20h. Grátis. Até 1º de setembro. www.mercedesviegas.com.br.

ANTONY GORMLEY. Aos 61 anos, o escultor inglês dedica-se a investigar a relação entre o corpo humano e o espaço em criações nas quais, com frequência, usa a si próprio como modelo. Em sua primeira exposição no Brasil, Corpos Presentes ? Still Being, o artista apresenta um panorama da carreira através de onze trabalhos que, juntos, somam quase uma centena de esculturas. Na seleção reunida sob curadoria de Marcello Dantas, 31 figuras humanas compõem a única atração da retrospectiva instalada ao ar livre ? Event Horizon, com as esculturas dispostas no entorno do CCBB. Dentro do prédio ficam representantes de várias fases da trajetória de Gormley. Na rotunda está uma de suas mais famosas criações: Critical Mass II, constituída por sessenta corpos de ferro fundido, com 630 quilos cada um, em doze posições diferentes. Alguns ficam suspensos por cordas. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até 23 de setembro.

✪✪✪ ARTISTAS BRASILEIROS NA ITÁLIA. Fundada por dom João VI em 1826, a Academia Imperial de Belas Artes travou, desde o seu surgimento, um profícuo diálogo com a produção artística da Itália. Herdeiro do acervo da instituição, o Museu Nacional de Belas Artes joga luz sobre essa parceria abrigando a mostra com 95 obras, entre pinturas, esculturas, desenhos e gravuras, de 38 criadores que incorporaram elementos da cultura italiana a seus trabalhos. Sobressaem no acervo alguns dos artistas da Academia Imperial que estiveram na Itália na segunda metade do século XIX, como os irmãos Félix (1866-1905), Rodolfo (1852-1931) e Henrique Bernardelli (1857-1936) ? é desse último o belo óleo Maternidade ?, além de Victor Meirelles (1832-1903). Entre as criações desse grupo, no entanto, a atração mais importante é o imponente óleo Turbínio, de Antônio Parreiras (1860-1937). Alvo de uma meticulosa restauração feita por técnicos do MNBA, a tela volta a ser exibida após mais de cinquenta anos. Museu Nacional de Belas Artes. Avenida Rio Branco, 199, Centro, ☎ 2219-8474, ? Cinelândia. → Terça a sexta, 10h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 17h. Grátis. Até 4 de novembro. www.mnba.gov.br.

BEATRIZ MILHAZES. variadas reunidos na famosa coletiva Como Vai Você, Geração 80?, na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Naquele grupo extenso, integrado por nomes prestigiados, a exemplo de Jorge Guinle (1947-1987), Leda Catunda e Leonilson (1957-1993), destacou-se de forma especial, atingindo cifras impressionantes na venda de suas obras. Em 2008, aos 48 anos, tornou-se a primeira brasileira viva a ter um trabalho vendido em leilão por mais de 1 milhão de dólares: sua tela O Mágico (2001) foi arrematada pelo argentino Eduardo Constantini (o dono de Abaporu, de Tarsila do Amaral). Dez anos depois da última individual no Rio, a carioca Beatriz volta a expor na cidade, a partir de terça (14), na Caixa Cultural. Desta vez, as pinturas dão lugar a dezessete serigrafias em grandes dimensões (a maior delas chega a 1,60 por 1,80 metro). Doadas pela autora à Pinacoteca do Estado de São Paulo há quatro anos, as gravuras foram produzidas em associação com a editora americana Durham Press, da Pensilvânia, onde ela vem participando de programas de residência artística desde 1996. O conjunto completo vai ser exibido pela primeira vez. Nele, Beatriz exibe aquela que já virou uma marca de seu trabalho: a superposição de cores marcantes e de formas circulares, arabescos e flores, como se vê em Uva Selvagem (1996). "É uma oportunidade de ver como a artista transpõe para uma técnica diferente um conceito já consagrado por ela na pintura", diz Carlos Martins, responsável pelo setor de gravuras da Pinacoteca. Beatriz Milhazes. Caixa Cultural ? Galeria 1. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 2544-4080, ? Carioca. → Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis. Até 30 de setembro. A partir de terça (14). www.caixacultural.com.br

