EXPOSIÇÕES

(artevida) política

Braço da coletiva no MAM traz 54 artistas, com cerca de 160 obras em variadas técnicas

Por: Rafael Teixeira

AVALIAÇÃO ✪✪✪

Cortesia da artista e Goodman Gallery
(Foto: Redação Veja rio)

Braço da alentada coletiva artevida, que ocupa quatro espaços da cidade com centenas de trabalhos de 120 brasileiros e estrangeiros, (política) não trai seu nome: o tema que a batiza permeia todo o acervo. Na mostra, 54 artistas, com cerca de 160 obras em variadas técnicas, compõem um panorama que convida à contemplação e à reflexão. Sul-africana radicada na Inglaterra, Sue Williamson tem exibidas seis criações dos anos 80, mesclando fotogravura e colagem serigráfica, nas quais aparecem mulheres de destacada atuação política em seu país de origem. Winnie Mandela, mulher de Nelson Mandela durante seus longos anos de prisão, é uma delas. Alusões a regimes autoritários povoam boa parte das peças. A série de 35 fotogravuras de Luis Camnitzer, por exemplo, faz referência a torturas ocorridas durante a ditadura militar uruguaia. Atenção: há outras exposições em cartaz no MAM, mas a entrada especificamente para artevida (política) é gratuita.

Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 3883-5600. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, domingo e feriados, 11h às 18h. Grátis. Estac. (R$ 5,00 para visitantes do museu). Até 21 de setembro.

Fonte: VEJA RIO