DIVERSÃO

É de graça

Confira 32 atrações gratuitas para aproveitar o fim de semana sem gastar dinheiro

- Atualizado em

FESTAS

DISRITMIA. A festa que acontece mensalmente nas tardes de sábado chega à última edição da temporada de verão. Comandado pela DJ Lili Prohmann, o evento une o melhor da música brasileira ao visual do pôr do sol na Pedra do Leme. O repertório vai desde clássicos da MPB à novas descobertas no cenário da música regional brasileira. O VJ AnimaFoto compõe o cenário com projeções. Pedra do Leme. Av. Atlântica, Praça Almirante Júlio de Noronha. Sábado (23), a partir das 16h. Grátis. Em caso de chuva, o evento será adiado.

disritmia.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

CRIANÇAS

CLUBINHO DO JACK. Em comemoração ao Dia do Circo, comemorado em 27 de março, o Center Shopping promove show do mágico e ventríloquo, Siskini. Além da apresentação, há ainda oficinas de colorir e maquiagem. O evento acontece todos os domingos, na praça de alimentação. Center Shopping. Av. Geremário Dantas, 404, Jacarepaguá. ☎?3312-5001. Domingo (24), 13h às 15h. Grátis. www.facebook.com/center.rio

ESPECIAL

FESTIVAL FRANÇAH! CULTURE ET GASTRONOMIE. Gastronomia e cultura de diversas regiões da França inspiram o evento. Cerca de vinte expositores venderão produtos como vinhos, champanhes, queijos, pães, trufas, temperos e embutidos. A programação inclui leitura de poe-

mas, exibição de filme, palestras e debates. Shopping Leblon. Avenida Afrânio de Melo Franco, Leblon, ☎ 2430-5122. Terça (19) a domingo (24), 16h às 21h30. Grátis. Estac (R$ 9,00 por duas horas). www.shoppingleblon.com.br.

HISTÓRIA DA ARTE. Um seminário celebra a reedição do livro Belas Artes: Estudos e Apreciações (Editora Zouk, 306 págs., R$ 49,00), do crítico de arte Félix Ferreira (1841-1898). Na ocasião, o pesquisador Tadeu Chiarelli, o editor Alexandre Dias Ramos e as professoras Ângela Âncora da Luz e Sônia Gomes Pereira vão falar sobre a pioneira obra, publicada em 1885. Quem for ao encontro será contemplado com um exemplar do livro. Escola de Artes Visuais do Parque Lage ? Salão Nobre (100 lugares). Rua Jardim Botânico, 414, Jardim Botânico, ☎?3257-1800. Sexta (22), 17h. Grátis.

MEGA GESTANTE E BEBÊ. Cerca de 300 expositores apresentam seus produtos na grande feira dedicada a mães e recém-nascidos. Os descontos podem chegar a 70%. Riocentro ? Pavilhão II. Avenida Salvador Allende, 6555, Jacarepaguá, ☎?2490-2293. Terça (19) a domingo (24), 14h às 22h. Grátis.

DANÇA

ENQUANTO A BANDA PASSAR, de Edney D?Conti, Luna Ornelas e Sérgio Lobato. A companhia Dançar a Vida leva ao palco dezesseis bailarinos para interpretar músicas do cantor e compositor Chico Buarque. No repertório estão composições como Mambembe e Tanto Amar. Direção de Nelma Darzi e Rodrigo Cabral (90min). Livre. Arena Carioca Jovelina Pérola Negra (330 lugares). Praça Ênio, s/nº, Pavuna, ☎?2886-3889. Sexta (22), 15h e 20h. Grátis. Senhas distribuídas uma hora antes.

CONCERTOS

FRANCISCO PELLEGRINI. Próxima atração do programa Sala de Concerto, da Rádio MEC, gravado ao vivo e aberto ao público, o pianista apresenta obras de Ernesto Nazareth, como Bambino, Escorregando e Confidências. Rádio MEC ? Estúdio Sinfônico Maestro Alceu Bocchino (70 lugares). Praça da República, 141-A, Centro, ☎ 2117-7853, ? Central. Sexta (22), 17h. Grátis.

CINEMA

MOSTRA DO FILME LIVRE. Confira a programação em www.mostradofilmelivre.com. Grátis. Senhas distribuídas uma hora antes de cada sessão. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎?3808-2020. www.bb.com.br/cultura.