CARLOS BUNGA. A ideia de projeto inacabado, imperfeito e até defeituoso perpassa as obras que o artista apresenta na individual Em Construção. São nove quadros em técnica mista e uma instalação que dialoga com a arquitetura. R$ 8?000,00 a R$ 50?000,00. A Gentil Carioca. Rua Gonçalves Ledo, 17, Centro, ☎ 2222-1651. Terça a sexta, 12h às 19h; sábado, 12h às 17h. Grátis. Até 1º de setembro. www.agentilcarioca.com.br.

✪✪✪ DANIEL SENISE. Um dos nomes da Geração 80, Senise apresenta seis trabalhos inéditos e sem título. Em todos, utilizou uma técnica intrigante: aplicou cola, verniz e pigmentos no chão para, em seguida, "decalcar" o resultado em um tecido fino. Esse pano foi posteriormente recortado e colocado em uma estrutura de alumínio, o que resultou nas obras expostas. Reunidas, as dezenas de recortes dos tecidos se assemelham a uma pintura de grandes dimensões. Três dos trabalhos foram criados a partir dos tacos do chão da casa de um amigo. Os restantes vieram do piso do ateliê do próprio artista. Preços sob consulta. Galeria Silvia Cintra + Box 4. Rua das Acácias, 104, Gávea, ☎ 2521-0426. → Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até dia 25. www.silviacintra.com.br.

✪✪✪ DO ART NOUVEAU AO ART DÉCO. Mulher do marchand Isaac Krasilchik, sócio da galeria de arte paulistana A Ponte, Bertha Krasilchik apresenta 238 itens de sua coleção, acumulada desde os anos 50. A maior parte do acervo protegido no 4º andar do prédio é composta de joias ? são mais de 100. Além disso, há uma série de objetos, como cigarreiras e estojos de maquiagem, todos confeccionados com materiais preciosos. As peças expostas oferecem uma aula sobre os dois estilos. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até 30 de setembro.

✪✪ FABIEN RIGOBERT. Conhecido em seu país por unir arte e tecnologia, o criador francês faz sua primeira mostra no Brasil: Predicament/Situações Difíceis. Rigobert apresenta três vídeos e uma série de fotografias. Ele próprio aparece nos dois trabalhos que inspiram o nome da individual, o vídeo Predicament 13 (2011) e a série fotográfica Predicament ? nesta, ele divide a cena com um índio americano. Oi Futuro Flamengo. Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060, ? Largo do Machado. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Até 16 de setembro. www.oifuturo.org.br.

GÉZA HELLER. A caminho do Uruguai, fugindo da perseguição aos judeus, em 1932, o arquiteto húngaro se apaixonou pela paisagem do Rio, que avistou do navio. Quatro anos depois, mudou-se para a cidade, onde desenhou várias construções cariocas, a exemplo do prédio da Central e da igreja da Candelária. Trinta ilustrações são expostas em Géza Heller: um Carioca Sonhador, ao lado de fotografias dos mesmos locais feitas recentemente por Hermano Taruma. Também são exibidos projetos arquitetônicos de Heller, em perspectiva, e um vídeo com Sylvia Heller, sua filha, sobre o pai. Parque das Ruínas. Rua Murtinho Nobre, 169, Santa Teresa, ☎ 2215-0621. Terça a domingo, 10h às 18h. Grátis. Até 7 de outubro.

LIVIA FLORES. Integrante da famosa coletiva Como Vai Você, Geração 80?, que aconteceu na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, em 1984, Livia Flores exibe cerca de dez trabalhos feitos com cobertores e gesso. Alguns assumem forma de tela, outros de escultura. Dois desenhos completam o acervo. Preços sob consulta. Progetti. Travessa do Comércio, 22, Centro, ☎ 2221-9893. Terça a sábado, 12h às 18h. Grátis. Até 15 de setembro. www.progettirio.com.

