SUSTENTABILIDADE

Ação reprime pesca predatória nas Ilhas Cagarras

Fiscalização recolheu acampamentos irregulares montados no arquipélago na manhã desta quarta (23)

Por: Ernesto Neves - Atualizado em

Fernando Moraes/Ilhas do Rio
(Foto: Redação Veja rio)

Monumento natural a cinco quilômetros da orla carioca, o arquipélago das Cagarras foi alvo de uma operação de fiscalização na manhã desta quarta (23). Realizada pela Coordenadoria de Combate aos Crimes Ambientais (Cicca), que pertence à Secretaria de Ambiente do Estado, a ação tem como objetivo combater a pesca predatória na área de conservação federal. Foram desmontados acampamentos irregulares, instalados ali para serem utilizados como base para pescadores. A ação contou ainda com ajuda do Instituto Chico Mendes (ICMBio) , e apreendeu material de acampamento, comida, anzóis e varas de pesca. Não havia ninguém nas seis ilhas do arquipélago.

Conforme mostrou VEJA Rio, as Cagarras são lar para 200 espécies botânicas e zoológicas. Há ainda dois registros inéditos encontrados por biólogos, uma barata exótica e uma perereca. Para catalogar todas as espécies, a ONG Mar Adentro se dedica a fazer um inventário de animais e plantas da região. Cada vez que uma nova espécie é encontrada, os pesquisadores a coletam e entregam ao Museu Nacional, para que os especialistas possam estudá-la mais a fundo.

Veja também: uma galeria de fotos com espécies encontradas nas Cagarras, entre elas a aranha-marrom, uma das mais perigosas do mundo.

Fonte: VEJA RIO