BEBIDA

Da praia para o bar

Barmen criam drinques à base de água de coco para refrescar o calor do verão

Por: Rachel Sterman - Atualizado em

foto: Fernando Frazão
(Foto: Redação Veja rio)

Driblar a supremacia do chope e das caipirinhas na estação mais quente do ano não é uma tarefa simples. No entanto, quem está roubando a cena nos cardápios de alguns bares cariocas neste verão são as sugestões à base de destilados e água de coco. Não por coincidência, uma das estrofes de Amor de Chocolate, música que está em primeiro lugar na loja iTunes Brasil, faz justamente menção à mistura da bebida com vodca. Onipresente nas caixas de som, o hit-chiclete inspirou criativos coquetéis à prova pela cidade que se valem dos mais variados ingredientes. No Stuzzi a mistura vem acompanhada de hortelã, limão-siciliano e prosecco. No San Remo, localizado no complexo Lagoon, ela ganha toque de xarope de manga. Alex Mesquita, do Paris Bar, na Casa Julieta de Serpa, optou por acrescentar infusão de polpa de maracujá, baunilha, folhas de manjericão roxo e suco de limão. "A água de coco ultrapassou os limites da praia e das casas de suco para voltar a fazer sucesso em drinques", aposta o barman.

vodka-com-agua-de-coco-02.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Refrescante, com alto teor de sais minerais e potássio, além de ser facilmente absorvida pelo organismo, a água de coco tem mais uma característica importante, que a transformou em um curinga nos balcões dos bares. Como é um líquido pouco alcalino, ou seja, com raros reagentes, ela cai bem combinada a um sem-número de outras bebidas, como rum, saquê e até tequila. O uísque, que também aparece nos versos da música do funk, é mais um exemplo. No Baretto-Londra, do Hotel Fasano, uma das recentes invenções do mixologista André Paixão reúne o líquido à base de malte, Licor 43, hortelã e sour mix, responsável pelo toque ácido da combinação. Outra vantagem em misturar o item com destilados fortes é que a dose de álcool usada pode ser menor e, por causa do sabor adocicado da água de coco, não é preciso acrescentar açúcar, o que proporciona drinques mais diluídos, leves e menos calóricos. "Mas os ingredientes devem ser cuidadosamente balanceados para não matar o sabor da água de coco, que é muito suave", alerta o barman Vitor Barros, do Stuzzi.

Fonte: VEJA RIO