EDIÇÃO DA SEMANA

Beira-mar

Histórias e novidades sobre a sociedade carioca

Por: Carla Knoplech - Atualizado em

A ovelha negra da família

beira-mar-02.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Neta da artista plástica Lygia Pape (1927-2004), Luiza Fortes enfrentou a resistência da família quando anunciou a carreira que gostaria de seguir. ?Minha mãe foi contra na hora e minha avó achava que era uma arte limitada?, lembra. Mesmo a contragosto, ela decidiu investir na carreira de tatuadora profissional. Passou por grandes estúdios de Londres e Berlim e expôs seus trabalhos em importantes convenções internacionais, até voltar para o Rio, onde ganhou fama pelo traço fino e delicado. ?Nada cai do céu. Desenvolvi um estilo próprio e tatuei bastante até que minha família aceitasse minha profissão?, diz Luiza, que está abrindo um ateliê em Botafogo. Aos interessados: a agenda da moça só tem vagas para daqui a seis meses.

Alívio ao deixar as areias

beira-mar-01.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Quinto colocado na Olimpíada de Londres e vice-líder do campeonato nacional, o jogador de vôlei de praia Pedro Cunha anunciou sua aposentadoria. Formado em marketing, ele decidiu abandonar as quadras precocemente, aos 29 anos (seu parceiro Ricardo tem 38 anos), para dedicar-se à carreira empresarial. ?Passei os últimos treze anos da minha vida pensando só em vôlei. Tive de abdicar de muita coisa. Ficava semanas sem ver minha família, meus amigos. Chegava a treinar oito horas por dia, tanto que acabei com uma lesão no joelho?, desabafa o atleta carioca, que fará seu último jogo na próxima etapa do circuito brasileiro, de 15 a 17 de março, em Maceió.

Na onda do Peru

beira-mar-04.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Nem Paris, nem Nova York, nem Londres. Depois que as criações do badalado cozinheiro Gastón Acurio caíram nas graças dos gourmets, o Peru se transformou na nova capital da gastronomia mundial. É de lá que veio a inspiração para o cardápio do Lima Restobar, em Botafogo. Comandado pelo chef peruano Marcos Espinoza, o empreendimento, inaugurado no imóvel do extinto Alameda, vai fazer frente às duas casas de gastronomia andina do Rio, o La Mar, no Jardim Botânico, e o Intihuasi, no Flamengo. ?Estive nos dois, mas nossa proposta é bem diferente. Vamos apresentar aos cariocas a culinária peruana moderna?, explica Espinoza, que investiu

1 milhão de reais nas obras do novo restaurante.

Queridinha do diretor

beira-mar-03.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Com o anúncio de que Salve Jorge terminará dois meses antes do previsto, Wolf Maya teve de acelerar as gravações da próxima atração das 9 com o título provisório de Em Nome do Pai. Mesmo com Paola Oliveira e Mateus Solano nos papéis principais, a grande aposta do diretor na trama é uma ilustre desconhecida: a paulistana Maria Casadevall, que ganhou o papel de uma administradora apaixonada pelo personagem do ator Caio Castro. ?Não quero pensar muito nisso para não acabar me assustando, mas é uma pressão muito grande. Tenho medo de que isso me atrapalhe?, confessa a estreante no horário nobre. Aos 25 anos, a atriz, que foi aluna da escola de Wolf, em São Paulo, já arrumou as malas e está de mudança para um hotel no Rio, onde ficará hospedada cinco dias por semana.

Dias de princesa em Paris

Até bem pouco tempo era impensável ver uma atriz brasileira sentada na primeira fileira dos desfiles internacionais. Na última quarta (6), no Museu do Louvre, em Paris, no entanto, lá estava Mariana Ximenes. Além de ocupar uma cadeira na disputada fila A da Louis Vuitton, a protagonista de Guerra dos Sexos foi a convidada de honra do coquetel que a grife promoveu. Com todos os paparicos a que tinha direito, Mariana ficou hospedada em um dos melhores hotéis da cidade, o cinco-estrelas Fouquet?s Barrière, e durante o evento vestiu só peças da maison francesa. O look completo custaria 8 620 euros, se ela tivesse pago, o equivalente a 23 000 reais.

Fonte: VEJA RIO