Diversão

Uma seleção de points para paquerar no Rio

VEJA RIO listou os melhores estabelecimentos para paquerar neste Dia do Beijo (13) - ou em qualquer outra data. Escolha o seu e divirta-se!

Por: Carolina Barbosa - Atualizado em

Não se pode dizer que o Rio é um lugar ruim para estar sozinho. Com tantas opções pela cidade - e um clima que favorece a badalação - chega a ser quase um privilégio estar livre neste cenário, repleto de praias frequentadas por gente bonita e bronzeada, bares lotados e vida noturna agitada. Se você não tem uma companhia fixa para esta quarta (13) - ou para qualquer outro dia do ano - aproveite para comemorar o Dia do Beijo em grande estilo. Para te ajudar, VEJA RIO preparou um roteiro com opções de points ideais para a azaração. Escolha o que tem mais a ver com você e divirta-se!

Baixo Botafogo

The Boua
The Boua: salão descolado bar da Rua Nelson Mandela (Foto: Lipe Borges)

Tradição gastronômica em Botafogo, o lugar tem espaço para todos os gostos. A parte final da Rua Voluntários da Pátria, por exemplo, concentra boas opções para os mais descolados e alternativos, a exemplo do Altas Horas e do Sociedade Secreta. Já a Rua Nelson Mandela reúne opções mais arrumadinhos, como o Cafofo Pub, Colarinho, Formato e The Boua, badaladíssimos no happy hour por gente - bonita e estilosa- apinhada na calçada.

Baixo Botafogo. Trecho final da Rua Voluntários da Pátria e Rua Nelson Mandela. Faixa etária: a partir de 20 anos.

Baixo Gávea

Braseiro da Gávea
Braseiro da Gávea: point dos solteiros cariocas no BG (Foto: Veja Rio)

Domingo, segunda e quinta não tem erro: o BG é o ponto certeiro de boa parte dos solteiros da Zona Sul. ALi, nas calçadas da Rua dos Oitis, sobretudo entre o Hipódromo e o Braseiro da Gávea, o papo é regado pelas tulipas de chope e pelo flerte. Mais adiante ainda tem a galera que se amontoa em frente ao B.G. Bar. 

Baixo Gávea. Praça Santos Dumont, Gávea. Faixa etária: concentrada na faixa dos 20 aos 40 anos.

Bar do Mineiro

mineiro.jpg
Bar do Mineiro: point de cariocas e turistas (Foto: Redação Veja rio)

Reduto de cariocas e turistas, ávidos por provar a feijoada, este estabelecimento é um potencial concorrente ao prêmio de melhores lugares para paquerar no Rio. Nos fins de semana, quando conseguir uma mesa vira tarefa difícil, é ali mesmo, nas calçadas, que as trocas de olhares se dão em plena luz do dia. O climinha bucólico de Santa Teresa só ajuda, a cervejinha gelada e a caipirinha também. Faixa etária: a partir de 25 anos.

Bar Rebouças

Bar Rebouças
Bar Rebouças: boteco clássico do Jardim Botânico, recheado de intelectuais e artistas descolados (Foto: Fernando Frazão)

Ponto apertado no Jardim Botânico, o ambiente já se torna propício para um bate-papo ao pé de ouvido. Há quem garanta que o clima fica ainda melhor com o bar lotado, quando entre um chope e um sanduíche de carne assada, intelectuais, artistas e descolados se espalham pelas calçadas. Faixa etária: entre 20 e 40 anos.

Belmonte Leblon

Belmonte Leblon
Belmonte: endereço pé-limpo no Leblon é unanimidade na paquera (Foto: Divulgação)

É um consenso geral. De uns tempos para cá, a unidade da Dias Ferreira virou o paraíso da azaração. A frequência é o principal chamariz: gente bonita, descolada e jovem, disposta a aproveitar o clima de agito que se instala no local badalado desde o pós-praia e se estende até a madrugada. Quer se dar bem? Sexta à noite a casa lota. As chances também são grandes aos sábados, à noite, e domingos, no fim de tarde. Vale a pena insistir na visita. Faixa etária: a partir dos 20 anos.

Brewteco

brewteco
Brewteco: lugar é ponto de encontro de apreciadores de cerveja e gente informal (Foto: Divulgação)

Instalado na Rua Dias Ferreira, o lugar de paredes revestidas de azulejos floridos e balcão clássico de botequim caiu no gosto da galera, que se dirige até lá para provar um dos noventa tipos de rótulos de cerveja, além de duas torneiras de chope. O público, bem mais informal que no Belmonte, por exemplo, é promissor. Faixa etária: entre 20 e 35 anos.

 Bukowski

bar-bukowski
Bar Bukowski: ponto de encontro da galera que curte rock (Foto: Divulgação)

Endereço certeiro para quem gosta de rock clássico dos anos 60 aos 80. As filas enormes que se formam diante do estabelecimento, principalmente às sextas-feiras, denunciam: há gente interessante ali. Num casarão em Botafogo, o climinha de bar misturado com boate atrai a galera a fim de conhecer gente nova e, é claro, flertar. A área externa, onde ficam as mesas, é um convite à conversinha mais íntima. Faixa etária: entre 25 e 35 anos.

