DIVERSÃO

É de graça

Confira 26 atrações para curtir o fim de semana sem gastar dinheiro

- Atualizado em

NOITE

ALEGRIA SEM RESSACA. Criado há dez anos pela Associação Brasileira de Alcoolismo e Drogas, para levantar a bandeira do Carnaval sem o abuso de álcool e outras substâncias, o bloco traz à frente da banda o cantor Eduardo Dussek e seu vasto repertório de marchinhas. Completa a folia a Velha Guarda da Vila Isabel. A distribuição das camisetas do cordão é gratuita. Posto 6. Avenida Atlântica (altura da Rua República do Peru), ☎?3325-2323 (distribuição de camisetas). Domingo (3), 9h. Grátis.

dussek1.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

CRIANÇAS

FÉRIAS NO CCBB. No último dia da programação, os horários de 10h, 14h e 18h destinam-se a oficinas de arte para crianças de mais de 6 anos: os participantes vão compor, coletivamente, planos de paisagem com recortes. Às 15h, a criançada de 3 a 6 anos será apresentada, através da exibição de réplicas de obras expostas na instituição ao longo dos últimos anos, aos elementos que compõem uma criação artística. Às 13h, o público com mais de 5 anos vai trabalhar as diferentes sonoridades de músicas populares. Trinta educadores ficam à disposição da garotada. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2070. Domingo (3). Grátis. Distribuição de senhas trinta minutos antes.

AI!!! O GRITO DE CARNAVAL DOS IRMÃOS BROTHERS, de Fábio Florentino. O espetáculo é dividido em duas partes: a primeira é o musical propriamente dito, que conta a história do Carnaval por meio de marchinhas e números circenses. Depois, a trupe comanda um baile para os pequenos foliões. O repertório inclui marchinhas autorais, além de clássicos apresentados na primeira parte, como Chiquita Bacana e Cidade Maravilhosa. Quem preferir poderá chegar apenas para o baile. Direção de Alberto Magalhães (45min de espetáculo e 45min de baile). Rec. a partir de 4 anos. Reestreou em 12/1/2013. Parque das Ruínas (75 lugares). Rua Murtinho Nobre, 169, Santa Teresa, ☎ 2224-3922. Sábado, 17h. Grátis. Até sábado (2).

✪✪✪✪?A VIAGEM DE CLARINHA, de Maria Clara Machado (1921-2001). Leia em Veja Rio Recomenda (pág. 6). Direção de Cacá Mourthé e Symone Strobel (60min). Rec. a partir de 3 anos. Estreou em 17/1/2013. Galpão das Artes do Espaço Tom Jobim (100 pessoas). Rua Jardim Botânico, 1008, Jardim Botânico, ☎ 2274-7012. Quinta a domingo, 11h e 17h30. Grátis (qui. e sex.). Distribuição de senhas uma hora antes. R$ 40,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 10h (qui. a dom.). Até domingo (3).

TEATRO

BANDEIRA DE RETALHOS, de Sérgio Ricardo. Dez anos após montar o espetáculo Noites do Vidigal, o Grupo Nós do Morro volta a retratar o lugar onde está sediado neste musical, que estreou em 2012. Um elenco de 21 atores, formados nas oficinas da trupe, encena a peça escrita em 1979 pelo compositor Sérgio Ricardo, também autor das canções apresentadas. Ambientada na década de 70, a trama explora o momento em que o clima ameno que envolvia o morro foi quebrado pela violência e pela tentativa de remoção. Direção de Guti Fraga e Fátima Domingues (105min). 16 anos. Reestreou em 8/1/2013. Casarão do Nós do Morro (80 lugares). Rua Doutor Olinto de Magalhães, 54, Vidigal, ☎ 3874-9411/9412. → Terça, 21h. Grátis. Até 5 de fevereiro.

