seja saudável

Largo do Machado recebe campanha de prevenção da saúde da mulher

Médicos estarão no local para aferir a pressão e dar orientações sobre como previnir doenças cardíacas

Por: Redação VEJA RIO - Atualizado em

saúde coração
Campanha para alertar sobre os riscos de doenças cardíacas (Foto: Divulgação)

Nesta sexta (6), entre 8h e meio-dia, as mulheres que passarem pelo Largo do Machado poderão aferir a pressão, medir a circunferência abdominal, peso e altura e obter mais informações sobre os riscos das doenças cardíacas. A ação promovida pelo Departamento de Cardiologia da Mulher da Sociedade de Cardiologia do Rio de Janeiro (Socerj) e o Instituto Nacional de Cardiologia (INC) é para conscientizar o público dos riscos dessas doenças, que são responsáveis por cerca de 30% das mortes no país.

+ Ioga aéreo ganha adeptos no Rio

De acordo com estudos, ao se controlar a pressão arterial, diminui-se em 15% o risco de infarto e em 42% o risco de derrame. Pesquisas recentes da American Heart Association mostraram que 60% das mulheres não têm conhecimento das doenças cardiovasculares, ainda assim 90% delas reconhecem a necessidade dos exercícios físicos, redução do peso, dieta saudável, redução do sódio e controle do colesterol e da pressão arterial, e abandono do cigarro, o que são medidas importantes para a redução dos riscos cardiovasculares.

+ Campanha de Vacinação contra HPV começa nesta segunda (2)

Detalhes da Campanha

O evento contará com a participação de médicos residentes do INC, enfermeiros, nutricionistas, assistentes sociais, uma juíza e defensores públicos. No local, o público vai passar por um circuito, começando pela  pressão arterial, na segunda, passando para peso e altura e o resultado do IMC (índice de massa corpórea). Na terceira, residentes explicarão os riscos da hipertensão para o coração. Já na quarta, nutricionistas falarão como ter uma dieta saudável para evitar a obesidade e farão a comparação entre alimentos. Na quinta e última etapa, enfermeiras esclarecerão sobre os demais fatores de risco.  

Um sexto espaço será dedicado a dar orientações jurídicas em relação aos direitos das mulheres. Especialistas tirarão dúvidas sobre violência doméstica, tutela de filhos, pensão alimentícia etc.

Fonte: VEJA RIO