ROTEIRO DA SEMANA

Crianças

Roteiro de peças de teatro, filmes e atrações infantis no Rio

Por: Bruna Talarico - Atualizado em

cinema

HOTEL TRANSILVÂNIA. Cópias dubladas, legendadas e em 3D.

✪✪✪ PARANORMAN. Cópias dubladas e em 3D.

TINKER BELL ? O SEGREDO DAS FADAS. Cópias dubladas e em 3D.

✪✪✪ VALENTE. Cópias dubladas.

ESPECIAL

CALDEIRÃO DE HISTÓRIAS, de Priscila Camargo. A atriz transformou, em 2001, uma coletânea de fábulas no espetáculo que lhe rendeu indicação ao Prêmio Maria Clara Machado. De volta aos palcos para apresentação única em comemoração ao Dia das Crianças, Priscila conta histórias do folclore dos quatro cantos do planeta, como Uma Fábula sobre a Fábula, da cultura turca, Rustam e a Fortaleza de Ferro, da tradição sufi, A Menina que Era Irmã de Sete Dives, que vem da Europa Oriental, e a brasileiríssima A Lenda da Mandioca. Música e adereços complementam harmonicamente a apresentação de cada história. Direção de Cacá Mourthé (60min). Rec. a partir de 5 anos. Caixa Cultural ? Teatro de Arena (176 lugares). Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 2544-4080, Cinelândia. Sexta (12), 14h e 15h30. Bilheteria: a partir das 10h. Grátis.

MITOS: METAMORFOSES NA BIBLIOTECA. As mitologias grego-romana e ameríndia inspiram a exposição, voltada ao público infantojuvenil. Mote para a obra de escritores brasileiros como Monteiro Lobato, Orígenes Lessa e Marcelo Xavier, as narrativas ganham apoio visual em criações do designer Flávio Vignoli e do artista plástico Roberto Marques ? que também são reproduzidas em peças de acrílico, para que deficientes visuais possam conhecer os trabalhos. O público visitante recebe um bem cuidado almanaque que registra o conteúdo da exposição, além de trazer jogos e divertidos exercícios. Concepção, pesquisa e textos de Leonardo José Magalhães Gomes. Centro de Artes Calouste Gulbenkian. Rua Benedito Hipólito, 125, Centro, ☎ 2221-6213. 10h/20h. Grátis. Até dia 21.

PALAVRA CANTADA E ZÉ ZUCA. A dupla de músicos formada por Paulo Tatit e Sandra Peres comemora dezoito anos de carreira com um espetáculo que contempla sucessos, como Sopa e Criança Não Trabalha, além das mais recentes Tá Combinado e O Caramujo e a Saúva. A Fundição Progresso vai ganhar infraestrutura adaptada ao público mirim, com cadeiras na plateia, fraldário e estacionamento para carrinhos de bebê. Também fazem parte do show maquiagens temáticas, pula pula e animação com personagens. O cantor e compositor Zé Zuca, idealizador do programa Rádio Maluca, da Rádio MEC, abre os trabalhos com sua Banda de Brinquedo, formada por Mariano (violão), companheiro inseparável da atração radiofônica, Daluz Gonçalves (violino e guitarra), Michel Nascimento (percussão) e Maurício Durão (teclado), além da participação do mímico Josué Soares. O cenário será composto por frutas gigantes, uma bola-planeta e o Jacaré Espaçonave, que leva todo mundo para passear em sua barriga de 7 metros no encerramento do show de abertura. Fundição Progresso (4?000 pessoas). Rua dos Arcos, 24, Lapa, ☎ 2220-5070. Domingo (14), 16h. R$ 60,00 (cadeiras setor 3) e R$ 80,00 (cadeiras setor 1). Crianças de até 2 anos não pagam ingresso. Bilheteria: 15h/18h (seg. a sáb.); a partir das 15h (dom.). → www.fundicaoprogresso.com.br.