EXPOSIÇÕES

COR MATÉRIA. A exposição reúne obras de diferentes cores, texturas e formatos de sete artistas da Almacén Galeria de Arte, uma das mais tradicionais no mercado de arte contemporânea da cidade. Entre os artistas que estarão na mostra, que tem curadoria de Alexandre Murucci, estão Walter Goldfarb, Luiz Badia, Cássio Lázaro e Wagdy Radwan. Almacén Galeria de Arte. Av. Ayrton Senna, 2150, bloco G, lojas F e M, CasaShopping, Barra da Tijuca. ☎?3325-3322. Segunda, 12h às 22h; Terça a sábado, 10h às 22h; Domingo, 15h às 21h. Grátis. Até 20 de abril. www.almacen.com.br

cor-materia.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

CANTOS CUENTOS COLOMBIANOS. Criada em 2000 pela bilionária suíça Ruth Schmidheiny, a Daros Latinamerica é considerada uma das mais diversificadas coleções de arte latino-americana na Europa: já ultrapassa a marca de 1 000 trabalhos de aproximadamente 120 criadores. Guardadas em Zurique, as obras vêm sendo reunidas em mostras realizadas em diversas cidades do planeta, a exemplo de Sydney, Dublin, Vancouver, Nova York, Madri, Bogotá, Montevidéu e São Paulo. Até agora, porém, o acervo nunca havia tido um espaço fixo para exibição fora da Suíça ? realidade que muda a partir de sábado (23), com a inauguração, em Botafogo, da Casa Daros. Instalada em um casarão de estilo neoclássico, construído em 1866 e inteiramente reformado, a instituição abre as portas com Cantos Cuentos Colombianos. A curadoria é do alemão Hans-Michael Herzog, braço-direito de Ruth e diretor artístico da coleção. A mostra que vem ao Rio já foi montada no suíço Daros Museum, hoje fechado, mas dividida em duas partes ? a primeira foi apresentada em 2004 e a outra no ano seguinte. Estão reunidos dez dos melhores artistas da atual cena colombiana. São 75 obras, entre fotografias, instalações, vídeos, impressões, objetos e esculturas. Conhecido por representar ícones da cultura pop em esculturas no estilo da arte pré-colombiana, Nadín Ospina comparece com duas criações nessa linha, brincando com personagens de Walt Disney: Barriguda (2001), uma Minnie de cerâmica, e Chacmool (2000-2003), um Pateta de pedra. Autora de peças no acervo de Inhotim, importante centro de arte contemporânea em Brumadinho, Minas Gerais, Doris Salcedo apresenta um trabalho sem título, de 1998, um curioso armário cheio de concreto, enquanto Fernando Arias exibe Lego Coffin (Homage to the Children of the Drug War), de 2000, um caixão composto de peças de Lego. Os demais artistas são José Alejandro Restrepo, Juan Manuel Echavarría, Maria Fernanda Cardoso, Miguel Ángel Rojas, Oscar Muñoz, Oswaldo Macià e Rosemberg Sandoval. Boa-nova: a entrada será gratuita até 14 de abril. Casa Daros. Rua General Severiano, 159, Botafogo, ☎?2275-0246. Quarta a sábado, 12h às 20h; domingo, 12h às 18h. Grátis até 14 de abril. A partir de 15 de abril: R$ 12,00. Grátis para crianças de até 12 anos e às quartas. Meia-entrada para idosos e estudantes com mais de 12 anos. A bilheteria fecha meia hora antes do término do horário de visitação. Até 24 de agosto. A partir de sábado (23). www.casadaros.net.

LASAR SEGALL. Um dos mais importantes nomes do modernismo brasileiro, Lasar Segall (1891-1957) tem 61 obras reunidas em Percursos no Papel. Como sugere o nome, todos os trabalhos têm o papel como suporte: são desenhos, aquarelas, guaches e gravuras em diversas técnicas, como xilogravura, ponta-seca, água-forte e litogravura. Curadoria de Adrienne Firmo. Caixa Cultural ? Galeria 4. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 3980-3815, ? Carioca. Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis. Até 28 de abril. A partir de terça (19). www.caixacultural.com.br.

A ORIGEM DE TUDO. Compõem a coletiva cerca de trinta obras recentes de três artistas contemporâneos: Jeanete Musatti, Nazareth Pacheco e Walmor Corrêa. Fotografias, objetos e pequenas instalações estão no acervo. Preços sob consulta. Luciana Caravello Arte Contemporânea. Rua Barão de Jaguaripe, 387, Ipanema, ☎ 2523-4696. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 14h. Grátis. Até 16 de abril. A partir de quinta (21). www.lucianacaravello.com.br.

