COPA NO RIO

Comer e Beber

Novidades gastronômicas da cidade, clássicos cariocas, paisagens que alimentam a alma e outras sugestões

Que vista!

Fernando Frazão
(Foto: Redação Veja rio)

O Rio está repleto de enderec?os em que a paisagem de tirar o fôlego tem ares de prato principal. Imbatível na lista, o Bar Urca funciona assim: cerveja gelada e petiscos saem do balcão para ser degustados do outro lado da rua, na mureta voltada para a Enseada de Botafogo. O restaurante Aprazível, em Santa Teresa, tem delícias da cozinha brasileira, além da vista do Centro e da Baía de Guanabara. Das janelas do Albamar, reduto de peixes e frutos do mar em uma torre antiga na Praça Marechal Âncora, descortina-se o palacete verde da Ilha Fiscal. O Espac?o 7zero6 capricha: a orla de Ipanema e Leblon, de um lado, e, do outro, a Lagoa e o Cristo Redentor.

• Albamar. Prac?a Marechal Âncora, 184, Centro, ☎ 21-2240-8378.

• Aprazível. Rua Aprazível, 62, Santa Teresa, ☎ 21-2508-9174.

• Bar Urca. Rua Candido Gaffrée, 205, Urca, ☎ 21-2295-8744.

• Espaço 7zero6. Av. Vieira Souto, 706, cobertura (Praia Ipanema Hotel), Ipanema, ☎ 21-2141-4990.

Para todos os bolsos

Tomás Rangel
(Foto: Redação Veja rio)

Um desafio para qualquer turista, em qualquer lugar, é encontrar aquele reduto de boa comida que não dói no bolso. No Rio, têm lugar de destaque nessa lista seleta a cantina La Trattoria (Rua Fernando Mendes, 7 A, ☎ 21-2255-3319) e a tradicional A Polonesa (Rua Hila?rio de Gouveia, 116, ☎ 21- 2547-7378). Nos dois enderec?os, ambos em Copacabana, encontram-se pratos saborosos a prec?os abaixo de R$ 30,00. Em outro extremo, a cidade também é pródiga em endereços de chefs prestigiados, com seus menus surpreendentes (e caros). São experiências que valem quanto pesam na carteira o Olympe (Rua Custódio Serrão, 62, ☎ 21-2539- 4542), de Claude Troisgros; o Oro (Rua Frei Leandro, 20, ☎ 21-7864-9622), de Felipe Bronze; o Irajá (Rua Conde de Irajá, 109, ☎ 21-2246-1395), de Pedro de Artagão, e o Roberta Sudbrack (Avenida Lineu de Paula Machado, 916, ☎ 21-3874- 0139), sob o nome e o comando da cozinheira gaúcha que liderou a cozinha do Palaácio da Alvorada.

Três receitas nascidas no Rio

Fernando Lemos
(Foto: Redação Veja rio)
File? a? francesa

Dois pontos tradicionais reivindicam o ti?tulo de berço do prato - e o servem até hoje. Um é o Café Lamas, aberto ha? 140 anos, onde já foram clientes o presidente Getu?lio Vargas e o escritor Machado de Assis. Outro, o Nova Capela, funciona na Lapa desde 1903. Em ambos se conta a mesma histo?ria: nos anos 40, um cliente francês pedia sempre seu turnedô com batata palito e, por cima, presunto, cebola e ervilha.

• Café Lamas. Rua Marquês de Abrantes, 18, Flamengo, ☎ 21-2556-0799).

• Nova Capela. Av. Mem de Sá, 98, Lapa, ☎ 21-2507-1841).

Fernando Lemos
(Foto: Redação Veja rio)
Sopa leão veloso

Embaixador brasileiro na França, Paulo Leão Veloso (1887-1947) era apreciador da bouillabaisse, sopa de frutos do mar ti?ípica de Marselha. Conta-se que, de volta ao Brasil, o diplomata gourmet entrou na cozinha do Rio Minho, onde costumava almoçar, e preparou sua versão do prato. O caldo de cabeça de peixe, polvo, lula, camara?o e outros frutos do mar ainda é servido na casa, mas também é encontrado no popular O Caranguejo.

• Rio Minho. Rua do Ouvidor, 10, Centro, ☎ 21-2509-2338.

• O Caranguejo. Rua Barata Ribeiro, 771, Copacabana, ☎ 21-2235-1249.

Fernando Lemos
(Foto: Redação Veja rio)
Filé à oswaldo aranha

Reduto de políticos quando o Rio era capital federal, o Cosmopolita ficou conhecido, na década de 30, como "Senadinho". Um de seus frequentadores, Oswaldo Aranha (1894-1960), diplomata e ministro de Getúlio Vargas, empresta o nome ao filé alto, coberto de alho frito, acompanhado de batata portuguesa, arroz e farofa de ovo. Patrimônio carioca, a receita ganha versão contempora?nea no Salitre.

• Cosmopolita. Travessa do Mosqueira, 4, Lapa, ☎ 21-2224-7820.

• Salitre. Rua Barão da Torre, 632, Ipanema, ☎ 21-2540-5719.

novidades.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Fonte: VEJA RIO