COTIDIANO

Bairros da Depressão

Páginas sobre bairros do Rio nas redes sociais relatam de forma bem-humorada problemas enfrentados pelos moradores

- Atualizado em

A moda começou há alguns meses e continua com força nas redes sociais. As fan pages criadas no Facebook com nomes de diversos bairros da cidade e o complemento ?da Depressão? listam, de forma bem-humorada, os principais problemas enfrentados pelos moradores, além de piadas com os hábitos e peculiaridades de cada local. Tudo começou em 2009, devido à foto de um cão que inspirou a criação nos Estados Unidos do site Depression Dog. A partir daí, a ideia se espalhou pelas redes e não demorou a chegar ao Brasil que, além de uma página do próprio cão, se estendeu diversos outros temas, até chegar aos bairros do Rio.

grajau.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Hoje, bairros como Barra da Tijuca, Recreio, Jacarepaguá, Vila da Penha, Botafogo, Tijuca e Copacabana têm suas tiradas depressivas na rede social, mostrando que a moda pegou mesmo em todas as partes da cidade. Na descrição da página sobre o Grajaú, bairro vizinho à Tijuca, na Zona Norte, se lê ?Grajaú, o bairro onde quase nada acontece?. As brincadeiras vão desde o grande número de micos encontrados nas árvores, até a velocidade com que as linhas de ônibus do bairro costumam circular.

meier.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Além de relatar problemas nos serviços públicos, as páginas também servem como um canal de comunicação entre os moradores dos bairros. Na página do Grande Méier, uma das mais populares, com cerca de 25 000 membros, são comuns as postagens com relatos de assaltos, denúncias de estabelecimentos comerciais ou até divulgação de campanhas de doação de sangue e eventos. Em tempos de manifestações, os bairros da depressão também servem como um serviço de onde vai haver passeatas e transmissão de notícias que afetam diretamente os moradores locais.

copacabana.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Cada um dos bairros aproveita para destacar peculiaridades dificilmente encontradas em outras áreas. Em Copacabana, por exemplo, há espaço para os estabelecimentos comerciais que ocupam um dos bairros mais tradicionais da cidade ? como, por exemplo, uma locadora chamada Mack-Donia e definida como ?o fast-food dos vídeos? ? ou brincadeiras com as explosões de bueiros que volta e meia afetam o bairro. Na Barra da Tijuca e no Recreio, as protagonistas de grande parte das piadas são as capivaras, facilmente encontradas no canais e parques da região. E o seu bairro, também tem uma página da depressão?

recreio-1.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Fonte: VEJA RIO