RUBEM GRILO. Mineiro radicado no Rio, um dos maiores gravadores brasileiros ganha retrospectiva, batizada de A Trajetória do Artista. A seleção reúne 123 xilogravuras produzidas desde os anos 70. Museu Nacional de Belas Artes. Avenida Rio Branco, 199, Centro, ☎ 2219-8474, ? Cinelândia. → Terça a sexta, 10h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 17h. Grátis. Até 5 de maio. A partir de quarta (20). www.mnba.gov.br.

VINÍCIUS S.A. Em Lágrimas de São Pedro, o artista baiano exibe uma única instalação. A obra é formada por 6 000 lâmpadas cheias d?água, presas ao teto e pendendo de diferentes alturas. Ao entrar no ambiente, o visitante tem a sensação de estar em meio a uma chuva. Caixa Cultural ? Galeria 1. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 3980-3815, ? Carioca. Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis. Até 5 de maio. A partir de terça (19). www.caixacultural.com.br.

ZEZÃO. Egresso da arte de rua, onde se destacou como grafiteiro, o paulistano apresenta a individual Lembranças de um Passado Adormecido, com curadoria de Vanda Klabin. São exibidas doze obras em técnicas variadas que têm

em comum o uso do grafite. R$ 5 000,00 a R$ 30 000,00. Athena Contemporânea. Avenida Atlântica, 4240 (Shopping Cassino Atlântico), lojas 210 e 211, ☎ 2513-0239. Segunda a sexta, 11h às 19h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até 27 de abril. A partir de sexta (22).

EXPOSIÇÃO DE VERÃO. Criada em 2004, a coletiva costuma apresentar ao público nomes com credenciais para despontar na cena contemporânea. Em sua décima edição, dez participantes passaram pelo crivo da curadora Luisa Duarte. Pela primeira vez, as apostas da casa dividem espaço com criadores que já ostentam sólidas carreiras. Neste grupo estão Cinthia Marcelle, Laercio Redondo, Marcius Galan, Pedro Motta, Sara Ramo e Marilá Dardot ? esta a única que nunca participou da Exposição de Verão. Quatro artistas integram a ala dos jovens promissores: Adriano Costa, Clara Ianni, Regina Parra e Jimson Vilela. O acervo apresentado mistura colagens, esculturas, pinturas, fotografias, vídeos e instalações. Galeria Silvia Cintra + Box 4. Rua das Acácias, 104, Gávea, ☎ 2521-0426. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até sexta (22). www.silviacintra.com.br.

✪✪✪?CLEMENTINA DUARTE. A mostra apresenta joias criadas pela artista desde os anos 60. Sob curadoria de Denise Mattar, foram selecionadas noventa peças confeccionadas em ouro e prata com diamantes, pérolas, ônix, águas-marinhas e topázios, entre outras pedras preciosas brasileiras. Algumas joias apresentam curvas inspiradas na arquitetura de Oscar Niemeyer (1907-2012). Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. →?Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até 14 de abril.

CONVITE À VIAGEM ? RUMOS ARTES VISUAIS 2012/2013. Resultado do mais recente edital do programa do Instituto Itaú Cultural para artes visuais, a coletiva reúne 108 obras de 45 artistas de todas as regiões do país. Pintura, fotografia, vídeo e instalação são algumas das técnicas apresentadas. Curadoria de Agnaldo Farias. Paço Imperial. Praça XV de Novembro, 48, Centro, ☎ 2215-2093. Terça a domingo, 12h às 18h. Grátis. Até 19 de maio. www.pacoimperial.com.br.

DENIS COSAC. Aos 28 anos, o carioca já expôs seu trabalho no Carrousel du Louvre, galeria no subsolo do mais famoso museu de Paris. Nesta individual, ele apresenta treze obras: uma instalação e o restante grafismos e acrílicas sobre tela. R$ 800,00 a R$ 8 000,00. Tramas Galeria de Arte. Avenida Atlântica, 4240 (Shopping Cassino Atlântico), loja 219, ☎ 2287-2036. Segunda a sábado, 11h às 18h. Grátis. Até 13 de abril.

✪✪✪?EDUARDO BERLINER. Novo ocupante da Sala A Contemporânea, o carioca Berliner apresenta cerca de trinta criações figurativas de dimensões variadas. Há desenhos em técnica mista, aquarelas e óleos sobre tela, além de duas esculturas e dois vídeos. Para além das cenas retratadas ? na verdade, fragmentos de situações ora cotidianas, por vezes surrealistas e até violentas ?, a montagem chama atenção: os trabalhos ocupam a maior parte das quatro paredes do espaço, sem gradação de importância a definir as posições, o que estimula o público a criar seu próprio percurso de visitação e buscar uma narrativa nas inúmeras associações possíveis entre as obras expostas. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. → Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até dia 31.

