GRÁTIS

É de graça

Selecionamos 21 atrações gratuitas, de show a exposições, para você se divertir sem gastar nada

- Atualizado em

SHOW

MACACO BONG E BLACK DRAWING CHALKS. Dois representantes do rock do Centro-Oeste tocam na mesma noite. De Cuiabá, o power trio formado por Bruno Kayapy (guitarra), Ynaiã Benthroldo (bateria) e Ney Hugo (baixo) traz sua boa música instrumental com influências do jazz. Os goianos do Black Drawing Chalks também vêm arrancando elogios da crítica com o punk rock de seus dois primeiros discos: Big Deal e Life Is a Big Holiday for Us. 18 anos. Studio RJ (300 pessoas). Avenida Vieira Souto, 110, 1º andar, Ipanema, ☎ 2523-1204, ? General Osório. Quarta (5), 22h. Grátis. www.studiorj.org.

CONCERTOS

DIDO E ENEIAS. Baseada na obra de Virgílio sobre o amor de Dido, rainha de Cartago, pelo troiano Eneias, a ópera do inglês Henry Purcell é apresentada pela Orquestra Barroca da UniRio, com regência de Julio Moretzsohn e alunos da UniRio e da UFRJ no elenco. Teatro Paschoal Carlos Magno - Palcão (100 lugares). Avenida Pasteur, 436, fundos (UniRio), Urca, ☎ 2542-2205. Quinta (6) a sábado (8), 19h30; domingo (9), 17h. Grátis.

QUARTETO DE CORDAS DA ORQUESTRA PETROBRAS SINFÔNICA. Felipe Prazeres e Carlos Mendes (violinos), Dhyan Toffolo (viola) e Marcelo Salles (violoncelo) executam temas de Heitor Villa-Lobos e Edvard Grieg. Outeiro da Glória (120 lugares). Praça Nossa Senhora da Glória, 135, Glória, ? Glória. Informações, ☎ 2551-5595. Domingo (9), 16h. Grátis.

REVISITANDO STRAVINSKY. A pianista Jocy de Oliveira lança DVD em que relembra seu contato com o compositor russo Igor Stravinsky, morto em 1971. Misturando música, declamação de texto, dança e projeções, o evento ocupa simultaneamente vários pontos do Oi Futuro. O repertório engloba peças de Stravinsky e uma obra inédita de Jocy. A instrumentista comanda o espetáculo, do qual também participam Gabriela Geluda (soprano), Peter Schuback (cello), Tomaz Soares (violino), Maria Carolina Cavalcanti (flauta), Paulo Passos (clarineta), Brian Caballero (bandoneon), o dançarino Kostya Barbalat e a atriz Susana Ribeiro. Oi Futuro Flamengo. Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060, ? Largo do Machado. Terça (4), 20h30. Grátis.