✪✪✪ LEO BATTISTELLI. Argentino radicado no Rio, Battistelli exibe 33 trabalhos inéditos, entre esculturas e objetos de porcelana e cerâmica. O acervo faz referência a lendas indígenas da América Latina. Plantas e fungos usados com fins ritualísticos também são evocados nas formas e cores das peças. R$ 4?000,00 a R$ 19?000,00. Graphos: Brasil. Rua Siqueira Campos, 143 (Shopping dos Antiquários), 2º piso, Copacabana, ☎ 2256-3268, ? Siqueira Campos. Segunda a sexta, 11h às 19h; sábado, 11h às 18h. Grátis. Até dia 30.

✪✪✪ LINIERS. Principal atração de Macanudismo, a retrospectiva dedicada ao quadrinista argentino, um enorme painel com 500 tirinhas da série Macanudo (todas originais) escancara as influências de seu autor. Publicadas no jornal La Nación há dez anos, as histórias trazem figuras como a esperta menina Enriqueta, descendente incontestável de Mafalda, a famosa personagem do mestre e conterrâneo Quino. Outros tipos, o garoto Martincito e sua amiga imaginária Olga podem ser comparados a Calvin e ao tigre Haroldo, de Bill Waterson. Liniers dá-se ao luxo de entregar o jogo porque foge da cópia pura e simples com um trabalho pessoal que inspira ora o riso, ora a reflexão. No acervo reunido, seu talento também transparece em desenhos para um livro infantil, um vídeo de animação, capas de livros, arte para CDs, cadernos de desenhos, contos ilustrados e pinturas. Caixa Cultural ? Galeria 2. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 2544-4080, ? Carioca. → Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis. Até 9 de setembro. www.caixacultural.com.br.

✪✪✪ MARCELO SOLÁ. Na individual Casa das Prima + Hidrolands Grafisch Atelier Chanterclayson/Dusted Souls, o criador goiano apresenta dezoito curiosos desenhos ? técnica pela qual ficou mais conhecido. Em tamanhos variados, as obras evocam a arte de figuras como Jean-Michel Basquiat. Duas telas e duas serigrafias completam o acervo. A partir de R$ 3?500,00. Luciana Caravello Arte Contemporânea. Rua Barão de Jaguaribe, 387, Ipanema, ☎ 2523-4696. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 14h. Grátis. Até dia 25. www.lucianacaravello.com.br.

✪✪✪ MATEU VELASCO. Em Avesso do Avesso, o artista, egresso do grafite, exibe trabalhos em técnicas e suportes diversos. No acervo, selecionado por Velasco e pelo marchand Ricardo Kimaid, estão seis gravuras em metal, cinco pinturas sobre madeira, nas quais foram usados spray, tinta acrílica e lápis de cor, e três telas em acrílica, todas sem título, produzidas neste ano. As criações, pertencentes à série que dá nome à mostra, apresentam inusitadas figuras humanas com a cabeça substituída por desenhos abstratos que parecem voar para longe. Inicialmente concebida como cenografia para a exposição, uma instalação com doze troncos de árvore pintados tornou-se também uma obra e completa a seleção. R$ 5?000,00 a R$ 15?000,00. Galeria Movimento. Avenida Atlântica, 4240 (Shopping Cassino Atlântico), loja 211, Copacabana, ☎ 2267-5989. Terça a sexta, 10h30 às 19h30; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até 2 de setembro. www.galeriamovimento.com.br.