CONCERTOS

CORAL DA ESCOLA DE MÚSICA DA UFRJ. Sob regência de Maria José Chevitarese, e com acompanhamento do pianista Roberto Monteiro, o grupo interpreta obras de Padre José Mauricio Nunes Garcia (Gloria in excelsis Deo), Ernani Aguiar (Aleluia), Joseph Martin (A festive Psalm, Without His Cross e Toccata of Praise), Mark Lowry e Buddy Greene (Mary, did you know?), Mary Lightfoot (A Joyful Song), Otilio Galindez (Caramba) e Craig Curry (Ezekiel Went Walkin?). Escola de Música da UFRJ ? Salão Leopoldo Miguez (200 lugares). Rua do Passeio, 98, Lapa, ☎ 2240-1391. ? Cinelândia. Quarta (30), 18h. Grátis. Senhas distribuídas meia hora antes.

ENSEMBLE DE CONTRABAIXOS GRAVÍSSIMO. Formado por Lise Bastos, Tarcisio Silva, Augusto Mattoso e Lipe Portinho, o conjunto se apresenta, pelo projeto Música no Museu, ao lado da pianista Ana Azevedo e do percussionista Andre Tandeta. O repertório será dedicado a Astor Piazzolla. Centro Cultural Banco do Brasil ? Tea¬tro II (155 lugares). Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Quarta (30), 12h30. Grátis. Senhas distribuídas meia hora antes.

EXPOSIÇÕES

EDUARDO SUED. Aos 88 anos, o artista carioca apresenta uma individual de colagens e objetos. Entre as primeiras, doze no total, onze delas inéditas, impera uma rica variedade de cores. Cinco peças de madeira sem título, produzidas entre 2010 e 2011, completam o acervo. R$ 12 000,00 a R$ 14 000,00. Mul.ti.plo Espaço Arte. Rua Dias Ferreira, 417, sala 206, Leblon, ☎ 2259-1952. Segunda a sexta, 10h às 18h30; sábado, 10h às 14h. Grátis. Até 16 de março. A partir de quinta (31). www.multiploespacoarte.com.br.

✪✪✪?EMMANUEL NASSAR. Nascido no Pará, o artista de 63 anos e mais de três décadas de carreira transporta um bocado dos coloridos encantos de sua terra natal para as 55 obras da individual Este Norte. No acervo há fotos, desenhos, bandeiras de tecido e pinturas sobre suportes diversos ? às vezes vários desses elementos em um mesmo trabalho. Composição de imagens, FotoGambiarra, de 2011, escancara em 3,20 metros quadrados algumas aplicações práticas daquele jeitinho que move o país. Fonte de inspiração, o universo popular une-se à história da arte nas criações de Nassar. Essa fusão calculada levou à criação de imagens instigantes como Mãodrian (1995), homenagem ao pintor holandês Piet Mondrian (1872-1944). Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica. Rua Luís de Camões, 68, Centro, ☎?2232-4213 e 2242-1012. Terça a sexta, 11h às 18h; sábado, domingo e feriados, 11h às 17h. Grátis. Até domingo (3).

✪✪✪?HENRIQUE OLIVEIRA. Com curadoria de Vanda Klabin, o paulista de 39 anos, há pouco mais de uma década em atividade, apresenta a maior individual de sua carreira. Entre os trabalhos, criados a partir de 2008, são exibidas oito pinturas de cores vibrantes que se assemelham a colagens, a exemplo da acrílica sobre tela Abismo Azul (2010). Completam a mostra cinco esculturas produzidas com lascas de compensado flexível descartado de tapumes de obras urbanas, fixadas com parafusos e pintadas com tinta acrílica, como a monumental Xilempasto 2 (2010). Essas últimas são a parte mais interessante do acervo. Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica. Rua Luís de Camões, 68, Centro, ☎ 2232-4213 e 2242-1012. Terça a sexta, 11h às 18h; sábado, domingo e feriados, 11h às 17h. Grátis. Até domingo (3).