TEATRO PARA BEBÊS. Uma técnica de encenação voltada exclusivamente para a primeira infância surgiu na Europa, nos anos 90. No Brasil, a companhia Teatro para Bebês foi pioneira na dedicação a plateias com idade de 6 meses a 4 anos. Desde 2007, mantém duas de suas obras no circuito: O Cirquinho de Luísa e O Bebê e o Mar. Essa última, em cartaz no Teatro Candido Mendes, conta a história de Júlia (Liliana Rosa), um bebê ainda em gestação. No útero, ela interage com o seu ambiente e mostra, de forma lúdica, o momento do seu nascimento. A trama evolui por meio de associações e analogias, numa narração que busca se aproximar da realidade do público-alvo. No fim do espetáculo, os pequenos espectadores são convidados a explorar o espaço cênico e os objetos utilizados durante o espetáculo (50min). Teatro Candido Mendes (130 lugares). Rua Joana Angélica, 63, Ipanema, ☎ 2267-7295. Sábado e domingo, 15h. R$ 25,00. Bilheteria: a partir das 13h (sáb. e dom.). Até dia 28.

TURMA DA MÔNICA NO MUNDO DO CIRCO. Com a chancela dos Estúdios Mauricio de Sousa, o espetáculo reúne a turma dos quadrinhos em torno de números circenses. Cascão é o equilibrista, Magali vira uma engolidora de sorvetes, Cebolinha faz as vezes de malabarista e Mônica aparece em duas cenas: como mulher barbada e mágica. O elefante verde Jotalhão é o mestre de cerimônias. Profissionais do circo também ocupam o picadeiro. Direção de Mauro Sousa, filho de Mauricio (90min). Estacionamento do Extra 24h (700 lugares). Avenida das Américas, 1510, Barra, ☎ 3228-8001. Quarta a sexta, 20h; sábado e domingo, 15h, 17h30 e 20h. R$ 60,00. Bilheteria: 10h/12h e 13h/18h (ter.); 10h/12h e 13h/20h (qua. a dom.). IC. Até domingo (14).

Teatro

✪✪✪ ALADIM, de Cláudio Figueira. Autor, diretor e coreógrafo de musicais infantis com vasto currículo, Figueira aposta pela primeira vez em uma adaptação ? no caso, de uma história da coletânea árabe As Mil e Uma Noites. A inspiração mais evidente é o longa de animação Alad­din (1991), dos estúdios Disney, mas o que poderia ser uma transposição preguiçosa reserva boas surpresas. A trilha sonora abriga composições feitas para o musical, não versões para os temas da Disney, e todas são defendidas a contento. Vivido por Marcelo Torreão, o gênio é uma atração à parte, distribuindo cacos que provocam gargalhadas. Com Thadeu Torres (Aladim) e Daniele Falcone (princesa Jasmine). Direção do autor e de Carlos Artur Thiré (55min). Rec. a partir de 3 anos. Estreou em 28/1/2012. Teatro Vannucci (400 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52 (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2274-7246. Sexta (12), sábado e domingo, 18h30. R$ 60,00. Bilheteria: a partir das 14h30 (sáb. e dom.). IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até dia 28.

BAGUNÇA NO ZOOLÓGICO, de Cláudio Figueira. Na história, um trio de pinguins disputa uma corrida, mas pega a correnteza errada e vai parar em um zoológico. Os ingênuos Pingo (Marcelo Klein) e Gota (Rodrigo Souza) caem nas graças das patas Pataqui (Sara Marques) e Patacolá (Martina Blink e Cristiana Pompeo, revezando-se ao longo da temporada). Enquanto isso, o marrento Tocha (Carlos Viegas) faz amizade com o pavão Nicolau (André Lemos). Uma confusão se arma até a chegada da jovem Aline (Marina Motta) e da girafa Abrileia (Simone Centurione e Teka Balluthy, também se alternando). Direção do autor e de Carlos Artur Thiré (60min). Rec. a partir de 1 ano. Reestreou em 14/7/2012. Teatro das Artes (457 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52 (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2540-6004. Sexta (12), sábado e domingo, 17h. R$ 60,00. Bilheteria: a partir das 14h (sáb. e dom.). Cc: M e V. Cd: R e V. IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até 25 de novembro.

