EXPOSIÇÕES

Clare Andrews

Em todas as obras da escocesa Clare Andrews destacam-se três cores - verde, branco e roxo - símbolos da esperança, da pureza e da dignidade

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

AVALIAÇÃO ✪✪✪

Marcelo Duarte/divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Em 4 de junho de 1913, a ativista britânica Emily Davison invadiu a pista onde acontecia o Epsom Derby, uma das corridas de cavalo mais importantes da Inglaterra. Ao tentar agarrar a rédea do animal pertencente ao rei George V, seu objetivo era chamar a atenção do país para o direito da mulher ao voto. Emily, no entanto, foi atropelada, morrendo em decorrência dos ferimentos quatro dias depois, e tornou-se mártir de sua causa. Esse momento histórico inspira os nove óleos da série Deeds Not Words (em tradução literal, ?ações e não palavras?) reunidos na individual da escocesa Clare Andrews em cartaz na galeria Graphos: Brasil. Em todas as obras destacam-se três cores: verde, branco e roxo, símbolos, respectivamente, da esperança, da pureza e da dignidade. A maioria delas traz cenas, retratadas em pinceladas volumosas, de truculência policial contra sufragistas. Curiosamente, as imagens parecem evocar a ideia de um flagrante fotográfico, sem que os traços apelem para o hiper-realismo. Nesse sentido, especialmente impactante é o díptico The King?s Horse, que mostra Emily e o cavalo do rei caídos logo após o acidente.

Graphos: Brasil. Rua Siqueira Campos, 143 (Shopping dos Antiquários), sobreloja 11, Copacabana, ☎ 2256-3268 e 2255-8283. Segunda a sexta, 11h às 19h; sábado, 11h às 18h. Grátis. Até dia 12.

Mulheres: outra mostra, uma coletiva, na mesma galeria, exibe criações de artistas do sexo feminino, a exemplo da brasileira Anna Bela Geiger, da argentina Liliana Porter e da portuguesa Susana Anágua

Fonte: VEJA RIO