arte.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

✪✪✪ ACERVO SILVIA CINTRA + BOX 4. Marchande de alguns dos mais importantes nomes da arte contemporânea brasileira, Silvia Cintra tirou de seu acervo uma expressiva seleção de obras. São quinze trabalhos de treze artistas. O time escalado inclui gente do calibre de Leda Catunda, Daniel Senise, Lucia Koch e Amílcar de Castro. As técnicas variam. Há pinturas, a exemplo da criação figurativa de Maria Klabin, uma praia apresentada em tons soturnos, e da abstração de Carlito Carvalhosa, de azul esfuziante sobre alumínio. O fotógrafo Miguel Rio Branco comparece com o belo tríptico Maria, usando a atriz Mariana Ximenes como modelo. Aos 81 anos recém-completados, Nelson Leirner encarrega-se do humor jovial, inocente só na aparência, com a foto de um mapa-múndi lotado de adesivos de Mickey, Minnie, Hello Kitty, Papai Noel e caveiras. R$ 15 000,00 a R$ 130 000,00. Galeria Silvia Cintra + Box 4. Rua das Acácias, 104, Gávea, ☎ 2521-0426. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até 16 de fevereiro. www.silviacintra.com.br.

✪✪✪✪ ANNA MARIA NIEMEYER ? UM CAMINHO. Tributo à galerista morta em 2012, a mostra revela sua importância para as artes brasileiras através de um acervo rico. Foram reunidas 300 peças, entre documentos, fotos e 180 obras de 58 artistas. Estão lá nomes lançados por ela, a exemplo de Jorge Guinle (1947-1987), autor de sete telas, inclusive a monumental Aquário (1983), Victor Arruda, Jorge Duarte e Beatriz Milhazes, presente com seis de suas hoje cobiçadas criações. De seu pai, o arquiteto Oscar Niemeyer (1907-2012), há um singelo retrato da filha ainda bebê e móveis feitos pelos dois para construções de Brasília como o Palácio da Alvorada. Paço Imperial. Praça XV de Novembro, 48, Centro, ☎?2215-2093. Terça a domingo, 12h às 18h. Grátis. Até 17 de fevereiro. www.pacoimperial.com.br.

CAROLINA MARTINEZ. Com Às Avessas, a artista ocupa o anexo da galeria. As obras apresentadas são janelas que ela trabalhou de forma a criar um ambiente em que paisagem e casa se misturam. R$ 1 500,00 a R$ 4 000,00. Galeria Laura Marsiaj. Rua Teixeira de Melo, 31-C, Ipanema, ☎ 2513-2074. Terça a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 16h. Grátis. Até 28 de fevereiro.

✪✪✪?CINTHIA MARCELLE. Premiada no Brasil e no exterior, a mineira é a primeira atração do ano na Sala A Contemporânea, espaço no CCBB dedicado a artistas brasileiros emergentes. Em Zona Temporária, ela reúne dez vitrines com molduras de alumínio, vedadas com papéis de cores variadas, como branco, cinza, pardo, laranja e rosa. A estética de vitrines de estabelecimentos desativados em centros urbanos inspirou a artista, que aqui evoca um diálogo com a arte neoconcreta. Um vídeo inédito, intitulado Automóvel, inspirado no mito grego de Sísifo, completa o acervo. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. → Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até 17 de fevereiro.

GALERIA DE ARTE BRASILEIRA MODERNA E CONTEMPORÂNEA. Depois de passar por reformas em 2012, o espaço do Museu Nacional de Belas Artes foi devolvido ao público. O número de trabalhos aumentou: agora são 205 obras, assinadas por 170 artistas. Foram incluídas peças como o óleo Retrato de Yedda Schmidt, de Portinari, e gravuras de Fayga Ostrower. Museu Nacional de Belas Artes. Avenida Rio Branco, 199, Centro, ☎ 2219-8474, ? Cinelândia. → Terça a sexta, 10h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 17h. Grátis. www.mnba.gov.br.

HILDEBRANDO DE CASTRO. Nascido em Olinda, atualmente vivendo em São Paulo, o artista pernambucano apresenta sessenta obras produzidas entre 1990 e 2012. A seleção de Ilusões do Real, a cargo da curadora Denise Mattar, inclui trabalhos em pastel, óleo e acrílica. Caixa Cultural ? Galeria 3. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎?3980-3815, ??Carioca. Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis. Até 24 de fevereiro. www.caixacultural.com.br.

