EDIÇÃO DA SEMANA

Beira-mar

Histórias e novidades sobre a sociedade carioca

Por: Daniela Pessoa

Dia dos namorados atrasado

André Arruda/Contigo! (Bruna) e Thibault De Saint-Chamas/Divulgação (Neymar)
(Foto: Redação Veja rio)

O clima de Copa foi incapaz de esfriar a paixão recém-atada da atriz Bruna Marquezine pelo jogador da seleção Neymar Jr. A tensão dos jogos foi deixada totalmente de lado, ao menos na noite de terça passada (17), quando o casal se hospedou no Hotel Santa Teresa. Bruna, que reservou a suíte de luxo onde já ficou a cantora Amy Winehouse, chegou por volta das 9 da noite e solicitou arranjos e pétalas de flores, uma garrafa do champanhe Veuve Clicquot, mais chocolates e macarons de morango. Liberado após o empate de 0 a 0 contra o México, Neymar chegou bem mais tarde, perto de 2 da manhã, e os dois só deram sinal de vida ao meio-dia do dia seguinte, quando pediram o café da manhã no quarto. A torcida é grande para que o craque também desencante nos gramados.

A licença acabou mais cedo

Pino Gomes
(Foto: Redação Veja rio)

Mãe de um menino que acabou de completar 2 meses, a atriz Regiane Alves está com um olho no filho e o outro no cinema. É que ela é a protagonista de dois novos filmes, o infantojuvenil O Menino no Espelho, inspirado na obra do escritor Fernando Sabino, em que contracena com Mateus Solano, e o thriller Isolados, com Bruno Gagliasso, que estreiam respectivamente em julho e setembro deste ano. "Ainda não acredito muito nesse mercado cinematográfico brasileiro, mas fico empolgada em fazer parte de produções como essas", afirma Regiane em referência a uma indústria dominada pelo gênero da comédia. Gravado há mais de um ano, Isolados esteve de fato emperrado na fase de distribuição até que a Downtown Filmes, responsável por sucessos como Até que a Sorte Nos Separe e De Pernas pro Ar, decidisse apostar no produto.

Aplausos pela antipatia

John W. McDonough
(Foto: Redação Veja rio)

No último fim de semana, o jogador de basquete americano Kobe Bryant, ala-armador do Los Angeles Lakers, causou alvoroço no Rio. Para o bem e para o mal. De passagem pela cidade para inaugurar uma quadra esportiva no Aterro do Flamengo, o atleta chegou distribuindo sorrisos e bateu até uma bolinha inaugural no espaço, mas não esboçou tanto bom humor assim na noite carioca. Pelo contrário. Bryant provocou confusão numa festa que aconteceu em um tradicional prédio da Zona Sul. Escoltado por seguranças o tempo inteiro, mostrou-se inacessível aos fãs e aos flashes. Um dos brutamontes chegou inclusive a arrancar o celular da mão de um dos convidados, que tentava fazer um registro com o ídolo. Só que, na hora de ir embora, o esportista ficou preso no elevador pantográfico do prédio junto com seus capangas. Houve quem aplaudisse.

Uma correspondente pra lá de especial

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Ela pode até passar despercebida pelas ruas do Rio, mas na Alemanha, onde mora há 21 anos, Fernanda Brandão é uma autêntica celebridade. Cantora, atriz, apresentadora, personal trainer, garota-propaganda de uma marca esportiva e dona de duas linhas de perfume, ela ficou famosa após participar como jurada da versão alemã do programa de TV Ídolos. Agora, está de volta à capital fluminense, onde foi criada até os 10 anos, como correspondente da emissora ARD na Copa. Fernanda é a única brasileira na equipe de 600 funcionários do canal estrangeiro. "Ser bonita e ter essa aura alegre e exótica do Brasil ajuda a alavancar a carreira em meio a tantas alemãs sem brilho, mas lá ninguém olha para o seu decote na hora de fechar contrato. Tem de provar o talento", garante Fernanda, eleita a mulher mais sexy do mundo por uma revista alemã.

Chá de cadeira

Arquivo pessoal
(Foto: Redação Veja rio)

Radicada em Búzios, a artista plástica Christina Motta, conhecida pela escultura da atriz Brigitte Bardot na orla do balneário, está com três obras encomendadas pela prefeitura do Rio totalmente paradas. Há quatro anos, a Riotur lhe pediu uma estátua do maestro Tom Jobim, que está pronta, mas ainda não foi alocada em lugar algum. "A família dos homenageados costuma ser tão ou mais enrolada do que o governo. Briga muito, aí demora a autorizar a instalação. O que era para ser algo bacana vira um imbróglio", desabafa Christina. O mesmo acontece com as peças de Carmen Miranda e de Cazuza. Até o fim do ano, no entanto, está prometido o monumento em homenagem às doze crianças assassinadas em 2011 numa escola pública em Realengo. "O prazo do prefeito é novembro, mas sabe como é, né?", indaga incrédula a escultora, que não cobra menos do que 150?000 reais por projeto.

Fonte: VEJA RIO