DIVERSÃO

Dez curiosidades sobre Garota de Ipanema

Uma das canções mais conhecidas do mundo, Garota de Ipanema completa 50 anos. Para homenagear a obra-prima de Vinicius de Moraes e Tom Jobim, veja 10 fatos curiosos sobre a canção

Por: Ernesto Neves - Atualizado em

tom.jpg
| Crédito: Redação Veja rio

Sentados no bar Veloso, 50 anos atrás, Tom Jobim e Vinicius de Moraes encantaram-se com a beleza da jovem Helô Pinheiro, que passava por ali rumo à Praia de Ipanema. Da admiração dos compositores surgiu Garota de Ipanema, uma das mais conhecidas músicas do planeta e que, mesmo após cinco décadas, continua sendo regravada e atualizada por cantores da nova geração. Composta em agosto de 1962, foi lançada somente em março de 1963, tornando-se o maior sucesso da Bossa Nova. Para homenagear a canção que é símbolo da beleza carioca nos quatro cantos do mundo, listamos 10 fatos curiosos sobre Garota de Ipanema.

Nome original. Poucos sabem, mas a canção escrita por Vinicius de Moraes e com melodia elaborada por Tom Jobim chamava-se originalmente Menina que Passa.

A estreia. Para sorte do público presente, a canção foi apresentada pela primeira vez na Boate Bon Gourmet, em Copacabana. Até o início do show, não se sabia direito como seria a melodia.

A verdadeira musa. Não demorou para várias mulheres se apresentarem como a verdadeira inspiração. A especulação só acabou em 1965, quando Vinicius de Moraes esclareceu que sua inspiração fora a adolescente Heloísa Pinheiro.

A versão em inglês. Nascida na Bahia, a cantora Astrud Gilberto deu voz à versão em inglês em 1964. Com arranjos do consagrado Stan Getz, a música estourou nos Estados Unidos e e encantou o mais importante cantor da América, Frank Sinatra, que a regravou em 1967 (veja aqui um dueto de Sinatra com Tom Jobim).

Garota Heavy Metal. Em 2008, os roqueiros do Sepultura deram ao hino da Bossa Nova uma pegada, digamos, rock and roll. Apresentada durante o Grammy Latino daquele ano, em São Paulo, causou reações de fãs acostumados à doce melodia (confira aqui a performance).

Em todas as línguas. Calcula-se em 170 as versões para a canção. E continua a ser regravada por grandes nomes, entre os quais se destaca a feita britânica Amy Winehouse (1983-2011), lançada no último ano (ouça aqui).

O dia em que Ipanema virou a Groênlandia. Expoente da New Wave dos anos 80, o grupo B-52's fez uma versão inusitada para a música de Tom e Vinicius. Em Girl From Ipanema Goes To Greenland (ou a Garota de Ipanema vai para a Groênlandia), lançada em 1986, nossa musa deixa o calor de Ipanema e vai viver na inóspita ilha do Hemisfério Norte (veja aqui o clipe).

A bossa carioca conquista Nova York. O sucesso foi tamanho que, três meses após lançada no Brasil, a música foi apresentada em concerto do Carnegie Hall, prestigiado palco para shows em Nova York.

A volta. Em 1985, 23 anos após o estouro da música, Tom Jobim voltou a se apresentar no Carnegie Hall. No espetáculo de encerramento após longa turnê pelo Brasil e Europa, foi ovacionado pelas 3.000 pessoas presentes. Tom voltaria ao palco novamente em 1994, realizando espetáculo ao lado dos ingleses Sting e Elton John, e do tenor italiano Luciano Pavarotti.

Nem tudo é festa. O sucesso motivou também disputas judiciais. Em 2001, Helô Pinheiro foi processada por herdeiros de Tom Jobim por usar comercialmente Garota de Ipanema em sua loja de roupas.

Fonte: VEJA RIO