IRMÃOS CAMPANA. Um ano após exibir uma coleção de onze cadeiras dos irmãos Humberto e Fernando Campana em sua galeria, a marchande Luciana Caravello volta a homenagear a dupla, famosa pela criação de objetos utilitários que fundem design e arte. Em Trançando o Real, o curador Waldick Jatobá fez uma enxuta seleção de dez peças nunca antes mostradas no Rio. Todas têm em comum o uso do vime, material que consagrou os irmãos na Design Miami de 2008. Luciana Caravello Arte Contemporânea. Rua Barão de Jaguaripe, 387, Ipanema, ☎ 2523-4696. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 14h. Grátis. Até 22 de fevereiro. www.lucianacaravello.com.br.

JOANA CESAR. A Athena Contemporânea começa o ano com o projeto Ocupa-se, no qual convida artistas a apresentarem um lado mais conceitual de suas pesquisas, incluindo seus processos de trabalho, sem preocupação comercial ? as obras não estão à venda. Na abertura, Joana Cesar leva ao espaço o site specific Voragem, instalação com nichos de concreto que parecem surgir do chão da galeria, sobre os quais repousam dois corpos. Toda a obra foi construída com objetos pessoais de Joana: entre outros, há páginas de diários, pedaços de uma outra criação quebrada e um baralho que ganhou de presente na adolescência. Um vídeo revela o processo de realização do trabalho. Athena Contemporânea. Avenida Atlântica, 4240 (Shopping Cassino Atlântico), lojas 210 e 211, ☎ 2513-0239. Segunda a sexta, 11h às 19h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até 23 de fevereiro.

✪✪✪?JOSÉ RUFINO. Logo ao entrar, o visitante depara com um par de enormes pés, as solas voltadas para a porta. Trata-se de uma das extremidades da monumental escultura criada pelo artista, na qual ele retrata o herói Ulisses, protagonista do clássico grego Odisseia, de Homero. Com 23 metros de comprimento por 8 de altura, a obra é feita de materiais coletados pela cidade, como madeira, pedra, ferro, concreto e cerâmica. A escultura tem um ar de navio naufragado que, de certa forma, evoca o livro de Homero. Outros dois trabalhos completam o acervo de Ulysses: a interativa Cadáver Esquisito e Ulysses Memorabilia, que traz desenhos sobre livros antigos de anatomia e mapas da cidade. Casa França-Brasil. Rua Visconde de Itaboraí, 78, Centro, ☎?2332-5120. Terça a domingo, 10h às 20h. Grátis. Até 17 de fevereiro.

✪✪✪ MARCELO MOSCHETA. Uma viagem de três semanas feita pelo artista plástico ao Ártico, em 2011, serviu como ponto de partida para a individual Norte. Foram selecionados dez trabalhos, oito deles inéditos. Alguns têm sensor de presença que faz com que luzes se acendam, a exemplo de NY Alesund (2012), construído com cinco impressões e colagem de materiais diversos em papel fotográfico, alumínio, laser e acrílico, e Ilha Elephant 24 de Abril de 1916 (2010), que reúne dois projetores de slides. Chama atenção ainda a série Notes from the Cold (2012), com desenhos de grafite sobre PVC, alumínio e acrílico que, no ambiente escuro, parecem brilhar. O barulho do mar é reproduzido na videoinstalação Maré (2009). Curadoria de Daniela Name. Paço Imperial ? Sala Terreiro do Paço. Praça XV de Novembro, 48, Centro, ☎?2215-2093. Terça a domingo, 12h às 18h. Grátis. Até 17 de fevereiro. www.pacoimperial.com.br.

