EXPOSIÇÕES

Humanidade sob censura

Em Assim Vivíamos, na Caixa Cultural a partir de terça (18), o fotógrafo russo Vladimir Lagrange mostra como enfrentou com olhar poético a repressão soviética

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

roteiro-expos-c.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Em certa ocasião, o fotógrafo russo Vladimir Lagrange teve o retrato de um minerador censurado na revista para a qual trabalhava. A justificativa do editor: o rosto imundo do personagem, clicado em seu ambiente de trabalho, não parecia a representação mais adequada do homem soviético. Nascido em 1939, Lagrange enfrentou no dia a dia profissional o clima policialesco instaurado pelo regime comunista. Mas a maioria de suas fotos, curiosamente, não revela nenhum cunho político - ou pelo menos não no sentido estrito da palavra. Seu olhar embebido de poesia se voltou para o cotidiano do homem simples na antiga União Soviética, como revela a mostra Assim Vivíamos, em cartaz a partir de terça (18) na Caixa Cultural. Primeira exposição do fotógrafo na América Latina, organizada sob a curadoria de Luiz Gustavo Carvalho, a individual traz 65 imagens em preto e branco de cenas prosaicas, a exemplo de uma aula de balé infantil e de uma reunião de jovens em festa na Praça Vermelha, em Moscou. Aos mais interessados, vale o aviso: no dia da abertura, às 15 horas, a Caixa recebe o próprio Lagrange, 74 anos, para um bate-­papo com a plateia. Não haverá distribuição de senhas, mas convém chegar cedo para garantir lugar.

Caixa Cultural - Galeria 4. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 3980-3815, ? Carioca. → Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis. Até 25 de maio. A partir de terça (18).

Fonte: VEJA RIO