EXPOSIÇÕES

NOTAS DE UM PERCURSO GRÁFICO - 50 ANOS DE ARTE. Um dos principais nomes do desenho brasileiro contemporâneo, Clécio Penedo (1941-2004) é lembrado na retrospectiva Notas de um Percurso Gráfico - 50 Anos de Arte. Reunido para marcar a passagem de seus 70 anos de nascimento, o acervo selecionado pelo curador Edson Borges apresenta 120 obras em variados suportes, distribuídas por catorze séries. Foram escolhidas pinturas realizadas entre 1956 e 1973, período em que Penedo se dedicou à técnica aprendida na Escola Nacional de Belas Artes. Em outro segmento entram os desenhos das séries Geróticos, Inominados e Corpo sem Cabeça. Esses trabalhos são fruto de influências de Ivan Serpa, Aluízio Carvão e Eduardo Sued, alguns dos seus mestres no Centro de Pesquisa e Arte e no MAM. Não faltarão também os conjuntos de obras em que o artista mineiro conjuga a irreverência da pop art com a essência do Manifesto Antropófago, de Oswald de Andrade (1890-1954), postulando a construção de uma identidade nacional com ênfase nas raízes indígenas. Tais manifestações, que criticavam a colonização cultural europeia e americana nos anos 70, poderão ser vistas nas séries És Tupi do Brasil, Cartilhada, Comei-vos uns aos Outros e Jary. No texto escrito para a mostra, o crítico e professor de história da arte da Uerj Geraldo Edson Andrade afirma que a produção de Penedo é uma das mais próximas da teoria antropofágica de Oswald, mentor da Semana de Arte Moderna de 1922. Museu Histórico Nacional - Casa do Trem. Praça Marechal Âncora, s/nº, Centro, ☎ 2550-9220. → Terça a sexta, 10h às 17h30; sábado, domingo e feriados, 14h às 18h. R$ 6,00. Grátis para menores de 5 anos e pessoas com mais de 65 anos. A bilheteria fecha meia hora antes. Grátis aos domingos. Até 25 de novembro. A partir de quinta (6). www.museuhistoriconacional.com.br.

ÁFRICA-BRASIL, ANCESTRALIDADE E EXPRESSÕES CONTEMPORÂNEAS. Realizada pelo Instituto de Pesquisas e Estudos Afro-Brasileiros (Ipeafro), a mostra com fotografias, pinturas, esculturas, cartuns e cartazes apresenta um panorama das nações africanas e sua história. Outro intuito da exposição é celebrar a memória do recém-falecido pintor, poeta, escritor e ativista das causas dos afrodescendentes Abdias Nascimento (1914-2011). Centro Cultural Justiça Federal. Avenida Rio Branco, 241, Centro, ☎ 3261-2550, ? Cinelândia. Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 4 de dezembro. A partir de sábado (8). www.ccjf.trf2.gov.br.

ANA STEWART. Carioca, com atuação no fotojornalismo e em sets de filmagem, Ana cultiva a fotografia artística como atividade paralela. Na individual Meninas do Rio, exibe 25 retratos em grandes formatos, com imagens de jovens rea­lizadas ao longo de dez anos em regiões pobres da cidade. Após conseguir os primeiros exemplares do ensaio, há uma década, inicialmente para o livro Zona Norte - Território da Alma Carioca, Ana retornou às locações, em áreas como Jacaré, Irajá e Benfica, à procura de suas retratadas para efetuar novos registros e abordar a passagem do tempo. R$ 5?000,00. Galeria da Gávea. Rua Marquês de São Vicente, 431, loja A, Gávea, ☎ 2274-5200. De segunda a sexta é necessário agendar a visita por telefone. Sábado, 11h às 18h. Grátis. Até 20 de novembro. A partir de quarta (5), às 19h. www.galeriadagavea.com.br.

GISELE CAMARGO E OMAR SALOMÃO. Artistas cariocas, a pintora e o poeta visual ocupam com suas respectivas individuais os salões da galeria da marchande Mercedes Viegas. Na mostra Metrópole, Gisele apresenta um conjunto de telas, a exemplo de A Capital, que constitui um único políptico fixado nas quatro paredes do salão. A proposta é criar uma sensação panorâmica de 360 graus através da paisagem fictícia de uma cidade desabitada. Omar exibe fotografias e desenhos, como Ao Mar, Turbulências e Dois Corações, além das páginas de seu livro manuscrito. R$ 1?200,00 a R$ 30?000,00. Mercedes Viegas Arte Contemporânea. Rua João Borges, 86, Gávea, ☎ 2294-4305. Segunda a sexta, 12h às 20h; sábado, 16h às 20h. Grátis. Até dia 31. A partir de quinta (6). www.mercedesviegas.com.br.