✪✪✪ AS COISAS, de Arnaldo Antunes. Vencedor do Prêmio Jabuti na categoria poesia em 1993, o livro As Coisas aborda a curiosidade típica dos pequenos e o prazer da descoberta. Adaptado para o teatro, traz aos palcos os mesmos atores da primeira montagem, de 2010: Guilherme Miranda, Flávia Reis e Julia Schaeffer, da Companhia de Teatro Portátil. Em cena, uma boneca falante e uma professora nariguda apresentam poemas extraídos da obra, além dos instrumentos musicais de uma divertida banda de rock. Protagonista da trama, a menina Já, uma boneca manipulada pelo trio, leva coisas do mundo à plateia de um jeito especial. Podem ser objetos achados por acaso que, manipulados, viram outras coisas, como o sol, o mar e uma árvore, graças à técnica de animação, que é marca registrada da trupe. O estilista mineiro Ronaldo Fraga assina os figurinos e a direção musical é de Guilherme Miranda. Ricky Seabra cuidou da direção visual e a cenografia é de Aurora dos Campos. Direção de Alexandre Boccanera (50min). Rec. a partir de 2 anos. Estreou em 29/9/2012. Centro Cultural Banco do Brasil ? Teatro I (175 lugares). Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Sexta, sábado e domingo, 17h. R$ 6,00 e grátis na sexta (12). Bilheteria: a partir das 10h (sex. a dom.). Até dia 21.

COISAS QUE A GENTE NÃO VÊ, de Renata Mizrahi. Elogiada por seu Joaquim e as Estrelas, que abocanhou prêmios como o Zilka Salaberry, um dos mais importantes do teatro infantil brasileiro, a autora volta ao gênero com novo musical. O espetáculo aborda temas bastante atuais: a relação entre tempo e afeto no contexto familiar e como a compensação material da solidão infantil interfere na vida de pais e filhos. As músicas, compostas especialmente para a peça, são da própria Renata, em parceria com Bruno Alexander. Na história, Yasmim (Débora Lamm) é uma menina eternamente insatisfeita, apesar de ter tudo o que quer. Motivos aparentemente bobos, como uma suposta mordida de mosquito ou a atenção dispensada pela mãe (Kelzy Ecard) a um telefonema de trabalho, servem de pretexto para intensas crises de choro. Mas o que poderia ser rotulado como birra de criança é, na verdade, um recurso inconsciente da garota para chamar a atenção da família para a sua solidão. Os amigos da protagonista, Beatriz (Elisa Pinheiro), menina rica e mimada, e Raimundo (Anderson Cunha), garoto simples e cheio de vida, vão ajudá-la a entender quais são essas coisas que não se vê e lhe fazem tanta falta: afeto e carinho. Direção de Joana Lebreiro (55min). Rec. a partir de 5 anos. Estreou em 4/9/2012. Espaço Sesc ? Arena (222 lugares). Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, ☎ 2547-0156. Quarta (10), 15h; quinta (11), 10h; sexta (12), 15h; sábado (13) e domingo (14), 15h e 17h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 9h30 (qua. a dom.). Até dia 26.

✪✪✪✪✪ A COZINHEIRA, O BEBÊ E A DONA DO RESTAURANTE, de Ademir de Souza. A peça da Companhia do Gesto conquista pela originalidade. O próprio autor cuida da sonoplastia, fundamental para o desenrolar da trama. No palco, o cenário reproduz uma cozinha simples ? fogão e geladeira nem aparecem: são espertamente representados por luzes vindas das coxias. Ali, a Cozinheira (Tania Gollnick, em atuação irretocável) prepara os pratos servidos no salão da Dona do Restaurante (Isadora Medella, do grupo musical As Chicas, caricata e divertida). A rotina da dupla é abalada pela chegada repentina de um bebê. Esse fiapo de história é a deixa para uma animada montagem em ritmo de desenho animado. Sem diálogos, os personagens se comunicam por meio de uma fala atropelada, ininteligível e, mesmo assim, passam muito bem o seu recado. Direção de Luis Igreja (60min). Rec. a partir de 3 anos. Estreou em 8/9/2012. Oi Futuro Flamengo (84 lugares). Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060, ? Largo do Machado. → Sábado e domingo, 16h. R$ 15,00. Bilheteria: a partir das 11h (sáb. e dom.). Até 28 de outubro.

A ESTRANHA VIAGEM DE MARIA CECÍLIA, de Carlos Cardoso. Criado com a colaboração de alunos da rede pública de ensino, uma iniciativa que visa a formação de plateia e a inclusão de crianças e jovens no processo de criação teatral, o espetáculo tem montagem poética. Diana Hime, Gabriela Estevão e Stella Brajterman, atrizes do grupo Teatro das Possibilidades, dividem-se na interpretação da pequena Maria Cecília, protagonista da história, e de personagens que com ela interagem. Criativa, a menina vive de contar histórias que nunca terminam e, portanto, deixam para o espectador a tarefa de imaginar continuações para os enredos. Direção de Adriana Maia (60min). Rec. a partir de 6 anos. Estreou em 6/9/2012. Teatro Poeirinha (45 lugares). Rua São João Batista, 104, Botafogo, ☎ 2537-8053. Sexta (12), sábado e domingo, 17h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Até 4 de novembro.