 Champanheria Ovelha Negra

ovelha-negra.jpg
Champanheria Ovelha Negra: bom lugar para ir à caça (Foto: Redação Veja rio)

Aos rapazes, um aviso: a mulherada adora champagne. E se é de borbulhas que elas gostam, o território dos espumantes é o lugar ideal para ir à caça. Natural que a casa em Botafogo tenha se tornado um dos destinos perfeitos para se dar bem na noite carioca. Faixa etária: entre 25 e 30 anos.

El Born

el-born
El Born: ponto catalão na Rua Bolívar é promissor para o flerte (Foto: Divulgação)

Instalado na Rua Bolívar, em Copacabana, o endereço fica em frente ao Belmonte da badalada rua. Especialmente de quinta a domingo, o charmoso ponto é um ótimo lugar para flertar entre um drinque catalão e uma tapa. Faixa etária: a partir de 25 anos.

Jobi

jobi.jpg
Jobi: azaração se estende pela calçada (Foto: Redação Veja rio)

A cada chope, um flerte. No minúsculo bar, point da boemia carioca na Avenida Ataulfo de Paiva, o clima de azaração se estende pela calçada. E a movimentação, a pleno vapor, rola também durante a semana. Faixa etária: entre 20 e 30 anos.

Lemonade

Lemonade Bar
Mesas pela calçada e DJ: clima do Lemonade (Foto: Fernando Lemos)

Instalado na Avenida Olegário Maciel, as atenções se voltam, ao longo do dia, para a galeria de arte, além da loja que vende de vinis raros a peças de roupa. A partir das 19 horas, o ponto muda totalmente de cara: pufes, sofás, mesinhas e um DJ, com seu equipamento, ocupam parte da calçada. Acomode-se, peça um drinque e boa paquera! Faixa etária: a partir de 20 anos.

Mud Bug

mud-bug.jpg
Mud Bug: ponto de paquera e cerveja (Foto: Redação Veja rio)

A trilha sonora e o ambiente apertado fazem a galera se movimentar pelo local, que vive cheio.  A paquera funciona tanto em dias de transmissões esportivas quanto nas noites embaladas por música. Boa aposta para quem quer tomar uma cerveja com os amigos e, de quebra, se arranjar. Faixa etária: entre 20 e 35 anos.

Palaphita Gávea

Palaphita Gávea
Palaphita Gávea: reduto de boas festas e gente bonita (Foto: Divulgação)

Inaugurado em 2013, o espaço nada convencional rapidamente se tornou uma forte concorrência ao Baixo Gávea. Ali, pelos 1500 metros quadrados, boa parte ao ar livre, a galera circula e flerta ao som de boas seleções musicais. Quinta-feira sempre rolam concorridas festas. Sexta e sábado a programação - e a frequência - também prometem. Faixa etária: a partir de 20 anos.

Rio Scenarium

Rio Scenarium
Rio Scenarium: lugar preferido dos gringos na cidade (Foto: Divulgação)

O endereço favorito dos gringos que visitam a cidade é um prato cheio para quem quer conquistar uma paquera internacional. Nos animados salões, a azaração rola solta ao som de forró, samba e mixagens de música brasileira, que fazem ferver a pista do segundo andar. Misto de antiquário e casa de shows, o lugar é eclético e rende bons encontros para todas as idades, da garotada aos mais velhos. Sexta e sábado são dias certeiros. Faixa etária: a partir dos 20 anos.

Tango

tango-bar
Tango: bar fica em ponto agitado no Flamengo (Foto: Veja Rio)

Reduto argentino na Senador Vergueiro, o endereço é ponto de encontro de quem curte empanada e cerveja Quilmes. Entre um quitute e outro, aproveite para reparar em quem está na mesa ao lado. Faixa etária: a partir de 20 anos.

Teto Solar

Teto Solar
Teto Solar: cerveja, drinques e festas (Foto: Divulgação)

Endereço originalmente dedicado às cervejas, o lugar também oferece ótimos drinques para encorajar os mais tímidos à paquera. Reúne gente descolada, bonita e solteira. Na página do Facebook, sempre há dicas sobre as festas que rolam por lá. Faixa etária: entre 25 e 35 anos.

Usina 47

Usina 47
Usina 47: novo ponto de azaração no Leblon (Foto: Felipe Fittipaldi)

No mesmo endereço já funcionaram a boate Melt e a House of Music. Desde janeiro, virou point de paquera, bons drinques e boas comidinhas. Aos domingos costuma rolar um sambinha. Faixa etária: a partir de 25 anos.

Veloso

Bar Veloso, eleito o melhor bar para paquerar
Veloso: paquera e chope gelado no Leblon (Foto: Tomas Rangel)

Ponto badalado no Leblon, o bar costuma reunir os solteiros mais cobiçados da cidade. Boa opção tanto para o pré-night quanto para o pós-praia. Peça um chope e puxe papo com o alvo! Faixa etária: entre 20 e 30 anos.

Void General Store

Void General Store
Entrada da Void: sofás ficam concorridos nas madrugadas (Foto: Felipe Fittipaldi)

O misto de loja multimarcas e bar expõe, e vende, camisas, bonés, pares de tênis, shapes de skate, alicates de unha, durex, entre dezenas de produtos, além de cerveja gelada, tequila e cachaça. Durante a madrugada, o movimento por lá é grande. À vontade, os presentes se espalham por cadeiras e sofás e se jogam na paquera. Faixa etária: a partir de 20 anos.

 

 

 

 

 

 

Fonte: VEJA RIO