ICLÉA GOLDBERG. Artista carioca com obras em importantes coleções, como as do Museu de Arte Moderna, do Museu de Arte Contemporânea, de Gilberto Chateaubriand e de João Sattamini, Icléa realiza nova individual. Em Objetos Extremos, exibe sete esculturas em média e grande escala, construídas com madeira, borracha, couro e aço inox. R$ 6?000,00 a R$ 30?000,00. Galeria Anna Maria Niemeyer. Praça Santos Dumont, 140, loja A, Gávea. ☎ 2540-8155. Terça a sexta, 12h às 21h; sábado e domingo, 14h às 18h. Grátis. Até 6 de novembro. A partir de quinta (6). www.annamarianiemeyer.com.br.

IVAN CARDOSO. Antes de 1970, quando se estabeleceu como cineasta e mestre do gênero terrir - mistura de terror e chanchada -, Cardoso atuou como pintor, produzindo telas a óleo e a têmpera, e aproximou-se de colegas como Rubens Gerchman, Carlos Vergara e Hélio Oiticica. Ainda nos anos 60, também começou a fotografar os célebres amigos em preto e branco, reunindo um acervo de 70?000 negativos. Na solidão do ateliê, Ivan coloria a mão alguns exemplares. O interessante resultado deste processo suscitou o convite do marchand Ricardo Duarte para montar a exposição inaugural de sua galeria, a Graphos: Brasil. Na individual, o artista exibe oitenta ampliações, pintadas a guache, caneta hidrográfica e acrílica, de imagens de Ney Matogrosso, Claudia Ohana, Tunga, Débora Bloch e Glauber Rocha, entre outros. R$ 2?500,00 a R$ 8?000,00. Graphos: Brasil. Rua Siqueira Campos, 143, 2º piso, Copacabana, ☎ 2256-3268, ? Siqueira Campos. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 10h às 14h. Grátis. Até dia 22. A partir de quarta (5).

OZI. Reconhecido na cena de street art, o grafiteiro paulistano celebra 28 anos de carreira com sua primeira individual no Rio: Toy Art Show. No acervo entram dezessete pinturas que retratam crianças à maneira de antigos anúncios publicitários, mas em situações que simulam vandalismo. A temática propõe reflexões sobre a influência de situações violentas e de teor erótico sobre o comportamento infantil. Nas telas, bichos de pelúcia, patinhos de borracha e bonecas se rebelam contra os adultos. R$ 5?000,00 a R$ 9?000,00. Colecionador Contemporâneo. Avenida Atlântica, 4240, loja 224 (Shopping Cassino Atlântico), Copacabana, ☎ 2522-4796. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 13h às 19h. Grátis. Até 29 de outubro. A partir de quarta (5).

✪✪✪ CADU. Paulistano radicado no Rio, Carlos Eduardo Felix da Costa ou, simplesmente, Cadu tem variada produção focada em instalações, esculturas, vídeos e objetos constituídos de mecanismos que envolvem tecnologia. Na individual Entardecer no Ano do Coelho, o curador Fernando Cocchiarale surpreende o público apresentando quatro pinturas abstratas de grandes formatos no salão central da galeria, integrantes da série Nantucket Island - nome da ilha no estado americano de Massachusetts que inspirou Herman Melville a escrever a obra-prima Moby Dick. Nos espaços adjacentes estão três instalações, dois vídeos e um objeto. Galeria Laura Alvim. Avenida Vieira Souto, 176, Ipanema, ☎ 2332-2017, ? General Osório. Terça a domingo, 13h às 21h. Grátis. Até domingo (9).

