DIVERSÃO

Cinco programas imperdíveis para o fim de semana

Confira a seleção especial de VEJA RIO para deixar seu fim de semana ainda mais animado

- Atualizado em

recomenda-shows.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Estrela atual do fado, dona de voz ao mesmo tempo doce e potente, a cantora lisboeta de 29 anos ainda por cima é uma graça. Não é de estranhar, portanto, que, desde a primeira apresentação no Rio, em dezembro do ano passado, já tenha sido convidada a voltar à cidade algumas vezes. Em nova visita, apresenta-se na sexta (20) e no sábado (21) na Miranda. Filha da fadista Teresa Siqueira, ela não se afasta muito das tradições do gênero, mas vem renovando o repertório em contatos com colegas brasileiros ? Alma, seu segundo disco, tem participação de Chico Buarque (Carolina), Milton Nascimento (Cais) e Nana Caymmi (Contrato de Separação). Ao vivo, além de Saudades do Brasil em Portugal, de Vinicius de Moraes, Carminho defende Folha, composição própria, Ruas (Fado dos Sonhos) e promete surpresas. Luiz Guerreiro (guitarra portuguesa), José Marino (baixo) e Diogo Clemente (violão) a acompanham no palco. 16 anos.

Miranda (350 lugares). Avenida Borges de Medeiros, 1424 (2º piso), Lagoa, ☎ 2239-0305. Sexta (20) e sábado (21), 21h30. R$ 180,00 a R$ 320,00. Bilheteria: 12h/18h (dom. e seg.); 10h/21h (ter. a qui.); a partir das 10h (sex. e sáb.). IC. www.mirandabrasil.com.br.

recomenda-teatro.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Uma mulher sobe ao palco de um teatro, dá boa-noite ao público e começa a narrar seu passado. Conforme vai explicando aos poucos, trata-se de uma ex-professora de literatura às voltas com um trabalho de Sísifo: como o personagem mitológico, condenado a rolar eternamente uma pedra monte acima, ela é obrigada a repetir todas as noites o ritual de se expor diante de uma plateia. Tal situação, como se verá, é resultado de um episódio hediondo em seu passado, mas não convém entregá-lo de antemão. Escrito pelo belga Jean-Pierre Dopagne, o monólogo cômico Prof! Profa! traz Jandira Martini no papel da insólita personagem. Ao longo de uma vida dedicada ao magistério, ela conviveu com um sistema educacional em frangalhos, refletido em superiores ausentes, colegas desmotivados e, principalmente, alunos rebeldes (que insistem em chamá-la de "prof" ou "profa"). Muito bem engendrado e sem nenhum ranço de panfletarismo, o texto sugere paralelos entre a figura do professor e a do ator, respectivamente as atividades da protagonista no passado e agora ? e revela-se, de certa forma, uma ode às duas. Com uma cenografia absolutamente despojada de Márcio Tadeu, a montagem se ancora na performance magnética de Jandira, bem dirigida por Celso Nunes e à vontade em cena ? como uma boa professora em sala de aula (70min). 12 anos. Estreou em 23/11/2013.

Centro Cultural Banco do Brasil ? Teatro I (172 lugares). Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Quinta a domingo, 19h. R$ 10,00. Bilheteria: a partir das 9h (qui. a seg.). Até domingo (22).

recomenda-criancas.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Depois de passar pelo Sesc Ginástico em curtíssima temporada, em abril, o espetáculo da companhia mineira Giramundo repete a dose no Teatro Bradesco a partir de quinta (19). Serão apresentadas no Rio mais quatro sessões da peça que celebra os quarenta anos da premiada trupe de teatro de bonecos e completa a trilogia Mundo Moderno, formada ainda por Pinocchio (2005) e Vinte Mil Léguas Submarinas (2007). Em cena, 55 marionetes de produção própria contracenam com um ator de verdade: Beto Militani faz as vezes de narrador no papel do escritor Lewis Carroll (1832-1898), o autor da célebre história original. Toques de modernidade recaem sobre o clássico enredo, em montagem que mescla artes plásticas, vídeos e 27 canções de jeitão pop compostas por John Ulhoa, guitarrista do Pato Fu. Cantora da banda e mulher do músico, Fernanda Takai dubla a protagonista Alice. Também nos créditos, o eterno mutante Arnaldo Baptista, não por acaso, assume a voz do Chapeleiro Maluco. Outro detalhe atraente é a tecnologia empregada na manipulação de alguns bonecos, feita sem titereiros, com o uso de sensores de movimento.