✪✪✪ HISTÓRIA DE LENÇOS E VENTOS, de Ilo Krugli. Um dos grupos de teatro infantil mais importantes do país, com Krugli entre seus fundadores, o Ventoforte tem sua primeira peça, de 1974, encenada pela Cia. Guerreiro. A trama se desenvolve como um teatro de fantoches proposto por um grupo de crianças em um quintal. Do varal e de objetos do cotidiano saem os singelos e criativos personagens. A protagonista é Azulzinha do Quintal (Anna Machado), um lenço azul com espírito aventureiro que foge graças ao vento da madrugada, metáfora para a liberdade. Desprotegida, acaba sendo levada para uma cidade fria e monótona governada pelo Rei Metal Mau (Ipojucan Dias), que quer se casar com ela. Cabe, então, ao Papel de Jornal (Jorge Farjalla) resgatá-la. Sem muitos recursos de apoio, a montagem se vale da imaginação do público e da constante interação para levar adiante a simpática história. Leandro Finotti (flauta) e Breno dos Reis (violão) escoltam o elenco, tocando ao vivo. Direção de Jorge Farjalla (45min). Rec. a partir de 3 anos. Estreou em 14/7/2012. Sesc Rio Casa da Gávea (80 lugares). Praça Santos Dumont, 116, Gávea, ☎ 2239-3511. Sábado e domingo, 16h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 13h30 (sáb. e dom.). Até dia 28.

HISTÓRIAS DE ALEXANDRE, adaptação de Heloisa Leite a partir da obra de Graciliano Ramos (1892-1953). O livro de contos homônimo, lançado em 1938, inspira esta montagem. A peça é protagonizada pelo vaqueiro nordestino Alexandre (Antonio Karnewale e Cesar Amorim se alternam no papel). Ele recorre a causos mirabolantes para reinventar a difícil realidade em que vive. Ao lado de Cesárea (Marcê Porena), que confirma os relatos fantasiosos nos quais o marido é sempre o herói invencível, o personagem passeia por aventuras do folclore reunidas por Graciliano. Conhecido por realizar um trabalho entre o erudito e o popular, influenciado pelo movimento armorial, o bom grupo Pedra Lispe executa a trilha sonora. O conjunto é formado por Alexandre Bittencourt (flautas), Rudá Brauns (bandolim), Pedro Messina (violão de sete cordas), Bruno Reis (viola sertaneja), Maria Clara Valle (violoncelo) e Thiago Kobe (percussão). Direção de Antonio Karnewale (60min). Rec. a partir de 5 anos. Estreou em 29/9/2012. Centro Cultural Banco do Brasil Teatro II (158 lugares). Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Sexta (12), 15h (grátis). Sábado e domingo, 16h. R$ 6,00. → Bilheteria: 9h/21h (fecha seg.). Até 4 de novembro.

✪✪ HISTÓRIAS DE MEDO, adaptação de Priscila Camargo. Contos, lendas e histórias tradicionais de várias culturas que versam sobre o medo ? e as diversas formas de lidar com esse sentimento ? são interpretados de forma espontânea pela autora, com recursos teatrais, bonecos e cenário que se adapta a cada trama. A interação com o público a partir de perguntas sobre seus medos faz sucesso entre os pequenos, assim como o acompanhamento dos músicos Marcelo Daguerre (violão) e Anderson Vilmar (percussão). Em cena, são apresentadas obras como o conto indígena brasileiro A Cobra Surucucu e o Sapo Tarô-Bequê, a narrativa sufi O Príncipe Adil e os Leões e, oriunda do Japão, A Anciã que Não Tinha Medo. Direção de Aracy Cardoso (60min). Rec. a partir de 4 anos. Estreou em 8/9/2012. Teatro Laura Alvim (245 lugares). Avenida Vieira Souto, 176, Ipanema, ☎ 2332-2016, ? General Osório. Sábado e domingo, 17h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (sáb. e dom.). Até 28 de outubro.