✪✪✪ CAFI. Pernambucano do Recife, radicado no Rio desde os anos 70, Carlos da Silva Assunção Filho, mais conhecido como Cafi, fotografou artistas - Milton Nascimento, Chico Buarque e Nana Caymmi, entre muitos outros - para mais de 300 capas de disco, além de elaborar cartazes de espetáculos e exposições. Em paralelo, toca projetos autorais, a exemplo da série Andaimes, que tem quinze exemplares à mostra na individual O Fio da Mea­da. Trabalhos como Aeroporto e Mulheres de Atenas foram criados por meio da superposição de fotografias de estruturas metálicas usadas em construções, explorando o grafismo de suas formas para compor novas imagens. R$ 7?000,00 a R$ 18?000,00. Múl.ti.plo Espaço Arte. Rua Dias Ferreira, 417, sala 206, Leblon, ☎ 2259-1952. Segunda a sexta, 10h às 18h; sábado, 10h às 14h. Grátis. Até dia 14.

CARLOS ZILIO. O artista carioca exibe 35 trabalhos produzidos nos anos 70, mas nunca expostos. Batizada de Paisagens 1974-1978, a individual reúne desenhos, objetos e fotografias. A exposição integra a programação do 20º Encontro da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas (Anpap). Galeria Candido Portinari. Rua São Francisco Xavier, 524, térreo (Uerj), ☎ 2334-0114, ? Maracanã. → Segunda a sexta, 9h às 20h. Grátis. Até dia 21.

✪✪✪✪ FERNANDO BOTERO. Conhecido por representar personagens rechonchudos e bem-humorados, o pintor colombiano Fernando Botero, 79 anos, há quatro décadas radicado em Paris, apresenta uma diferente faceta de sua produção. Na individual Dores da Colômbia, exibe 36 desenhos, 25 pinturas e seis aquarelas com cenas violentas repletas de vítimas de conflitos políticos que envolvem guerrilheiros, paramilitares e forças do governo de seu país. Caixa Cultural ? Galeria 3. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 2544-7666, ? Carioca. → Terça a sábado, 10h às 22h; domingo, 10h às 21h. Grátis. Até dia 30. www.caixacultural.com.br.

✪✪✪✪ FRANZ WEISSMANN (1911-2005). Expoente do neoconcretismo, o escultor tem seu centenário de nascimento lembrado na mostra que reúne 82 obras. Curador do acervo, Max Perlingeiro selecionou trabalhos emblemáticos, a exemplo de Cubo Vazado, exibido na Bienal de São Paulo de 1953, e criações menos conhecidas, além de maquetes. Completam a exposição peças assinadas por artistas que tiveram importante participação na trajetória de Weissmann, como Alberto da Veiga Guignard (1896-1962), criador da Escola do Parque, em Belo Horizonte, que o convidou para ser professor. Amilcar de Castro (1920-2002), um dos alunos do artista na instituição mineira, comparece com uma obra. Pinakotheke Cultural. Rua São Clemente, 300, Botafogo, ☎ 2537-7566. Segunda a sexta, 10h às 18h; sábado e feriados, 10h às 16h. Grátis. Até 3 de dezembro.

✪✪✪ MANUEL MESSIAS NAS COLEÇÕES GUTMAN E KORNIS. Sergipano que viveu e trabalhou no Rio, Manuel Messias (1945-2001) teve uma intensa produção entre os anos 60 e 90. Portador de problemas psiquiátricos que se agravaram ao longo de sua vida, ele tem poucas obras presentes em acervos públicos. Aluno de Ivan Serpa no MAM carioca, em 1963, foi orientado pelo mestre a produzir xilogravuras. Nesta mostra, estão reunidos 72 exemplares de pequenos e médios formatos pertencentes às coleções de Guilherme Gutman e de Mônica e George Kornis. Caixa Cultural ? Galeria 2. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 2544-7666, ? Carioca. → Terça a sábado, 10h às 22h; domingo, 10h às 21h. Grátis. Até dia 30. www.caixacultural.com.br.

