Meu Rio

Com Bruno de Luca

Por: Ernesto Neves - Atualizado em

Bruno de Luca tem o que muitos chamam de emprego dos sonhos. Apresentador do programa Vai Pra Onde, do Multishow, ele viaja pelo mundo em busca de histórias engraçadas. Mas, quando está no Rio, onde mora, o ator e apresentador de 32 anos gosta de programas simples. Na lista de lugares que gosta de ir estão o tradicional Bar do Mineiro, em Santa Teresa, e a praia da Reserva, na Barra da Tijuca. E também mostra seu lado pão duro. Não gosto muito de comer fora, porque sou econômico ", diz. Confira abaixo o roteiro de Bruno pela cidade.

Do que você sente mais falta quando está fora do Rio?

Além da família e dos amigos, claro, sinto falta de um bom atendimento. O carioca está sempre de bem com a vida, esbanjando simpatia, enquanto os gringos não querem papo e te atendem muito mal em qualquer estabelecimento.

E o que Rio tem que as outras cidades não têm?

O carioca.

Você já visitou alguma cidade que se pareça com o Rio?

Sim, as que mais se parecem são Sidney, na Austrália, e a Cidade do Cabo, na África do Sul.

Onde você vai quando quer sair para comer fora?

Não gosto muito de comer fora, porque sou econômico e estou sempre de dieta, mas quando quero chutar o balde vou ao Bar do Mineiro, em Santa Teresa. Não resisto ao pastel de feijão.

E para azarar, qual o seu destino?

Acho o Conversa Fiada de Ipanema nota dez, o chope é ótimo, o atendimento incrível, você se sente em casa. Ainda tem um lounge do andar de cima se o clima esquentar. Boate pra mim a melhor do Rio é a da Praia, na Lagoa.

Uma paisagem que traz boas lembranças no Rio?

O Pão de Açúcar. É a primeira coisa que vemos quando chegamos de avião.

Que dica você daria a um turista?

Fugindo dos lugares óbvios e obrigatórios, acho que o Centro de Tradições Nordestinas, em São Cristóvão, é um programa bom, bonito e barato.

Qual o seu refúgio preferido, onde você vai para descansar e recarregar as energias?

A praia, de preferência a da Reserva.

E o que precisa melhorar na cidade?

Tirando os bueiros que tem que parar de explodir, acho que as comunidades carentes, que estão se reerguendo com as UPPs, deveriam receber um investimento para ter uma integração com as partes mais nobres da cidade. Por que não um cinema na Rocinha? Com um bar bacana para irmos depois? Tenho certeza que muita gente gostaria de fazer esse programa, seria bom pra todo mundo.

Uma dica de viagem aqui por perto?

Trindade, na Costa Verde. Lindo e simples.

Fonte: VEJA RIO