Carioca Nota Dez

Rafael Luiz Fonseca de Oliveira criou o portal Compartilhe Mais

Com a iniciativa, que arrecada fundos para projetos sociais, o empresário já beneficiou, diretamente, cerca de 300 pessoas

Por: Carolina Barbosa - Atualizado em

Carioca Nota Dez - Rafael Luiz Fonseca de Oliveira
Carioca Nota Dez - Rafael Luiz Fonseca de Oliveira (Foto: Felipe Fittipaldi)

Em 2012, Rafael Luiz Fonseca de Oliveira, 33 anos, e sua mulher, Sara, moradores da Barra, decidiram que queriam mais um filho. Na época, já era nascido o primogênito do casal, Gabriel Luiz. Diante da dificuldade da companheira em engravidar novamente, o empresário do setor de transportes fez uma promessa a si mesmo: se conseguissem ter o segundo filho, ele doaria 1 000 reais em alimentos e itens de primeira necessidade a alguma instituição carioca. Em agosto daquele ano, o casal recebeu a boa notícia, e meses depois nasceria Maria Rafaela. E aí Oliveira se encaminhou até o Abrigo Evangélico da Pedra de Guaratiba, para cumprir o prometido. “Ao chegar lá, eu me emocionei muito”, ele relembra. “Mas percebi que somente a doação material não bastava, pois as crianças precisavam de carinho e de atenção”, diz. E aquilo que começou como uma promessa logo se tornou uma missão. Ele passou a arrecadar fundos para ajudar mensalmente o local, que atende quarenta crianças de até 7 anos, antes em situação de abandono. Começou pedindo ajuda aos amigos mais próximos pelas redes sociais, mas, à medida que a iniciativa foi ganhando proporções maiores, Oliveira resolveu profissionalizar o modus operandi. Com os empresários do ramo de alimentação Rodrigo Tavares e Flávius Andrade, em julho deste ano lançou o Compartilhe Mais. Trata-se de um portal colaborativo que funciona no sistema de crowdfunding, ou seja, um financiamento coletivo, no qual é contada a história de um determinado projeto social, ou mesmo de uma pessoa, cabendo ao usuário escolher quem deseja ajudar. “Ao criarmos o site, expandimos nossa atuação e passamos a receber doações via cartões de crédito e débito e por boleto bancário”, conta Oliveira.

"O objetivo é nos tornarmos a maior referência em site colaborativo social no país"

Até hoje ele se dirige duas vezes por semana ao abrigo que o impulsionou para a filantropia. Lá, costuma brincar com os pequenos e levar os maiores à escola. “É gratificante poder fazer a diferença na vida das pessoas. A gente acaba ganhando mais do que elas”, conta esse carioca que já beneficiou, diretamente, cerca de 300 pessoas com seu projeto em causas as mais variadas, a exemplo de um centro de balé e um abrigo de idosos, ambos na Zona Oeste. Sua próxima investida será em um núcleo de capacitação no lixão de Jardim Gramacho, em Caxias. “O objetivo é nos tornarmos a maior referência em site colaborativo social no país”, conclui.

+ Jogo Oasis propõe nova forma de mobilização voluntária

 

Fonte: VEJA RIO