EDIÇÃO DA SEMANA

Beira-mar

Por: Sabrina Wurm - Atualizado em

E a Lei Seca dos menores?

beira3.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Servir ou não bebida alcoólica na festa de 15 anos tem sido um dilema frequente para certas mães de adolescentes cariocas. É claro que não pode, mas tal dúvida foi vivida recentemente pela banqueteira Roberta Pederneiras no baile de debutante de sua primogênita Maria Eduarda. Na cerimônia, realizada no dia 12 no Gávea Golf Club, ela mandou preparar caipirinhas, mas com água, para diluir a vodca. ?Orientei os barmen para caprichar nas frutas?, diz Roberta. ?Os meninos acham que é mico servir refrigerantes.? Dona de um dos bufês mais requisitados da cidade, ela conta que muitos pais a contratam para eventos e lhe pedem que inclua no cardápio a tal mistura, chamada de ?bebida batizada?. O Complexo Victoria, no Jockey Club, outro espaço procurado por jovens aniversariantes, também aderiu e oferece no bufê a opção, digamos, mais light. Pelo visto, a legislação que proíbe o consumo de álcool por menores não tem a mesma força da Lei Seca.

De boba ela não tem (quase) nada

beira1.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Rainha de bateria da Vila Isabel, a paulista Sabrina Sato deu uma outra prova de que é bem mais esperta do que parece. Seis meses antes do Carnaval, ela garantiu os 60?000 reais de que precisava para confeccionar sua fantasia como uma das protagonistas do desfile. Musa do Pânico na TV, a moça propôs à marca de calças jeans da qual é garota-propaganda uma ação publicitária no Sambódromo. Antes de entrar na Sapucaí, vai circular usando um roupão estampado com o logotipo da empresa. ?Foi ideia minha. Eu juro, eu juro?, diz, ansiosa pela maternidade do projeto. Depois da consolidação dos grandes patrocinadores, há agora uma tendência crescente de empresas de pequeno e médio porte investirem na festa, só que de forma segmentada, bancando, por exemplo, uma ala ou um traje, como é o caso de Sabrina. Problema número 1 resolvido, ainda resta uma preocupação: sua escola será a última a se apresentar no primeiro dia. Para não correr o risco de ficar ?apagadinha?, a ex-BBB abandonou a ideia de vestir penas de faisão de cores claras. Vai apostar em tons escuros para se destacar durante a luz do dia.

?Não meto a cara em um livro há quinze anos?

beira5.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Já imaginou ter a modelo Ana Claudia Michels como sua amiga no cursinho pré-vestibular? Pois a catarinense voltou aos bancos escolares para tentar ingressar na faculdade de medicina, depois de dezesseis anos de uma carreira bem-sucedida na moda. ?Sei que vai ser difícil. Não meto a cara em um livro há quinze anos?, confessa, qual um ex-presidente. ?Mas sou persistente.? A aposentadoria das passarelas se dará aos poucos. O primeiro passo de Ana Claudia será frequentar mais as aulas do preparatório em que está matriculada há pouco mais de um mês, em Higienópolis, São Paulo. O objetivo final, no entanto, é ambicioso: estudar na USP, a melhor universidade brasileira, e se especializar em endocrinologia. Aos 30 anos, está conformada com o fato de que seu salário na futura profissão será menor do que o que ela ganha hoje em apenas uma campanha, com cachês variando entre 20?000 e 50?000 reais. Na semana passada, um contratempo: matou dois dias e veio ao Rio, onde fotografou para uma grife de biquínis, em um ensaio na Praia de Copacabana. ?Depois eu compenso.?

Emoções, sim; caricatura, não

beira2.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Os críticos têm sido generosos ao elogiar o desempenho do novato Tiago Abravanel, neto de Silvio Santos, como protagonista do espetáculo Tim Maia, Vale Tudo. Poucos, porém, prestaram atenção no estreante Reiner Tenente, intérprete do cantor Roberto Carlos em fase inicial da carreira. Com uma atuação sólida, o mineiro de 31 anos se destaca por incorporar os trejeitos do rei, inclusive o tom da voz, sem cair na representação burlesca de uma das imitações mais batidas entre comediantes. ?Roberto tem marcas fortes que foram muito exploradas por humoristas como Fafy Siqueira e Tom Cavalcanti?, lembra. ?Minha preocupação era ir além da caricatura e passar verdade no palco.? É dele também o papel do produtor Nelson Motta, que foi amigo de Tim Maia por trinta anos e é autor da peça. Nelsinho acompanhou os ensaios e aprovou a performance do ator. Resta agora a chancela de Roberto Carlos, que prometeu comparecer à plateia do Teatro Carlos Gomes, em outubro.

A mamma saiu

beira4.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Quem jantou no Mamma Jamma nos últimos dias sentiu a ausência da pizzaiola Val dos Santos, peça-chave do restaurante no Jardim Botânico. Filha de portugueses, ela deixou a casa há um mês, alegando ?divergência com os outros cinco sócios sobre os rumos do negócio?. Conhecida por uma clientela variada, que vai da atriz Priscila Fantin a políticos, a chef volta à cozinha em setembro, quando está marcada a abertura do Fornazza, empreendimento em parceria com o empresário Rafael Marinho, dono da rede Bella Blu. Com mais de 45 tipos de pizza no cardápio, a casa será a primeira na cidade a ter uma adega exclusiva para azeites, com cinquenta rótulos. Alguns podem custar mais de 600 reais. Em um ritual que lembra o do vinho, a mestre-cuca vai sugerir harmonizações entre o óleo de oliva e as redondas. ?Vamos levar o azeite à mesa e servi-lo em uma molheira, sem custo para o cliente?, explica. Chique.

Fonte: VEJA RIO