10 MOTIVOS

Para visitar o CCBB Rio

A filial carioca do Centro Cultural Banco do Brasil é o 15º museu mais visitado do planeta

Por: Louise Peres - Atualizado em

ccbb3.jpg
O amplo espaço é ornamentado com belas colunas em estilo neoclássico (Foto: Redação Veja rio)

Em uma cidade onde praias são a grande atração, um espaço cultural conseguiu o feito de incluir o Brasil na lista de museus mais visitados do mundo. Segundo a publicação britânica The Art Newspaper, uma das principais fontes internacionais de informação sobre arte, o Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro é a 15ª instituição cultural que mais recebeu visitantes em 2010. O motivo? Exposições internacionais renomadas com entrada gratuita e uma variada programação de artes cênicas, cinema e música com ingressos a até 10 reais. Com média de visitas diárias ultrapassando seis mil pessoas, o CCBB Rio tem conseguido cumprir sua missão de democratizar e oferecer cultura a um público cada vez maior. Listamos dez motivos para você visitar essa joia, de grande relevância no cenário cultural do país e do mundo.

1 - Renovação cultural

Localizado no coração do Centro Histórico do Rio, na Rua Primeiro de Março, o CCBB ocupa uma imponente construção de linhas neoclássicas datada de 1906. Após passar por obras de revitalização, o prédio foi aberto ao público em 1989, sendo o eixo do projeto de reurbanização da região - o chamado Corredor Cultural, lançado em 1983. A inauguração do CCBB fez com que iniciativas semelhantes se propagassem nos arredores, como o Centro Cultural dos Correios e a Fundação Casa França-Brasil.

2 - O maior do Brasil

Entre as filiais de Rio, São Paulo e Brasília, a carioca é a maior de todas. São 17 mil metros quadrados recheados de arte: três salas de teatro; dois cinemas; 10 salas de exposição contínuas no primeiro andar e outras quatro no segundo. Nas áreas de exposição, a capacidade de carga do piso é de 500 kg/m², compatível com as mostras grandiosas que o CCBB recebe.

3 - Por dentro

Se por fora o majestoso prédio impressiona, o espaço interno não deixa a desejar. No térreo, logo na entrada, os banquinhos que circundam a ampla rotunda de 300 metros quadrados são um convite ao descanso entre um compromisso e outro na cidade. Na arquitetura destacam-se as belas colunas e a imensa cúpula transparente que confere uma agradável iluminação natural ao ambiente. Por determinados períodos, a rotunda se torna espaço de exposição e recebe obras como a instalação Wave UFO, parte da mostra da artista japonesa Mariko Mori, que esteve em cartaz entre maio e julho de 2011.

4 - Exposições temáticas de renome

Grandes mostras têm sido as principais responsáveis pela formação de uma nova plateia no CCBB. Em 2010, três delas ocuparam do 13º ao 15º lugar do ranking da The Arts Newspaper das exposições temáticas mais visitadas no mundo: Islã; Linha de Sombra - Regina Silveira; e Rebeca Horn - Rebelião em Silêncio, respectivamente. A maior parte dos 18 milhões de reais investidos anualmente em programação destinam-se à vinda desses acervos e mostras internacionais, abertos gratuitamente ao público. O último recorde de visitação é de 2011: "O Mundo Mágico de Escher", exposição de obras do artista gráfico Maurits Cornelis Escher, levou 600 mil pessoas ao CCBB Rio entre janeiro e março deste ano. Somente no último final de semana, passaram por lá 62 mil pessoas - mais público do que os jogos de futebol dos times cariocas costumam reunir em um domingo. Atualmente, estão em cartaz as ótimas I Am a Cliché - Ecos da Estética Punk e Queremos Miles - Miles Davis, a lenda do jazz.

Cortesia
(Foto: Redação Veja rio)

5 - Teatro, cinema e dança quase de graça

Por apenas R$ 10,00, é possível assistir à seleta lista de espetáculos em cartaz no centro. Pelos teatros I, II e III passam musicais, espetáculos nacionais e trupes estrangeiras, como a do encenador Peter Brook. Atualmente, está em cartaz o drama Na Selva das Cidades, de Bertolt Brecht. Para assistir a filmes nos Cinemas I e II, o ingresso custa R$ 6,00. Há ainda o Cinepasse, que custa R$ 10,00 e, válido por 30 dias, dá acesso à videoteca, onde é possível solicitar o agendamento da exibição de ótimos títulos, e a ciclos como É o Jazz!, que a partir desta sexta (9) mostra a história da representação do gênero no cinema.

