DIVERSÃO

Cinco programas imperdíveis para o fim de semana

Confira a seleção especial de VEJA RIO para deixar seu fim de semana ainda mais animado

- Atualizado em

recomenda-noite.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Em meados da década de 90 ainda não se tropeçava em um DJ a cada esquina e o drum?n?bass era um gênero musical alternativo, quase clandestino nas pistas de dança nacionais. Naquele tempo, Marco Antonio Silva despontou à frente dos pickups na boate paulistana Lov.e. Desde então, agregou prestígio ao nome artístico e desenvolveu consistente carreira internacional. Radicado em Londres, onde, atualmente, toca na Fabric, templo inglês da música eletrônica, Marky volta ao Rio pela primeira vez em dois anos. O DJ é a principal atração da noite que vai reunir as festas Paradiso e Nugrooves, dois conhecidos agitos do ritmo na cidade. Nas carrapetas, o autor de remixes para colegas ilustres como Fatboy Slim, Claude von Stroke e Deadmau5 capricha em sets que fundem jazz, MPB, rock psicodélico, disco, house e até reggae. Completam o programa os DJs Tito, Edinho, David Tabalipa e Joca Vidal, o duo The Twelves e a VJ Lê Pantoja. 18 anos.

La Paz. Rua do Resende, 82, Lapa, ☎ 2509-2403. Sexta (29), 23h. R$ 60,00. www.facebook.com/lapazclub.

recomenda-shows.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Anunciada como uma grande festa de comemoração de cinquenta anos de carreira e 70 de vida, a apresentação do cantor e compositor carioca no Theatro Municipal, no dia de seu aniversário, 29 de agosto, teve os ingressos esgotados rapidamente. O show vai virar DVD, com lançamento previsto para o fim do ano, mas quem perdeu a oportunidade ao vivo ganha duas novas chances no espetáculo São Bonitas as Canções ? Edu Lobo 70 Anos, uma continuação da celebração iniciada há três meses. Na Miranda, o músico será escoltado por um time de primeira linha formado por Carlos Malta (sax e flauta), Jorge Helder (contrabaixo), Jurim Moreira (bateria), Lula Galvão (violão), Mingo Araújo (percussão) e Itamar Assiere (piano). Esse grupo vai passear pela história da MPB: cria da segunda geração da bossa nova, Edu Lobo marcou presença na era dos festivais, fez parcerias marcantes com Chico Buarque e Vinicius, entre outros nomes de peso, e compôs trilhas sonoras que sobreviveram aos seus espetáculos de origem. A plateia da casa na Lagoa assistirá a um desfile de clássicos, a exemplo de Zambi, Upa Neguinho, Pra Dizer Adeus, Ponteio, Beatriz e Choro Bandido, dispostos em ordem cronológica. 16 anos.

Miranda (225 lugares). Avenida Borges de Medeiros, 1424 (2º piso), Lagoa, ☎ 2239-0305. Sexta (29) e sábado (30), 21h. R$ 200,00 a R$ 300,00. Bilheteria: 12h/18h (dom. e seg.); 10h/21h (ter. a qui.); a partir das 10h (sex. e sáb.). IC. www.mirandabrasil.com.br.

recomenda-criancas.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Lançado em 2006, o longa de animação Deu a Louca na Chapeuzinho conquistou público, crítica e o direito a uma continuação (menos inspirada) ao subverter a fábula descoberta por Charles Perrault, no século XVII, e imortalizada pelos irmãos Grimm 200 anos depois. A seu modo, o espetáculo dirigido por Beto Brown, em cartaz no Teatro do Jockey, também ousa mexer na estrutura da clássica narrativa e é bem-sucedido. Em cena, crescida e inconformada com a ingenuidade de sua história, Chapéu (Marta Paret) resolve reescrevê-la e desaparece de casa. Deixa apenas um bilhete no qual se lê: "Fui". A partir daí, o palco recebe a visita de outros oito personagens, interpretados com desenvoltura pela atriz e por Rogério Barros. Inquietações contemporâneas recheiam a velha trama: o Lobo quer se desfazer da fama de mau, Vovó está mais preocupada com o sumiço de seus brioches e a mãe de Chapeuzinho vive apressada, entre a manicure e a ginástica. Um toque divertido fica por conta dos dois músicos que, empunhando clarinete e violão, executam efeitos sonoros, emprestando à montagem ritmo de desenho animado. Na lista de acertos também entram a proximidade entre o público e os atores, que passeiam pela plateia e dispensam as coxias para trocar de figurino, e a cenografia sóbria de Teca Fichinski ? a opção por poucos elementos dá às crianças bem-vinda liberdade para imaginar ambientes variados (55min). Rec. a partir de 5 anos. Reestreou em 9/11/2013.

