PASSEIO

O Rio visto de cima

A cidade maravilhosa é linda vista de todos os ângulos. Que tal admirá-la do céu?

Por: Louise Peres - Atualizado em

riodecima3.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Curtindo férias no Rio, a gaúcha Andréia Duarte decidiu realizar a antiga vontade de ver a cidade que sempre a encantou por uma nova perspectiva: do alto! Acompanhada pelo pai, ela subiu até a rampa da Pedra Bonita, em São Conrado, para saltar de asa delta. ?A experiência é inexplicável! É o mar, a pedra, a mata... uma vista espetacular, inesquecível, inacreditável!?, relata ela, extasiada, relembrando o momento. Gostou tanto que repetiu outras quatro vezes. Andreia saltou também em outros lugares, mas, para ela, nenhum superou a experiência que o Rio proporciona. ?Aqui é especial, é diferente. O grande barato é contemplar essa cidade tão linda. Não existe nada igual e nem tão bonito?, afirma.

Ficou com vontade de sobrevoar o Rio também? O que não faltam são opções; a asa delta é apenas uma delas. Para quem gosta de adrenalina, o paraquedas é a mais indicada. Saltando de um monomotor a 10 mil pés de altura, são 40 segundos de queda livre até que o equipamento se abra. A partir daí, é só curtir o visual - privilégio só de quem tem muita coragem.

riodecima5.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Já o helicóptero permite compartilhar a experiência com outras pessoas. As aeronaves comportam de três a quatro passageiros e são a opção ideal para quem quer contemplar o visual da cidade em um passeio mais amplo. O tour, que pode durar até 1 hora, engloba sobrevoos na orla carioca, passando pela Lagoa Rodrigo de Freitas, pelo Pão de Açúcar, culminando em uma volta pelo grande símbolo da cidade: o Cristo Redentor. ?Voamos a cerca de 100 metros acima da mata e, sobre o Corcovado, a 750 metros acima da cidade, que se abre diante de nós. É uma imagem que fica na memória?, diz Luis Carlos Munhoz, sócio da Helisight.

Apaixonada pelo Rio e pelas alturas, Andreia, que há um ano se mudou para a cidade, agora vive convencendo os outros de que experimentar ver o Rio de cima vale a pena. Na lista de adesões, estão uma amiga de 62 anos e seu próprio pai, que optou pelo parapente. ?Por ser um balão, o parapente é uma experiência mais contemplativa. A asa tem mais velocidade, mas ambos são voos livres e duram o mesmo período de tempo?, explica Paulão, instrutor de voo livre da FlyTour Brasil.

Quer ver o Rio de cima? Saiba onde voar de asa-delta, paraquedas ou helicóptero na cidade

Fonte: VEJA RIO