EDIÇÃO DA SEMANA

Beira-mar

Histórias e novidade sobre a sociedade carioca

Por: Carolina Barbosa - Atualizado em

O Big Brother virou livro

beira-mar-01.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Autor dos discursos que caracterizam as eliminações do Big Brother Brasil, o jornalista Pedro Bial decidiu reunir no livro Mensagem aos Brothers uma compilação das frases que proferiu desde a primeira edição do reality show, em 2002. Um exemplo profundo: "Inimigos íntimos não são opostos que se atraem, são semelhantes que se opõem e se repelem". Mais do que condensar esse célebre material, para Bial, o título, que saiu neste mês com uma impressionante tiragem de 50?000 exemplares, será uma forma de se proteger dos inúmeros textos falsos que circulam pela internet. "Tudo o que está no livro, bom ou mau, foi falado por mim. Agora, a maioria das coisas que atribuem a mim por aí não é minha", comenta ele.

A cena se repete

Ricardo Correa / Contigo!
(Foto: Redação Veja rio)

Fora dos palcos desde que despencou de um cabo de aço durante a apresentação do musical Xanadu, há dois anos, Danielle Winits está de volta ao teatro. Na comédia O Cachorro Riu Melhor, ela interpreta a agente de atores Dione, que se envolve com um homem gay. Coincidência ou não, a personagem remete, de certa forma, a Amarilys, que entrou num triângulo amoroso com Niko (Thiago Fragoso) e Eron (Marcello Antony) para conseguir engravidar e realizar o sonho de ser mãe durante a última trama global das 9, Amor à Vida. "Acho que foi só coincidência mesmo, mas a homossexualidade é um assunto que está muito em voga hoje em dia e isso vem se refletindo no palco, na TV e no cinema", acredita a atriz.

A vitória da doutora

Maurício Bazílio/SES
(Foto: Redação Veja rio)

A disputa não foi fácil. Para ser aceita na Academia Nacional de Medicina (ANM), uma espécie de ABL dos médicos, a neuroendocrinologista Mônica Gadelha precisou rodar o Brasil para se apresentar aos 107 acadêmicos da instituição, em funcionamento há 184 anos. Mas seu esforço foi recompensado e ela desbancou a concorrência. "Foi uma campanha exaustiva. Passei madrugadas me preparando e meus amigos reclamavam de que eu só falava desse assunto, mas será uma honra fazer parte desse seleto grupo", diz a médica de 47 anos, que será a primeira mulher a ocupar uma cadeira na área clínica da organização. Atuando no Instituto Estadual do Cérebro e no departamento de clínica médica da Faculdade de Medicina da UFRJ, ela será empossada no dia 27 de maio.

Dos gramados para o salão de beleza

MARCOS PINTO / Contigo!
(Foto: Redação Veja rio)

A maior parte dos jogadores de futebol, quando se aposenta, segue na carreira esportiva. Ao que tudo indica, Darío Conca, 30 anos, do Fluminense, tem planos diferentes. Ele vai ser dono de salão de beleza. Persuadido por sua mulher, Paula Shayene, Conca investiu cerca de 5 milhões de reais para abrir a primeira filial brasileira de um dos salões mais famosos na França, o Dessange Paris, já com 500 lojas espalhadas por 45 países. "Estamos nos organizando para manter nosso padrão de vida quando ele deixar os gramados", justifica Paula, que junto com o maridão inaugura o negócio em junho num shopping da Barra e tem planos de abrir mais duas unidades até 2016, uma delas em São Paulo.

Os russos estão chegando

beira-mar-05.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Uma luta foi travada no mercado carioca de eventos para sediar a casa de convivência da Rússia durante a Copa do Mundo. Corre nos bastidores que dois fortes candidatos para abocanhar o contrato estavam na disputa: o Jockey e o MAM. Mas, graças aos jantares organizados pelo empresário Jayme Drummond e pelo chef Ricardo Lapeyre durante os Jogos Olímpicos de Inverno, em Sochi, o segundo endereço levou a melhor. Ao longo dos 32 dias de competição, o Espaço MAM será o palco de jantares de gala, inclusive com a presença do badalado chef russo Alexei Zimin, além de shows e festas. "Vamos reproduzir aqui a atmosfera das boates de Moscou, as mais impressionantes que já vi, com lindas russas circulando pelo ambiente e muita vodca importada deles", empolga-se Drummond.

Fonte: VEJA RIO