Teatro Bradesco (1?060 lugares). Avenida das Américas, 3900, Barra (VillageMall), ☎ 3252-2750. Quinta (19) e sexta (20), 19h; sábado (21) e domingo (22), 15h. R$ 50,00 (frisa e balcão nobre) a R$ 110,00 (camarote). Bilheteria: 13h/19h (ter. a dom.).

recomenda-cinema.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Quem achou arrastado o primeiro capítulo da trilogia, lançado um ano atrás, pode dar uma chance a Peter Jackson. O diretor neozelandês recuperou quase tudo o que os três longas-metragens de sua série O Senhor dos Anéis tinham de bom: ritmo ágil, fantasia ilimitada, efeitos visuais de primeira e uma narrativa envolvente. Apesar de longo, o segundo episódio inspirado em O Hobbit, livro de J.R.R. Tolkien, contém qualidades que fazem o tempo passar rapidinho. O realizador dá continuidade à saga do rei Thorin (Richard Armitage), que quer recuperar o reino de Erebor, tomado pelo dragão Smaug. Para isso, conta com a ajuda do hobbit Bilbo Bolseiro (Martin Freeman) e de um grupo de anões. Na aventura até lá, eles enfrentam situações de perigo. Além de serem atacados pelos grotescos orcs, viram prisioneiros de elfos. A salvação chega por meio de um barqueiro, interpretado por Luke Evans. Se há uma sequência para reter na memória é a fuga dos amigos em barris, deslizando pela correnteza de um rio. Direção: Peter Jackson (The Hobbit: The Desolation of Smaug, EUA/Nova Zelândia, 2013, 161min). 12 anos. Estreou em 13/12/2013. Confira o circuito na pág. 112.

recomenda-bares.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Regina Weissman encontrou a Lapa ainda silenciosa e já abandonada quando abriu seu bar, em 1998. Naquela época, no bairro, só se ouvia música ao vivo no Empório 100, negócio dos mesmos donos do atual Carioca da Gema. Desde o início, a casa aos pés dos Arcos sobressaiu como um celeiro de bambas ? seu pequeno palco revelou, entre outros, os cantores Teresa Cristina e Pedro Miranda e o violonista Yamandu Costa. Em 2003, a proprietária baixou as portas, mas um grupo de frequentadores tratou de assumir a empreitada já no ano seguinte. Deu certo: há duas semanas, o Semente mudou para o casarão ao lado. Ganhou mais espaço ? a capacidade passou de 80 para 150 lugares ? para suas imbatíveis sessões musicais. Na agenda, os destaques são a roda de samba dominical, com Júlio Estrela à frente do grupo Escangalha, e a segunda-feira instrumental, jam session à brasileira liderada pelo violonista Zé Paulo Becker. Outra talentosa cria do lugar, Becker também faz dupla com o cantor Marcos Sacramento nos próximos sábados, nos dias 21 e 28. Mais atrações podem ser consultadas na internet (facebook.com/barsemente). Completam o programa cascos de Original (R$ 10,00) e tira-gostos simples, a exemplo da linguiça na cachaça (R$ 20,00) e dos pastéis de queijo (R$ 16,00, quatro unidades).

Rua Evaristo da Veiga, 149, Lapa, ☎ 2507-5188 e 99781-2451 (150 lugares). 20h/2h (fecha ter. e qua.). Couvert art.: R$ 20,00 a R$ 30,00. Aberto em 2013.

Fonte: VEJA RIO