PERFIL

A craque nos estudos entra em campo

Maria Helena Rodrigues de Carvalho, de 15 anos será uma das carregadoras de bandeira na Copa do Mundo

Por: Louise Peres

Felipe Fittipaldi
(Foto: Redação Veja rio)

As complexas fórmulas espalhadas pelo quadro durante a aula de física quase fizeram a estudante Maria Helena Rodrigues de Carvalho, de 15 anos, ignorar a luz do celular, que insistia em piscar. Diante de tantas ligações, a aluna do 1º ano do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet), em Maria da Graça, acabou pedindo licença ao professor e saiu da sala, temendo alguma notícia ruim. Mal podia acreditar no que ouvira ao telefone. Naquela tarde de terça-feira, ela ficou sabendo que faria sua primeira visita ao Maracanã. Numa parceria entre VEJA RIO, Fifa e Coca-Cola, a jovem foi escolhida para participar de um jogo da Copa do Mundo de 2014, carregando uma das bandeiras oficiais na partida das quartas de final do dia 4 de julho. "Quando eu imaginaria que teria a chance de fazer parte do maior evento de futebol do planeta?", disse.

O afinco e a dedicação aos estudos foram os fatores que levaram Maria Helena a ser selecionada. Graças ao bom desempenho escolar, ela foi o destaque da primeira turma formada pelo Ginásio Experimental Carioca na Escola Municipal Bolívar, no Engenho de Dentro, referência de ensino na rede pública carioca. Dali saiu aprovada com louvor para o curso técnico de manutenção automotiva do Cefet, instituição na qual cursa também o ensino médio. Para entrar na nova escola, porém, precisou fazer ajustes em sua rotina. Durante a semana, deixa a casa onde mora, em Campo Grande, para viver com a tia em Piedade, e assim ficar mais perto do colégio. Mas as dificuldades não desviam Maria de seus objetivos. "É muito intenso e eu preciso ser muito organizada para dar conta, mas sei que vai valer a pena", diz ela, que sonha em cursar gastronomia e abrir, um dia, seu próprio restaurante. Torcida não vai faltar. Acompanhe a preparação de Maria Helena através do site de VEJA RIO.

Fonte: VEJA RIO