✪✪✪ LEONARDO ? O PEQUENO GÊNIO DA VINCI, de Ivan Fernandes. A peça conta a história de Leonardo da Vinci (Paulo Mathias Jr.) quando criança. Amigo dos pássaros, seu sonho é construir uma máquina de voar. Por essas e outras, é considerado um excêntrico pelo pai, Dom Pietro (Claudio Amado), e pelos moradores do vilarejo onde vive. O único que parece entendê-lo é um mercador, que pretende levar o garoto para Florença, onde ele poderá desenvolver seus talentos. Mathias Jr. lidera com muito carisma o divertido elenco, que se vale de bonecos e máscaras para valorizar a montagem. Direção do autor (60min). Livre. Reestreou em 6/10/2012. Sesc Tijuca -- Teatro I (259 lugares). Rua Barão de Mesquita, 539, Tijuca, ☎ 3238-2100. Sábado e domingo, 17h. R$ 12,00. Bilheteria: a partir das 15h (sáb. e dom.). Até domingo (14).

✪✪✪✪ A MENINA E O VENTO, de Maria Clara Machado (1921-2001). Nova montagem para o clássico levado ao palco pela primeira vez em 1963. André Mattos, figura conhecida da televisão e do cinema, interpreta o Vento. É com ele que a menina Maria (Isabella Dionísio) estabelece uma grande amizade, enfrentando a desconfiança dos adultos. A cena da garota voando pelos céus nas costas do amigo, apresentada na temporada original através do pioneiro uso de slides, desta vez é projetada em 3D, com direito a óculos distribuídos à plateia. Direção de Cacá Mourthé (60min). Rec. a partir de 3 anos. Estreou em 30/6/2012. O Tablado (147 lugares). Avenida Lineu de Paula Machado, 795, Lagoa, ☎ 2294-7847. Sábado e domingo, 17h. R$ 10,00 (ingresso promocional associado a doação de uma lata de leite em pó). Bilheteria: a partir das 15h (sáb. e dom.). IC. Até 16 de dezembro.

✪✪✪✪ NO JOGO DO CAIPORA CURUPIRA JOGA AGORA, de Demetrio Nicolau. O espetáculo da Cia. Pop de Teatro Clássico começa propondo uma brincadeira. Escoltadas pelo músico Allysson Alves (violão e percussão), as atrizes Clara Santhana e Paula Cavalcanti andam sobre uma espécie de tabuleiro gigante, obedecendo ao número de um dado lançado por elas ou por uma criança na plateia. São 26 casas, cada uma com a sigla de um estado brasileiro e uma letra do alfabeto. Cada avanço inspira um esquete sobre a cultura popular do país, que pode envolver dramatização em cima de histórias de nosso folclore, cantigas, parlendas e adivinhações. Sem esforço, a garotada entra no jogo, canta junto, arrisca respostas para as charadas ? e, de quebra, toma lições sutis de geografia e primeiras letras. Mérito do diretor e autor Demetrio Nicolau, que juntou essas pontas de forma divertida, e das atrizes, que aliam talento e disposição em cena (50min). Rec. a partir de 5 anos. Reestreou em 6/9/2012. Teatro Maria Clara Machado (125 lugares). Rua Padre Leonel Franca, 240 (Planetário da Gávea), Gávea, ☎ 2274-7722. Sábado e domingo, 17h. R$ 20,00. Bilheteria: 14h/21h (seg. a sex.); a partir das 14h (sáb. e dom.). Até 4 de novembro.

AS PAPARUTAS, de Lázaro Ramos. Escrita pelo ator em 2002, a peça já ganhou montagens na Bahia e no Espírito Santo. No Rio, no entanto, tem estrutura diferente: a encenação, antes defendida por elenco mirim, agora conta com intérpretes adultos. Inspirada na festa popular homônima que acontece na Ilha do Pati, no município baiano de São Francisco do Conde, a fábula é narrada por Jovi (Samuel de Assis), um garoto inventivo. Ele conta a história das paparutas, guardiãs da cultura africana. A chegada de uma nova integrante ao grupo (Maria Gal) desperta a insegurança da líder da turma (Renata Celidonio). A personagem decide, então, que todos sejam transformados em seu ideal de perfeição: ela mesma. Direção de Luiz Antônio Pillar (80min). Rec. a partir de 7 anos. Estreou em 8/9/2012. Teatro Fashion Mall ? Sala 2 (297 lugares). Estrada da Gávea, 899 (Fashion Mall), São Conrado, ☎ 2422-9800. → Sábado e domingo, 17h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 15h (sáb. e dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. Estac. (R$ 8,00 por duas horas). Até 25 de novembro.

