EXPOSIÇÕES

Afonso Tostes

Pricipal obra da exposição contrasta com a arquitetura clássica da Casa França-Brasil

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

AVALIAÇÃO ✪✪✪

fotos fernando lemos
(Foto: Redação Veja rio)

Com belas linhas neoclássicas projetadas pelo francês Grandjean de Montigny (1776-1850), o prédio onde funciona a Casa França-Brasil está longe de ser aquele tradicional cubo branco, normalmente reconhecido como um espaço adequado para exposições. É justamente no contraste com essa arquitetura, no entanto, que reside boa parte do encantamento causado pela principal obra do mineiro Afonso Tostes em exibição na individual Tronco. No meio do salão central, assoma a enorme reconstrução de um paiol que existiu de verdade, na Zona da Mata de Minas Gerais. A ideia de recriá-lo surgiu quando o artista deparou com as pilhas de toras do imóvel desmontado ? seu objetivo, inicialmente, era comprá-las para usar como matéria-prima de esculturas. Apenas o pilar central da estrutura, pela qual os visitantes podem circular, ganhou formas nas mãos de Tostes. Em uma das salas laterais, uma instalação reúne dezenas de ferramentas encontradas no paiol que tiveram o cabo esculpido de modo a se parecer com ossos, sugerindo poeticamente a extensão dos braços dos trabalhadores que as manipulavam. Completam a mostra uma escultura e um lindo site specific, com imagens de chamas pintadas em telas e em uma das paredes.

Casa França-Brasil. Rua Visconde de Itaboraí, 78, Centro, ☎ 2332-5120. → Terça a domingo, 10h às 20h. Grátis. Até 16 de fevereiro.

Fonte: VEJA RIO