✪✪✪ RAPHAEL DOMINGUES E EMYGDIO DE BARROS. Diagnosticados como esquizofrênicos, Domingues (1912-1979) e Barros (1895-1986) foram internados no Centro Psiquiátrico Nacional, no Engenho de Dentro ? atual Instituto Municipal Nise da Silveira, batizado em homenagem à psiquiatra Nise da Silveira (1905-1999). Foi ela que, em 1946, criou o ateliê de artes do Setor de Terapêutica Ocupacional e Reabilitação, que seria frequentado pelos dois. Entre desenhos e pinturas, 95 obras compõem a exposição Raphael e Emygdio: Dois Modernos no Engenho de Dentro, que tem curadoria de Rodrigo Naves e Heloisa Espada. Muitos dos intrigantes desenhos de Domingues são feitos com praticamente uma única linha contínua. Nas pinturas de Barros, cenas melancólicas são pintadas em tons tristonhos. A própria Nise também é homenageada com uma biografia fotográfica apresentada em mostra paralela. Instituto Moreira Salles. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, ☎ 3284-7400. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Estac. grátis. Visitas guiadas de terça a sexta, às 17h. Até 7 de outubro. www.ims.com.br.

RICARDO VENTURA. Reais ou apresentadas somente em imagens, ânforas estão em duas séries da individual. Uma delas traz cinco esculturas de madeira verticais e vazadas, nas quais os recipientes são exibidos como em uma vitrine. Há ainda cinco trabalhos feitos com placas de metal e vidro, reproduzindo imagens de ânforas. Curadoria de Marcelo Campos. R$ 5?000,00 a R$ 25?000,00. Mercedes Viegas Arte Contemporânea. Rua João Borges, 86, Gávea, ☎ 2294-4305. Segunda a sexta, 12h às 20h; sábado, 16h às 20h. Grátis. Até 1º de setembro. www.mercedesviegas.com.br.

✪✪✪✪ SALVADOR DALÍ. Leia em Veja Rio Recomenda (pág. 4). Caixa Cultural ? Galeria 3. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 2544-4080, ? Carioca. → Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis. Até 2 de setembro. www.caixacultural.com.br.

VIRGÍNIA PAIVA. Em Infiltrações, a artista carioca apresenta uma única obra, batizada com o nome da exposição. Trata-se de uma instalação que ocupa inteiramente o espaço expositivo, com cordões de pérolas pendendo do teto e três vídeos no chão. O objetivo é evocar a ideia de água em movimento. Oi Futuro Ipanema. Rua Visconde de Pirajá, 54, Ipanema, ☎ 3201-3000, ? General Osório. Terça a domingo, 13h às 21h. Grátis. Até 2 de setembro. www.oifuturo.org.br.

VIVA ELIS. Idealizada por João Marcello Bôscoli, filho de Elis Regina (1945-1982), a exposição presta homenagem à cantora. Cerca de 200 fotos, ingressos e pôsteres de shows, vídeos de apresentações, entrevistas e especiais de televisão, réplica de figurinos, revistas e jornais com matérias sobre a estrela fazem parte do acervo. Um documentário com depoimentos de artistas completa o acervo. Curadoria de Allen Guimarães. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até 28 de setembro.

WALÉRIA AMÉRICO. Três vídeos e uma instalação compõem a coleção que a artista mostra em Delay ? em todos os trabalhos ela evoca a questão do tempo. R$ 5?000,00 a R$ 25?000,00. Galeria Laura Marsiaj. Rua Teixeira de Melo, 31-C, Ipanema, ☎ 2513-2074. Terça a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 16h. Grátis. Até 11 de setembro. www.lauramarsiaj.com.br.

FOTOGRAFIA

CRISTINA GRANATO. Uma das fotógrafas mais requisitadas do show business brasileiro, Cristina lançou, no ano passado, o livro Um Olhar na Música Popular Brasileira, em comemoração aos seus trinta anos de carreira. Das 350 fotos de grandes nomes da música reunidas na publicação, 45 foram selecionadas para a exposição. Estão lá, entre outros, Cazuza, Sandra de Sá, Ney Matogrosso e Cássia Eller. Centro Cultural Justiça Federal. Avenida Rio Branco, 241, Centro, ☎ 3261-2550, Cinelândia, ? Cinelândia. Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 9 de setembro.