FIFI TONG. Gaúcha radicada em São Paulo, a fotógrafa se dedicou durante quinze anos a clicar famílias formadas por imigrantes estrangeiros e seus descendentes no Brasil. No projeto Origens, Fifi exibe 31 registros, incluindo um em que ela própria, de ascendência chinesa, aparece com a mãe, a avó e a filha. Espaço Furnas Cultural. Rua Real Grandeza, 219, Botafogo, ☎ 2528-3112. Terça a sexta, 14h às 18h; sábado, domingo e feriados, 14h às 19h. Grátis. Até 5 de maio.

FOTOLIVROS LATINO-AMERICANOS. Com curadoria de Horacio Fernández, historiador e professor na Facultad de Bellas Artes de Cuenca, na Espanha, a mostra apresenta livros de fotografia da América Latina publicados desde os anos 1920. São 66 títulos, além de 119 fotos e dez vídeos produzidos a partir dos registros dos livros. Instituto Moreira Salles. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, ☎ 3284-7400. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Estac. grátis. Visitas guiadas de terça a sexta, às 17h. Até 16 de junho.

✪✪✪?IVAN SERPA. Um dos grandes representantes do movimento concretista brasileiro, Serpa (1923-1973) tem 97 criações reunidas na exposição, realizada com curadoria de outro artista: Adriano de Aquino. O estilo geométrico que lhe deu fama está presente na seleção, mas a ideia da mostra ? louvável, diga-se ? é oferecer um acervo mais abrangente. Assim, são exibidos também alguns trabalhos figurativos na coleção de telas e desenhos, incluindo naturezas-mortas do início de sua carreira. Chama atenção uma obra inacabada de 1973, na qual é possível tentar antever a ideia final do artista. É só uma pena que na montagem não tenha havido qualquer preocupação de situar o visitante, contextualizando a carreira de Serpa e sua importância para a arte brasileira. Caixa Cultural ? Galeria 2. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 3980-3815, ? Carioca. Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis. Até 28 de abril. www.caixacultural.com.br.

✪✪✪?JAN BANNING. Nascido na Holanda, o premiado fotógrafo estudou história econômica e social ? disciplina que deci­didamente influenciou seu trabalho. Um de seus projetos, Bureaucratics, reú­ne uma série de imagens de repartições de oito países: Bolívia, China, França, Índia, Libéria, Rússia, Iêmen e Estados Unidos. A empreitada deu origem a um livro e uma exposição itinerante, atualmente no Centro Cultural Justiça Federal. Ao reunir as 39 fotos, tiradas da perspectiva de quem chega para consultar o funcionário, Banning estabelece uma refinada comparação entre símbolos da burocracia ? e, por vezes, da cultura de forma mais ampla ? nos cinco continentes. Seus retratos são plenos de significados, como demonstra o registro feito no escritório do Ministério dos Dízimos e Esmolas da cidade de Al-Mahwit, no Iêmen, onde trabalha a mulher inteiramente coberta por uma burca. Saiba mais na coluna Exposições. Centro Cultural Justiça Federal. Avenida Rio Branco, 241, Centro, ☎ 3261-2550, ? Cinelândia. Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até dia 31.

LAERCIO REDONDO. Em Contos sem Reis, o artista promove um diálogo com a história e a arquitetura da Casa França-Brasil. No salão central está a obra Ponto Cego, uma construção de madeira de 12 metros de largura por 4 de altura na qual se lê a palavra "revolver" (no sentido de investigar ou examinar). Uma das salas laterais abriga três trabalhos inéditos nos quais Redondo se apropria de imagens do livro Viagem Pitoresca e Histórica ao Brasil, de Jean-Baptiste Debret (1768-1848). Por fim, a escultura sonora Carmen Miranda ? Uma Ópera da Imagem aborda a imagem da cantora luso-brasileira. Casa França-Brasil. Rua Visconde de Itaboraí, 78, Centro, ☎ 2332-5120. Terça a domingo, 10h às 20h. Grátis. Até 5 de maio.