Centro Municipal de Referência do Teatro Infantil ? Teatro do Jockey (84 lugares). Avenida Bartolomeu Mitre, 1110, Gávea, ☎ 3114-1286. Sábado e domingo, 16h30. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (sáb. e dom.). Até 15 de dezembro.

recomenda-expos.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Dono de múltiplos talentos, cearense da cidade de Crato, ele iniciou sua carreira dedicando-se à xilogravura, mas já investiu em pintura, ilustração, escultura e até arte cinética ? movimento no qual foi um dos precursores no Brasil, no início da década de 60. Aos 85 anos, o artista tem apresentada pela primeira vez no Rio uma grande antologia dos seus trabalhos. Com curadoria de Max Perlingeiro, a bem cuidada mostra na Pinakotheke Cultural reúne 74 criações dos mais variados tipos, produzidas desde os anos 50. Chama atenção, logo na primeira sala da individual, a seleção de objetos cinéticos, como O Escriba (1962), uma espécie de aparelho que, através de um sistema de motor e ímãs, faz palitos metálicos se moverem sobre uma superfície plana. Há ainda nove curiosas obras da série que o artista batizou como Excitáveis, produzidas entre o fim da década de 60 e meados da seguinte, com materiais movidos por força da eletricidade estática ? basta o visitante passar a mão próximo a elas para ver o efeito. Mesmo peças bidimensionais sugerem movimento. É o caso de La Cible (1984), uma acrílica sobre tela que direciona o olhar para o centro, como se o espectador se voltasse para um poço. Na mesma linha, Cônicas, Côncavas e Convexas (2004-2012) é uma série de esculturas de aço dispostas no chão, algumas aparentemente na iminência de girar em torno de si mesmas.

Pinakotheke Cultural. Rua São Clemente, 300, Botafogo, ☎ 2537-7566. Segunda a sexta, 10h às 18h. Sábado, 10h às 16h. Grátis. Até sábado (30).

recomenda-bares.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Inaugurada no começo do mês, a casa se distingue dos concorrentes vizinhos na galeria da Rua Conde Bernadotte como o primeiro ponto do Leblon especializado em bebidas borbulhantes. O movimento no ambiente despojado, decorado com caixas de bebida, é acompanhado de perto por um dos sócios ? Léo Coragem deixou o mercado imobiliário para se dedicar inteiramente ao negócio. Bem cuidada, a carta de espumantes traz trinta rótulos, entre opções nacionais, francesas, italianas, espanholas e portuguesas. Até o estoque acabar, o espanhol Codorníu Brut ou Rosé (R$ 18,00 a taça) é servido em dobro ? depois, a promoção passa a valer aos domingos para rótulos diversos. Na ala premium, a garrafa do francês Taittinger Prestige Rosé é vendida por R$ 420,00. O atraente cardápio elaborado pelo chef Alex Roppe traz sugestões como os risotos em porções individuais. Valem a visita as receitas de queijo grana padano com açafrão (R$ 28,00) e de mix de cogumelos (R$ 32,00). Para beliscar, aposte no queijo de coalho empanado com gergelim, escoltado por geleia de pimenta (R$ 30,00), seco e crocante, ou nos mini-hambúrgueres (R$ 32,00, seis unidades).

Rua Conde Bernadotte, 26, loja 124, ☎ 98114-2184. 18h/1h (dom. 12h/22h; fecha seg.). Cc: todos. Cd: todos. Aberto em 2013.

Fonte: VEJA RIO