MEMÓRIA DA CIDADE

Árvores que dão frutos

O maior símbolo do Natal no Rio, que desde 1996 se instala no espelho-d?água da Lagoa, volta no dia 30. E o pinheiro do BarraShopping será visto já nesta sexta (15)

Por: Lula Branco Martins - Atualizado em

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Chega à maioridade a árvore de Natal da Lagoa Rodrigo de Freitas. Sua 18ª edição já está sendo construída, com inauguração marcada para o dia 30. Ela fará referência às principais festas da cidade, como o Réveillon, e também à recente Jornada Mundial da Juventude. Considerada, por livros que elencam recordes, "a maior árvore flutuante do mundo", é financiada por um banco privado e, para o bem ou para o mal, passou a fazer parte, desde 1996, da agenda de fim de ano no Rio. Chama atenção pela grandiosidade, apresentando efeitos de luzes e sons. Muita gente se junta nas calçadas da Avenida Epitácio Pessoa para vê-la o mais de perto possível, o que atrai camelôs e flanelinhas e, como consequência disso tudo, empaca o trânsito nas proximidades da Curva do Calombo. Neste ano ela atingirá a marca de 85 metros de altura, o equivalente a um prédio de 28 andares. Ao longo de três décadas fez tanto sucesso que acabou inspirando iniciativas semelhantes. Do outro lado da cidade, na Barra, é erguida, a cada ano, desde 2008, a árvore do BarraShopping. Menos imponente, com 20 e poucos metros da base ao cume, já estará enfeitando a Avenida das Américas a partir de sexta (15). Em janeiro ambas serão desmontadas.

memoria-da-cidade-01.jpg
(Foto: Veja Rio)

Clique na imagem acima para ampliá-la

Fonte: VEJA RIO