DE BRAÇOS ABERTOS

Arte feita em casa é sucesso e movimenta a economia

Circuito Rio EcoSol ajuda a gerar renda para artesãos com feiras em praças públicas e quiosques no metrô

Divulgação/Nando Neves
(Foto: Redação Veja rio)

Comprar objetos originais, feitos à mão, seja para decorar a casa seja para presentear outras pessoas, e ainda ajudar a movimentar pequenos negócios alternativos que geram trabalho, renda e inclusão social: a economia solidária está em alta na cidade, e o acesso a esta produção sustentável, mais fácil. O Circuito Rio EcoSol, que reúne mais de cem empreendimentos, tem levado produtos artesanais, trabalhos manuais e arte popular para feiras em praças de diversos bairros e também para quiosques no metrô.

São bolsas, bijuterias, necessaires, chaveiros, porta-moedas, caixas, almofadas, bordados, laços de cabelo, enfeites em feltro para quartos infantis e os mais diversos objetos de decoração e vestuário produzidos por artesãos que atuam de forma coletiva e se organizam em fóruns e redes locais, buscando viabilizar melhores condições de produção e comercialização. Como diferencial, a sustentabilidade, tanto no uso inovador de materiais que seriam descartados, como no formato de negócio, que ajuda a gerar oportunidades de renda para cooperativas, associações, grupos familiares ou empreendedores individuais, entre outras formas de arranjo produtivo.

Divulgação/Nando Neves.
(Foto: Redação Veja rio)

Viviane da Silva, 51 anos, moradora de Inhaúma, tomou gosto pelos trabalhos manuais ainda criança, observando o trabalho do pai, sapateiro, e da mãe, que costurava vestidos de noiva. Caixas de costura, carteiras, necessaires, bolsas e porta-"quase tudo" (de tesoura a iPad) estão entre os itens que fabrica artesanalmente com a ajuda dos filhos, utilizando, sempre que possível, materiais reaproveitados como retalhos de tecido, aparas de papelão e copos de requeijão. Seu alto astral, a originalidade das peças e o preço convidativo - os artigos que confecciona custam entre R$ 5 e R$ 30 - ajudam nas vendas, que costumam quadruplicar na época do Natal. "Produtos criativos e de baixo custo fazem sucesso entre os turistas, especialmente os que levam a marca do calçadão de Ipanema e Copacabana. Já estou planejando novos produtos para incrementar as vendas durante o verão, mas quero fugir daquilo que já é lugar comum. Vou inovar, mas não adianto o que vou fazer porque o segredo também é a alma do negócio artesanal", brinca Viviane.

Divulgação/Nando Neves.
(Foto: Redação Veja rio)

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico Solidário, Vinícius Assumpção, é gratificante ver o Circuito Rio Ecosol nas praças ajudando no escoamento da produção dos artesãos. "O Circuito Rio Ecosol será ampliado em breve, para que cariocas e turistas possam desfrutar dos belos trabalhos produzidos pelos artesãos da economia solidária", comemora Assumpção.

Veja onde adquirir os produtos da economia solidária carioca:

Metrô:

Estação Uruguaiana

Estação Glória

Estação Siqueira Campos (inauguração em outubro)

Feiras Itinerantes:

Largo do Machado - 6, 7 e 8 de novembro

Ipanema (Praça General Osório) - 9, 10 e 11 de outubro e 11, 12 e 13 de dezembro

Largo de São Francisco da Prainha (Praça Mauá) - 16 de outubro e 17 e 18 de dezembro

Calçadão de Campo Grande - 25 de outubro, 21 de novembro e 19 de dezembro

Fonte: VEJA RIO