EDIÇÃO DA SEMANA

Beira-mar

Histórias e novidades sobre celebridades e personalidades do Rio

Por: Carla Knoplech - Atualizado em

Na cadência do samba

beira-mar-03.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Tradição do Carnaval carioca, os bailes de salão voltaram com tudo nos dois últimos anos. Em 2013, parece que não será diferente. Roberta Sá já confirmou presença no Baile da Rosa, idealizado por ela e que terá cinco edições durante os meses de janeiro e fevereiro na casa de shows Miranda, na Lagoa. No repertório, além de composições próprias, a intérprete vai apresentar músicas de artistas da sua geração, como Mariana Aydar e Sílvia Machete, e resgatar canções da década de 50, de autoria de Dolores Duran, por exemplo. "Busquei inspiração para escolher essas músicas nos bailados da Lapa de antigamente e nos lugares que sempre frequentei, como o Democráticos e o Semente", conta a cantora, que já encomendou um figurino com muitas rosas para o palco. Como se precisasse de algum artifício para que a notem.

Bijuterias de luxo

beira-mar-02.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Poucas e boas marcas passam pelo crivo da poderosa herdeira das Casas Bahia Natalie Klein. Responsável por escolher as peças vendidas na multimarcas de luxo NK Store, ela acaba de fechar mais um contrato. A partir de sábado (10), bijuterias da Virzi + De Luca, lançada há apenas cinco meses no Rio, dividirão as prateleiras com roupas de Stella McCartney, Céline e Lanvin, tanto na filial carioca quanto na matriz em São Paulo. "Nosso próximo passo é entrar no mercado internacional. Já começamos a fazer contatos na Europa e na Ásia", acrescenta Marcela Virzi, responsável ao lado da it-girl Betina De Luca pelos maxicolares mais desejados da temporada. As peças não são feitas de ouro nem de prata, mas os preços chegam perto: uma delas pode custar até 1 800 reais.

Repercussão indigesta

beira-mar-01.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Monotonia é um ingrediente que não combina com a vida de dono de restaurante. Na última semana, André Cunha Lima estava às voltas com a chegada de um grupo de investidores que veio visitar as unidades cariocas da rede de hambúrgueres Joe & Leo?s quando aconteceu um contratempo. Enquanto preparava a recepção dos executivos interessados em levar a marca para Angola, ele foi surpreendido por um incidente na unidade do Shopping Casa & Gourmet. Na tarde do último domingo (4), parte do teto desabou após um problema na tubulação do sistema anti-incêndio e o assunto acabou reverberando na internet. "Foi muito barulho por nada, ninguém se feriu. Mas, com as redes sociais, tudo acaba dobrando de tamanho", explica André.Rainha cinco-estrelas

beira-mar-04.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Alçada na noite da última sexta-feira (9) a um dos postos mais cobiçados do Carnaval carioca, com direito a festa na quadra, Patrícia Nery é uma rainha de bateria surpreendente. A começar pela formação. Graduada em publicidade, com MBA em moda e ainda cursando psicologia, essa morena de 1,65 metro e 106 centímetros de quadris estará em 2013 à frente dos ritmistas da tradicionalíssima Portela. Com faro para negócios, ela também é figurinista. Sua especialidade é compor o guarda-roupa de executivas. "Ensino que nem sempre o terninho precisa ser preto", diz. Destaca-se ainda pela idade: 38 anos, bem mais que a média de suas colegas da Sapucaí. Nascida e criada em Madureira, Patrícia (que em 2012 desfilou no mesmo papel pela Renascer) substitui neste ano a atriz Sheron Menezzes, 28, que deixou a escola azul e branca por desavenças com a diretoria. A sucessora, porém, não demonstra medo do desafio. "Sou uma mulher cinco-estrelas", ela conta. Não que seja tão prosa -- trata-se apenas do número de tatuagens nesse formato em seu corpo: nos pés, nos braços e na nuca.

A peça virou filme

beira-mar-05.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

O espetáculo conta a história de Dona Hermínia, uma mulher aposentada que não sabe o que fazer depois que seus filhos crescem e saem de casa. Com mais de 1 milhão de espectadores, Minha Mãe É uma Peça foi o primeiro grande sucesso da carreira de Paulo Gustavo e lhe rendeu uma indicação ao Prêmio Shell de melhor ator. Agora o comediante, sucesso na terceira temporada do programa 220 Volts, no canal de TV por assinatura Multishow, vai levar a personagem do monólogo para a telona. "A ideia surgiu na época em que estava gravando O Divã, que também saiu do teatro para o cinema", diz ele. Uma curiosidade sobre o filme, com estreia prevista para junho de 2013: Paulo colocou sua mãe, a musa inspiradora do texto original, como figurante das filmagens.

Fonte: VEJA RIO