LUGAR NENHUM. Ana Prata, Celina Yamauchi, Lina Kim, Luiza Baldan, Marina Rheingantz, Rodrigo Andrade, Rubens Mano e Sofia Borges são os oito artistas contemporâneos brasileiros que integram a coletiva. O acervo conta com 56 obras, entre pinturas e fotografias que evocam lugares vazios. Curadoria de Lorenzo Mammì e Heloisa Espada. Instituto Moreira Salles. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, ☎ 3284-7400. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Estac. grátis. Visitas guiadas de terça a sexta, às 17h. Até 2 de junho.

A MÃO LIVRE DE LUIZ CARLOS RIP-PER. Um dos grandes cenógrafos e figurinistas do teatro e do cinema brasileiros, o carioca Ripper (1943-1996) tem sua trajetória celebrada nesta exposição, montada sob a curadoria de Lidia Kosovski. O acervo reúne cerca de 200 desenhos, croquis e escritos, apresentados em originais, reproduções e imagens projetadas, além de reconstruções de cenários em maquetes, fotos de cena e fragmentos de filmes que contaram com a sua participação. Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎?2253-1580. →?Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 21 de abril. www.correios.com.br.

MARIA LYNCH. Nascida em 1981, a carioca é uma das mais destacadas artistas de sua geração. Na individual Acontecimento Encarnado ela reúne dez pinturas em grandes dimensões, duas em formato menor, uma instalação e um vídeo. A partir de R$ 22 000,00. Anita Schwartz Galeria de Arte. Rua José Roberto Macedo Soares, 30, Gávea, ☎ 2274-3873 e 2540-6446. Segunda a sexta, 10h às 20h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até 20 de abril.

MARTA JOURDAN. Na maior individual de sua carreira, a artista exibe uma série de esculturas cinéticas e um filme. Toda a produção é recente, feita entre 2008 e 2012, e os trabalhos têm alguma ligação com líquidos ? água, óleo e até estanho derretido. Galeria Laura Alvim. Avenida Vieira Souto, 176, Ipanema, ☎ 2332-2017. Terça a domingo, 13h às 21h. Grátis. Até 28 de abril.

✪✪✪?MOVIE-SE: NO TEMPO DA ANIMAÇÃO. Idealizada pelo Barbican Centre, prestigiada instituição londrina, a mostra reúne mais de 100 filmes de vários estilos, épocas e nacionalidades. Há produções históricas, como A Música (1903), de Georges Méliès, na qual a cabeça do pioneiro realizador é magicamente arremessada contra uma partitura. Betty Boop, Zé Colmeia, Pernalonga e Branca de Neve dividem espaço com animações japonesas, a exemplo de Akira, de Katsushiro Otomo, e filmes que só existem graças a animadores, como Jurassic Park. Entre as surpresas, Vincent (1982), curta de Tim Burton, expõe o estilo soturno que viria a se tornar marca registrada do diretor do recente Frankenweenie. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até 7 de abril.

✪✪✪✪?UM OLHAR SOBRE O BRASIL. Com cerca de 300 fotografias, a mostra abarca quase dois séculos de Brasil, de 1833 a 2003. Para contar tanta história, personagens conhecidos e anônimos dividem espaço nos retratos. Em uma das salas se concentra o material mais antigo ? há poses tanto de dom Pedro II quanto de tipos simples, mas expressivos, a exemplo do vendedor de vassouras imortalizado por Marc Ferrez em 1899. A foto como documento revela cenas da Guerra de Canudos, no alvorecer da República, da construção de Brasília e da repressão política durante a ditadura militar, entre outros momentos. Multiplicam-se no acervo nomes representativos dos mais variados campos de atuação. A lista vai do presidente Getúlio Vargas ao compositor Chico Buarque, passando por Lampião, o cangaceiro, e Leônidas da Silva, o craque da bola, além de Assis Chateaubriand e Adolpho Bloch ? barões da imprensa reunidos em um belo flagrante de Luiz Carlos Barreto. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. → Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até 7 de abril.

DEBATE. Organizado pela Revista de História da Biblioteca Nacional, o encontro joga luz sobre o tema Guerrilheiros: Armas contra a Ditadura. Participam do debate, mediado pelo pesquisador Marcello Scarrone, o historiador Daniel Aarão Reis, da Universidade Federal Fluminense (UFF), e o ex-guerrilheiro Carlos Eugênio Paz. Biblioteca Nacional ? Auditório Machado de Assis (120 lugares). Rua México, s/nº, Centro, ☎?2220-4300. Terça (19), 16h. Grátis. Distribuição de senhas uma hora antes.

Fonte: VEJA RIO