MULHERES DO LAN. Conhecido como o autor de desenhos de mulheres voluptuosas, o cartunista resgatou catorze criações do seu acervo, cujas personagens foram eternizadas em estátuas de bronze de 30 centímetros de altura, numeradas e assinadas pelo artista. O responsável por transformar as ilustrações em imagens em três dimensões foi o professor de escultura Marcus André Salles. R$ 4 500,00 a R$ 5 500,00. Galeria de Arte Marly Faro. Rua Aníbal de Mendonça, 221, Ipanema, ☎ 2259-9417. Segunda a sexta, 12h30 às 19h30; sábado, 9h30 às 13h. Grátis. Até 15 de fevereiro.

PAULO CLIMACHAUSKA. O paulistano começa o ano com duas exposições. No Oi Futuro, apresenta Re-Subtrações, que reúne uma escultura de granito, oito telas de serigrafia inspiradas no verso das cartas de baralho, batizadas de Blefe, desenhos da série Modelo para Armar, baseados em um jogo de varetas, e Tac-Tic, obra composta de um relógio solar, formado por catorze painéis de fórmica, e três vídeos. Em Fluxo de Caixa, na Galeria Artur Fidalgo, ele exibe Rubik Cube, um políptico formado por seis telas, e outras quatro telas da série Catedral. Apenas as obras dessa última exposição estão à venda, a preços entre R$ 43 000,00 e R$ 92 000,00. Galeria Artur Fidalgo. Rua Siqueira Campos, 143 (Shopping dos Antiquários), 2º piso, Copacabana, ☎ 2549-6278, ? Siqueira Campos. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 10h às 14h. Grátis. Até 16 de fevereiro. www.arturfidalgo.com.br. Oi Futuro Flamengo. Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060, ? Largo do Machado. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Até 17 de março. www.oifuturo.org.br.

PAULO MEIRA. Em sua primeira mostra no Rio, o criador pernambucano apresenta um vídeo inspirado no tango La Cumparsita, sucesso na voz de Carlos Gardel. Nas imagens, um homem dança com uma peça de 1,78 metro de altura em forma de compasso. Também é exibida uma série de óleos com figuras que combinam seres humanos e animais. R$ 7 000,00 a R$ 30 000,00. Galeria Laura Marsiaj. Rua Teixeira de Melo, 31-C, Ipanema, ☎ 2513-2074. Terça a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 16h. Grátis. Até 28 de fevereiro.

A SAGRADA FAMÍLIA. Com curadoria de Romaric Büel, a exposição reúne cerca de 100 peças de arte barroca e popular que têm em comum a evocação religiosa. A seleção vai de antigas esculturas de anjos de autoria desconhecida a cerâmicas do pernambucano Zé Caboclo Filho, como aquela em que ele retrata José, Maria e Jesus em fuga para o Egito. Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 3 de março.

✪✪✪✪?WILLIAM KENTRIDGE. Artista consagrado, o sul-africano já ganhou individuais no Louvre, em Paris, e no MoMA, em Nova York. Sua notoriedade se deve em grande parte a um conjunto de vídeos ? dez até o momento, produzidos desde 1989 ? batizado de Drawing for Projection, exibido completo pela primeira vez na mostra William Kentridge: Fortuna. Quadro por quadro, ele vai filmando sutis alterações feitas em um desenho. Completam o acervo exposto 23 desenhos, outros dezessete vídeos, esculturas e gravuras. Instituto Moreira Salles. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, ☎ 3284-7400. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Estac. grátis. Visitas guiadas de terça a sexta, às 17h. Até 17 de fevereiro. www.ims.com.br.

FOTOGRAFIA

✪✪✪?FLÁVIO DAMM. Autor de imagens históricas, por mais de dez anos atuante na revista O Cruzeiro, Damm exibe um recorte original de seu acervo com mais de 60 000 negativos. Reuniu fotos feitas nas horas vagas em Flávio Damm ? Passageiro do Preto & Branco ? Fotografias ? 1946-2012. Montada sob curadoria do designer Felipe Taborda, a individual traz 85 obras em preto e branco, criadas sob luz ambiente, em andanças pelo Brasil e 74 viagens ao exterior. Caixa Cultural ? Galeria 2. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 3980-3815, ? Carioca. Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis. Até 24 de fevereiro. www.caixacultural.com.br.

Fonte: VEJA RIO