✪✪✪✪ A PEQUENA VENDEDORA DE FÓSFOROS, adaptação de Denise Crispun para conto de Hans Christian Andersen. Na história triste, Maria (Dayse Pozato, também idealizadora do projeto) é uma menina pobre que sonha com uma vida melhor. Ela está sempre às voltas com lembranças da falecida avó (Beth Lamas), enquanto trabalha para ajudar o pai (Paulo Trajano). Durante os festejos de fim de ano, em uma noite de inverno, Maria sai de casa para vender fósforos e decide acendê-los para se aquecer. A partir daí, seus desejos começam a tomar conta da sua imaginação. Direção de Lúcia Coelho (60min). Rec. a partir de 4 anos. Estreou em 1º/9/2012. Oi Futuro Ipanema (120 lugares). Rua Visconde de Pirajá, 54, 3º andar, Ipanema, ☎ 3131-9333, ? General Osório. → Sábado e domingo, 16h. R$ 15,00. Bilheteria: a partir das 14h (sáb. e dom.). Até 28 de outubro.

TRÊS MARIAS, de Gabriel Naegele. Típico das farsas, um tom burlesco domina o musical que narra as aventuras da trupe mambembe encabeçada por Antonio Maria (Naegele, o autor), Zé Maria (Leonam Thurler) e Maria Aparecida (Denise Peixoto). Completam o elenco, defendendo outros papéis e tocando instrumentos, Aline Peixoto e David Lucas. No palco, todos se desdobram em personagens diversos para apresentar a trama de amor que envolve um anjo da guarda, Gabriel (Thurler), e sua protegida, Janaína (Denise). O romantismo do enredo, que a princípio não ultrapassaria limites platônicos, transborda no fim da fábula embalada por músicas interpretadas ao vivo. Um detalhe interessante revela-se na estrutura adotada: sem coxias, o palco escancara diante do público momentos de troca de adereços e figurinos, para as mudanças de personagens, além da entrada e saída de cena dos atores. Coloridos, os figurinos de Thurler, construídos com retalhos e sucata, também prometem chamar atenção. Direção do autor (50min). Rec. a partir de 5 anos. Estreou em 15/9/2012. Teatro dos Quatro (402 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52 (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2239-1095. Sexta (12), sábado e domingo, 17h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 14h (sáb. e dom.). IC. Estac. (R$ 3,00 a primeira meia hora). Até 28 de outubro.

VEM NESSE TREM, de Carol Futuro. Um tapete que retrata os trilhos de um trem e a natureza do entorno servem de palco para a atriz e cantora Carol Futuro, que também assina o roteiro. Ao lado do violonista Tiago Calderano, ela entoa canções folclóricas, entre outras de autoria de Agnes Moço, Bia Bedran e Vinicius de Moraes ? os temas reforçam a narrativa que se desenrola em uma lúdica viagem de trem. Dica: a montagem se destina a crianças mais jovens, e pode ser que a partir dos 7 anos os pequenos não demonstrem mais interesse. Direção de Duda Maia (60min). Rec. a partir de 1 ano. Estreou em 2/9/2012. Parque das Ruínas (100 lugares). Rua Murtinho Nobre, 169, Santa Teresa, ☎ 2252-1039. Domingo, 11h. Grátis. Até 28 de outubro.

✪✪ A VIAGEM FANTÁSTICA, de Regiana Antonini. Nos dias de hoje, Theo (Lucas Neves) e Thor (João Vitor Nascimento), dois meninos vindos do futuro, interpelam um grupo de jovens em uma praça para alertá-los sobre a urgente necessidade de preservação da natureza. De 2112, ano em que vivem, os rapazes trazem notícias sobre a ausência de árvores e as altíssimas temperaturas a que a humanidade será submetida. A partir de mensagens de conscientização ecológica, o grupo descobre atitudes simples que podem mudar o destino da Terra. O elenco sumamente infantil, egresso em sua maior parte de comunidades carentes, defende com garra a interpretação de uma história de fácil assimilação pelos pequenos, embora a montagem conte com partes arrastadas e algumas vezes cansativas. Direção de Márcio Trigo (50min). Rec. a partir de 6 anos. Estreou em 1º/9/2012. Espaço Tom Jobim (500 pessoas). Rua Jardim Botânico, 1008, Jardim Botânico, ☎ 2274-7012. Sexta (12), sábado e domingo, 17h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 14h (sáb. e dom.). Até domingo (14).

Fonte: VEJA RIO