EDIÇÃO DA SEMANA

Beira-mar

Por: Carla Knoplech - Atualizado em

A deusa da alegria

beira-mar-04.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

A partir de domingo (12), com o fim dos Jogos de Londres, o Rio será nomeado oficialmente como cidade olímpica. Para celebrar esse momento histórico, a prefeitura encomendou ao sambista Arlindo Cruz a trilha sonora da campanha oficial da competição, que trará celebridades cariocas interpretando os grandes deuses do Olimpo. Por indicação do diretor Estevão Ciavatta, Carolina Dieckmann foi escolhida para representar Afrodite, divindade do amor, da beleza e da sensualidade. Faz todo o sentido. ?Pedi que o vestido (esse aí da foto) não fosse tão curto para poder dançar sem me preocupar, então acho que ficou mais para a deusa da alegria e da empolgação?, brinca a atriz, apelidada pelos ritmistas de ?afrodieckmann?.

Cachê de estrela

beira-mar-01.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Pouca gente sabia o nome dela há alguns meses. Hoje é raro encontrar quem não associe a imagem escultural de Tessália, de Avenida Brasil, com a atriz paulistana Débora Nascimento, 27 anos. Com os olhos verdes cor de esmeralda e um corpaço de dar inveja, ela passou de coadjuvante a uma das revelações da trama, protagonizando cenas hilárias ao lado dos experientes Marcos Caruso, seu par na novela, e Eliane Giardini, a ex-mulher dele em cena. ?Achei que minha participação fosse render só um caldo, mas pelo visto está dando um sopão?, comemora a moça, que começa a colher os louros do sucesso no horário nobre. Para divulgar uma linha de produtos de cabelo, ela cobrou 200?000 reais de cachê.

O artista dos artistas

beira-mar-02.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Quando o ator Édson Celulari foi à casa do diretor Miguel Falabella ficou mesmerizado com um registro do Morro Dois Irmãos pendurado numa parede. Seu encantamento foi tamanho que logo no dia seguinte encomendou uma obra ao fotógrafo Almir Reis, que há dez anos clica paisagens do Rio. Depois de tanto mirar sua câmera para a cidade, ele agora se prepara para abrir, na terça (14), seu primeiro ateliê carioca, em Ipanema. Com representação em galerias de Paris, Tóquio, Miami e até do Paquistão, Reis tornou-se o sonho de consumo dos atores globais. Paola Oliveira comprou um quadro para sua sala de jantar e Regiane Alves arrematou uma peça com os contornos do Arpoador. Com garotos-propaganda tão poderosos (e espontâneos), o artista tem obras cotadas a 6?000 reais. ?Eles são sensíveis ao meu trabalho porque só consigo trabalhar com o que é belo?, afirma.

A vovozona rouba a cena

beira-mar-05.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

A discrição nunca foi mesmo o forte de Susana Vieira. Depois de divertir a plateia como Regina, personagem de A Partilha, que está de volta aos palcos cariocas vinte anos após sua estreia, a atriz roubou a cena ao final da peça na última segunda (6), numa apresentação restrita a convidados, no teatro Oi Casagrande. Em meio aos aplausos, ela gritou insistentemente para que seus netos Rafael e Bruno subissem ao palco, sob a risada geral. Em seguida, quase ficou do lado de fora quando a cortina foi fechada, prolongando as gargalhadas. Houve ainda tempo para o último ato. Ao deixar o tablado, ela decidiu saltar para abraçar novamente os meninos e acabou mostrando mais do que devia. Sobrou paixão pelos netos, mas faltou pano para a saia. ?Eles são a coisa mais importante para mim?, declarou a avó coruja. ?São a minha continuação.?

Ondas, câmera, ação

beira-mar-03.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Prestes a expor nas lojas a coleção de verão da Totem e já planejando os moldes de inverno do próximo ano, o estilista Fred D?Orey aceitou um convite inusitado. Na edição 2012 do Festival do Rio, ele será o responsável pela nova mostra incluída na programação, inteiramente dedicada a filmes sobre seu esporte preferido, o surfe. ?Em menos de um mês vi mais de sessenta fitas até chegar à lista final?, conta ele, que reuniu nove títulos, entre clássicos e lançamentos recentes, para apresentar durante o evento que acontece em meados de setembro. Surfista local do Arpoador, ele ainda conseguiu viabilizar a vinda do lendário diretor havaiano Jack McCoy, ídolo entre os iniciados na atividade.

Fonte: VEJA RIO