EDIÇÃO DA SEMANA

Beira-mar

Histórias e novidades sobre a sociedade carioca

Por: Daniela Pessoa

Piscina com vista para a ponte

Tyto Neves
(Foto: Redação Veja rio)

Faz tempo que a Zona Portuária vem atraindo o interesse de grandes empresários. O magnata americano Donald Trump anunciou a construção de um complexo ali. Depois veio a notícia de que o arquiteto inglês Norman Foster teria torres no local assinadas por ele. Mas, de fato, são raros os empreendimentos que já têm data para sair do papel. O empresário paulista Emílio Kallas promete que o hotel que planeja instalar no lugar pertence a essa categoria e abrirá as portas em 2015. Dono da construtura que leva seu sobrenome, ele é todo ambição e planeja criar na região uma espécie de Fasano do Centro. "Teremos até uma piscina de borda infinita na cobertura", propangadeia, referindo-se à área de lazer voltada para a Baía de Guanabara. O difícil vai ser convencer que as águas, digamos, escuras e turvas e com a Ponte Rio-Niterói ao fundo, são comparáveis ao panorama da praia e ao Morro Dois Irmãos, vistos do hotel de Ipanema.

Ele anda estressadinho

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Na última semana, quando viu o material de divulgação de duas festas que trombeteavam sua presença, o ator Caio Castro não se acanhou e tascou o dedo no tecladinho do smartphone: "Mentira!!! Estão dizendo que eu vou!!! Só esqueceram de me contratar!!! Eu não vou!! Mais uma vez pessoal tentando dar de esperto!!!", esbravejou o ator no Instagram, com todas as letras maiúsculas e os pontos de exclamação a que tem direito na legenda de uma foto do convite. Fora do ar depois de se recusar a participar de quatro novelas e ter se atrasado para gravações, comparecer a eventos continua sendo um lucrativo ganha-pão para o bonitão marrento. O cachê do moço, que perdeu seu contrato fixo com a TV Globo e só voltará à telinha na próxima novela das 7, em 2015, pode custar até 5?000 reais para ele chegar, sorrir e partir de uma festa.

Treinamento militar

Mauricio Nahas/Boa Forma
(Foto: Redação Veja rio)

Como de costume, Giovanna Antonelli está roubando o papel de personagem principal da novela em que atua. Na semana passada, a atriz, no ar como a Clara de Em Família, protagonizou um beijo gay. Além da elogiada atuação, chama atenção o corpo esbelto e bem torneado que ela vem exibindo na telinha. Aos 38 anos e mãe de três filhos, a capa da edição de julho da BOA FORMA garante que não é adepta de academia. "Nunca gostei de malhar, mas no crossfit não tem monotonia, ele me dá prazer", diz, entregando o segredo das belas pernas exibidas na foto ao lado. De tão entusiasmada com o programa inspirado em treinamentos militares, que envolve pular corda, subir escada e levantar pneu, ela está levando vários colegas da trama para as aulas num centro especializado na atividade na Barra. Bruna Marquezine, Helena Rinaldi e Reynaldo Gianecchini, por exemplo, já aderiram à modalidade.

"Sou um cara que tem estrela"

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Ator conhecido por um único papel (e ainda assim sofrível), o eterno Cigano Igor da novela Explode Coração (1995), Ricardo Macchi está em êxtase com sua primeira aparição no cinema. O filme em questão é um drama de baixíssimo orçamento dirigido pela argentina Rosario Boyer, discípula do cineasta Lars von Trier, famoso por obras polêmicas como a recente série Ninfomaníaca. Macchi conversou com a coluna sobre o filme, Os Tubarões de Copacabana, rodado no Rio.

Como surgiu o convite para participar do filme?

A diretora tinha assistido a Explode Coração na Argentina, ficou interessada no meu trabalho e me chamou para fazer o teste. No dia, montei um figurino todo surfista, que tinha a ver com a história, para induzi-la a me escolher. Mas ela me quis por causa do meu físico e da minha popularidade.

O que você achou de atuar pela primeira vez no cinema?

Rosario ficou muito impressionada com a minha inteligência cênica. Para fazer filme bem, tem de ter talento. Faço o segundo papel mais legal da trama, porque o protagonista é o Raul Gazolla.

Tem planos de voltar à TV?

Modéstia à parte, fui brilhante em Explode Coração. Dei tanto ibope que todo mundo só se lembra do Cigano Igor quando pensa na novela. Sou um cara que tem estrela. Quero voltar, sim, mas sendo convidado. Não imploro papel a ninguém.

De volta à estaca zero

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Ela iniciou sua trajetória artística nas novelas, mas Daniele Suzuki acabou seguindo mesmo o caminho de apresentadora. Agora, terá uma segunda chance de voltar às tramas globais. A atriz está no elenco do folhetim adolescente Malhação, no qual, há exatos treze anos, começou sua carreira. "Aceitei o convite porque o projeto está muito melhor do que na minha época. Temos cineastas escrevendo o texto, câmeras modernas e uma cidade cinematográfica inteira à nossa disposição. Antes, disputávamos estúdio", recorda Daniele, que, no início do ano, esteve nos Estados Unidos fazendo curso na New York Film Academy para encorpar o currículo. "Os cuidados com a nova fase são tantos que o diretor chegou a analisar pessoalmente o cabelo de cada ator para ver se o caimento e a cor estavam legais no vídeo. Nunca vi nada parecido", valoriza.

Fonte: VEJA RIO