6 - Programação variada

Além de teatro, cinema e artes plásticas, o CCBB abriga ainda festivais e eventos literários, ciclos de palestras, apresentações musicais. No mês de setembro, estão programados desde encontros como Filosofia do Rock - Velvet Underground e as Filosofias Pós-modernas; Carnaval: Que Festa é Essa? Samba como Economia da Cultura e séries como Terças Musicais, com atrações variadas a cada semana. Sempre às terças, o repertório vai do blues ao tango, passando por recitais de piano.

7 - A História do Brasil em cédulas e moedas

No quarto andar, a exposição permanente Galeria de Valores, com cerca de 2 mil peças do acervo numismático do Banco do Brasil, cria um espaço interativo que conta a história da moeda, no Brasil e no mundo. O visitante caminha sobre um chão recoberto por moedas verdadeiras e poderá ver nas vitrines peças que apresentam os nomes, tamanhos, formas, materiais e iconografia usados através dos tempos. Uma linha do tempo estabelece as relações entre a descoberta e exploração de riquezas como o pau-brasil, a cana de açúcar, o ouro, o café, e os principais momentos históricos e monetários pelos quais passou o nosso país. Entre as raridades, dois florins holandeses cunhados em 1646, a primeira moeda na qual apareceu escrita a palavra Brasil. A mais valiosa e mais importante da coleção também se encontra neste grupo: é a peça da coroação de D. Pedro I.

8 - Além das mostras

Dentro de sua programação educativa, o CCBB oferece atividades que podem tornar uma visita ainda mais interessante e acessível. Entre elas, há a Visitação Mediada à Exposição e a experiência Reconhecendo o CCBB, que possibilita explorar o centro sensorialmente, através da audição, do olfato e do tato. São realizadas ainda ações especiais inclusivas para grupos de pessoas portadoras de necessidades especiais, com mediação em LIBRAS, para deficientes auditivos, e em áudio, para deficientes visuais.

9 - Biblioteca

Com 140 mil volumes, a biblioteca do CCBB é um acervo valioso para os cariocas. Qualquer pessoa pode consultar as obras, e estudantes e professores de instituições conveniadas e funcionários do Banco do Brasil podem inclusive solicitar empréstimos. No momento, a biblioteca passa por reformas. Será reaberta em dezembro, modernizada, com 3 mil novos volumes, capacidade ampliada e melhor estrutura para atender ao público infantil. Também será criado um espaço dedicado ao acervo de cds e livros falados, destinado à inclusão de deficientes visuais.

10 - Livraria, café e restaurante

Depois de conferir a rica programação do centro, uma ida à livraria que fica no térreo é uma ótima maneira de fechar o passeio. Livros infantis e títulos de arte fazem parte do catálogo. Para completar, pausa para saborear um cappuccino na cafeteria, que fica na Rotunda. Se a ideia é aplacar a fome, há também um restaurante no mezanino, aberto a partir das 12h. Inspirado nos bistrôs franceses, a Brasserie Brasil serve sanduíches e também refeições. Entre as opções há massas, peixes, carnes e pratos tipicamente brasileiros, como o Picadinho Carioca (R$ 28,00).

Centro Cultural Banco do Brasil

Rua Primeiro de Março, 66, Centro, tel. 3808-2020. Aberto ao público de terça a domingo, de 9h as 21h.

Entrada

Exposições, Biblioteca, Museu e Arquivo Histórico e Memória CCBB: entrada gratuita.

Palestras, Debates, Sessão Criança e sessões de Cinema e Vídeo seguidas de debates: retirada de senhas (uma por pessoa) uma hora antes do evento. Para o CCBB Educativo, retirada de senhas (uma por pessoa) 30 minutos antes.

Cinema: R$ 6,00 e R$ 3,00 (meia-entrada). Venda de ingressos somente para o dia, a partir das 9h, restrita a dois ingressos por pessoa. O cinepasse custa R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia entrada), válido por 30 dias, para acesso às mostras de cinema (Cinema I e II ), por meio de senhas, e à videoteca, por meio de agendamento.

Música: terças R$ 6,00 e R$ 3,00 (meia-entrada) e quarta a domingo R$ 10,00 e R$ 5,00.

Teatro e Dança: R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia-entrada).

A venda antecipada de ingressos para Teatro, Música e Dança inicia-se na terça da semana anterior à do espetáculo, restrita a dois ingressos por pessoa. Clientes do Banco do Brasil pagam meia-entrada apresentando o cartão do Banco na bilheteria.

Agendamentos

Videoteca - Cabines de Vídeo. Sessões às 9h15, 11h, 13h, 15h, 17h e 19h. Reservas podem ser feitas pessoalmente ou pelo tel. 3808-2050, das 9h às 21h, e com até uma semana de antecedência.

Programa Educativo e Visitas Mediadas ao prédio do CCBB (grupos em geral - português e inglês). Reservas de segunda a sexta , das 9h às 17h - tel. 3808-2070 e 3808-2254.

Fonte: VEJA RIO