dia a dia

Direto da horta caseira!

Produzir os próprios temperos e hortaliças é possível, sim, e a saúde de toda a família agradece. Livre de agrotóxicos, o cultivo caseiro é fonte de alimento fresco, seguro e barato. Saiba, passo a passo, como fazer um canteiro charmoso e muito aromático

Por: Marcela Sanguini - Atualizado em

horta.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Qualquer espacinho pode se transformar em horta. E não é força de expressão: pequenos vasos e jardineiras (aquelas que ficam no lado externo da janela), de até 40 cm de altura e 30 cm de diâmetro, são suficientes para cultivar ervas, temperos, hortaliças e legumes.

?A única exigência é que o lugar tenha uma boa iluminação solar para favorecer a fotossíntese. A maioria das hortaliças necessita de cinco horas de luz direta por dia?, explica Rafael Campagnol, engenheiro agrônomo da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq-USP), de Piracicaba (SP). Outra dica para garantir uma plantação eficiente é colocar somente mudinhas iguais no mesmo local.

De acordo com a paisagista Regina Pinheiro Simões (SP), o ideal é unir plantas com necessidades semelhantes, ou seja, que precisam da mesma quantidade de luz e água; ou com texturas parecidas. ?Folhas em tom verde-claro não podem ser cultivadas junto com as verde-escuras, pois elas exigem mais cuidados?, diz Regina. O tempo e a frequência da irrigação dessas plantas podem variar de acordo com as condições climáticas a que estão

expostas.

?Para não errar, recomendo que a horta seja regada uma vez ao dia, no início da manhã ou no fim da tarde?, ensina Regina. Em dias quentes as plantas transpiram mais e precisam de uma quantidade maior de água. ?Coloque o dedo no solo: se a terra estiver úmida, não irrigue, mas, se parecer seca, regue-a o quanto antes. A necessidade de água é visível na aparência das folhas, que ficam murchas?, ressalta Rafael.

SOLO FÉRTIL

Aplicar adubos orgânicos na terra, a cada 40 dias, é fundamental para ter sucesso no cultivo da horta. As matérias de origem orgânica podem ser feitas por húmus de minhoca,esterco de boi e torta de mamona (um fertilizante vendido em estabelecimentos especializados) ou por restos de comida e vegetais, desde que eles passem primeiro poruma compostagem. Para isso, reserve um recipiente onde serão depositadas as cascas dos alimentos e mantenha-o na sombra, sempre.

Como o composto demora aproximadamente quatro meses para ficar pronto, comece a prepará-lo antes mesmo do próprio canteiro. Fique atenta ao surgimento de pragas ou doenças. Para evitar os bichinhos, proteja a compostagem com produtos naturais, não prejudiciais à saúde, como oleo de nim ou uma solução à base de sabão ou fumo. Todos eles são facilmente encontrados em lojas de jardinagem, como a Toca do Verde

horta2.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

PLANTIO IDEAL

Para todas as sementes se desenvolverem da melhor forma possível, plante-as em um lugar com tamanho e luminosidade adequados.

Vaso certo: Os baixinhos, de até 10 cm de altura, são para plantas folhosas de pequena estatura, como alface, rúcula, almeirão, couve, coentro, hortelã, manjericão, salsinha, cebolinha e orégano. Os médios ? de 30 a 40 cm de altura ? são perfeitos para o cultivo de hortaliças de frutos (tomate, pepino, berinjela e pimentão) e também de alecrim, pimenta, nabo e rabanete. Essas espécies podem permanecer produtivas por mais de seis meses. Os vasos grandes, acima de 40 cm de altura, servem para cenoura, beterraba, couve-flor, brócolis e cebola, que precisam de maior profundidade por causa da raiz.

Luminosidade: Alface, orégano, rabanete, salsinha, cebolinha, sálvia, tomate e cenoura necessitam de mais de cinco horas de sol por dia. Acerola, alecrim, manjericão, rúcula, pitanga e jabuticaba devem ficar quatro horas diárias sob a luz.

Veja o Kit de jardinagem Veja também:Horta em casa

Fonte: VEJA RIO