✪✪✪ DOCUMENTAL IMAGINÁRIO ? FOTOGRAFIA CONTEMPORÂNEA BRASILEIRA. O curador Eder Chiodetto apresenta uma seleção de 48 trabalhos de nove fotógrafos e um coletivo: João Castilho, Pedro Motta, Breno Rotatori, Guy Veloso, Gustavo Pellizzon, Fábio Messias, Pedro David, Pedro Motta, Fernanda Rappa e Cia de Foto (este comparece com um vídeo). Em todos, a pegada documental se mistura a uma proposta artística. Oi Futuro Flamengo. Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060, ? Largo do Machado. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Até 16 de setembro. www.oifuturo.org.br.

FOTÓGRAFOS DA NATUREZA. Promovido pelo Museu de História Natural de Londres e pela revista BBC Wildlife, o concurso Wild Life Photographer of the Year existe há 49 anos e premia fotos que têm a natureza como tema. Há dezesseis anos os vencedores passaram a integrar uma mostra, que é montada pela primeira vez no Brasil. Compõem a seleção 79 imagens de profissionais de 24 países. Centro de Visitantes do Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Rua Jardim Botânico, 1008, Jardim Botânico, ☎ 3874-1808. Segunda a domingo, 8h às 17h. Grátis. Até dia 30.

✪✪✪✪ UM OLHAR SOBRE O CRUZEIRO: AS ORIGENS DO FOTOJORNALISMO NO BRASIL. Mais de 300 imagens integram a exposição sobre a revista O Cruzeiro, uma das mais importantes do Brasil no século XX, fundamental para o desenvolvimento do fotojornalismo no país. Belos retratos, flagrantes perspicazes e registros históricos de Jean Manzon, Flávio Damm, José Medeiros e Luiz Carlos Barreto, entre outros, estão presentes. Várias imagens aparecem como foram publicadas na revista, inseridas na página de uma matéria. Também em exibição, revistas ilustradas estrangeiras ressaltam, por comparação, o pioneirismo de O Cruzeiro. Curadoria de Helouise Costa. Instituto Moreira Salles. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, ☎ 3284-7400. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Estac. grátis. Visitas guiadas de terça a sexta, às 17h. Até 7 de outubro. www.ims.com.br.

✪✪✪ OLHAR TÁTIL ? NOVOS SENTIDOS DA FOTOGRAFIA CONTEMPORÂNEA. Doze artistas participam da mostra, que reúne 21 ampliações em grandes formatos, sem unidade temática aparente. Paisagens, retratos e instantâneos têm, em comum, a proposta de desafiar a percepção visual. Os autores são André Sheik, Bruno Veiga, Henrique Koifmann, Ivani Pedrosa, Leonardo Aversa, Marcos Bonisson, Nadam Guerra, Paulo Sérgio Nascimento, Renato Velasco, Ricardo Fasanello, Teresa Salgado e Zeka Araújo. Curadoria de Mauro Trindade. Centro Cultural Justiça Federal ? Gabinete de Fotografia. Avenida Rio Branco, 241, Centro, ☎ 3261-2550, Cinelândia, ? Cinelândia. Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 28 de outubro.

✪✪✪ OLHARES SOBREPOSTOS. Zeca Guimarães, Zeca Linhares, Pedro Oswaldo Cruz, Pedro Pinheiro Guimarães, Chico Mascarenhas e Domingos Mascarenhas apresentam noventa fotografias produzidas ao longo dos últimos quarenta anos. Curadoria de Milton Guran. Centro Cultural Justiça Federal. Avenida Rio Branco, 241, Centro, ☎ 3261-2550, Cinelândia, ? Cinelândia. Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até dia 26.

Fonte: VEJA RIO