PAIXÕES PRIVADAS - A ARTE EUROPEIA NAS COLEÇÕES PARTICULARES DO RIO DE JANEIRO. Esculturas de Rodin e Modigliani, pinturas de Chagall e Kandinsky e objetos antigos da cultura greco-romana são alguns dos tesouros da mostra, com cerca de setenta obras pertencentes a vinte importantes acervos, a exemplo das coleções Roberto Marinho e Geneviève e Jean Boghici. Entre os destaques da coletiva, com curadoria assinada por Romaric Büel, está um exemplar de bronze da escultura O Beijo, de Rodin. Trata-se de uma das primeiras fundições em pequena escala, de 1900, de uma das mais icônicas criações do artista francês. Também merecem atenção Busto de Coco, pintura de Pirre-Auguste Renoir, Bicho em Fundo Preto, de 1940, guache de Wassily Kandinsky, e Cabeça de um Executor, óleo sobre madeira de Hieronymus Bosch. Centro Cultural Correios ? Salão do 3º Andar. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. → Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 13 de novembro. www.correios.com.br.

✪✪✪ PULSO IRANIANO. Coletiva de fotografias, vídeos e poesias produzidos por 24 artistas contemporâneos nascidos no Irã, cuja produção já circula pela Europa e pelos Estados Unidos. Entre os destaques do acervo, selecionado por Marc Pottier, ex-adido cultural da França no Brasil, estão as imagens realizadas pelas fotógrafas Shadi Ghadirian e Shirin Neshat, além do performático Peyman Hooshmandzadeh ? ele faz autorretratos de cabeça para baixo em espaços urbanos na série Up Side Down. Há também projeções de quatro filmes com duração média de cinquenta minutos, a exemplo de Shirin (2009), uma história de amor à moda de Romeu e Julieta dirigida pelo premiado cineasta Abbas Kiarostami. Oi Futuro Flamengo. Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060, ? Largo do Machado. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Até dia 30. www.oifuturo.org.br.

✪✪✪ FOTOGRAFIAS - COLEÇÃO JOA­QUIM PAIVA. Coletiva com 134 obras de 69 artistas estrangeiros, pertencentes à coleção Joaquim Paiva, cedida em comodato ao MAM desde 2005. Os curadores, Luiz Camillo Osório e o próprio Paiva, diplomata e estudioso da fotografia, selecionaram trabalhos de nomes como a alemã Grete Stern (1904-1999), o peruano Martín Chambi (1891-1973) e os americanos Diane Arbus (1923-1971) e Ansel Adams (1902-1984). Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 2240-4944. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 19h. R$ 8,00. A bilheteria fecha meia hora antes. Pessoas com mais de 60 anos pagam R$ 4,00. Grátis para amigos do MAM e menores de 12 anos. Aos domingos vigora o ingresso-família: pagam-se R$ 8,00 por grupo. Estac. (R$ 3,00 por uma hora). Até dia 23. www.mamrio.com.br.

✪✪✪ RENAN CEPEDA. Vítima de criações publicitárias de gosto duvidoso, a técnica de light painting vem sendo reabilitada pelo fotógrafo carioca há pouco mais de uma década. No registro noturno de paisagens, ele prolonga o tempo de exposição de suas câmeras Rolleiflex e Linhof, fabricadas nos anos 50, e, com a ajuda de lanternas e laser, pinta de luz e cor os cenários enquadrados. Foram produzidas dessa forma as imagens dos projetos Night Paintings, de casas simples do interior do Brasil, e Puna, realizado no Peru. Na nova individual, Knight Paintings, em cartaz na Galeria Tempo, em Copacabana, Cepeda exibe 22 trabalhos. As ampliações trazem surpreendentes imagens do altiplano da região de Castela e Leão, na Espanha ? repleta de construções medievais, muitas em ruínas. O efeito pictórico das obras é evidente nos exemplares de grandes formatos, como o Castelo de Villalonso, do século XIII, retratado ao amanhecer. Galeria Tempo. Avenida Atlântica, 1782, loja E, Copacabana, ☎ 2255-4586. Terça a sábado, 11h às 19h. Grátis. Até dia 31. www.galeriatempo.com.br.

Fonte: VEJA RIO