é do peru

Refrescante, ceviche ganha espaço nos bares cariocas

Receita comum na gastronomia peruana se adapta ao clima carioca e é destaque em quatro endereços

Por: Rafael Cavalieri - Atualizado em

La Carioca Cevicheria
La Carioca Cevicheria: ceviche tahiti (Foto: Filico)
  • Frederico

    Rua Siqueira Campos, 230, Copacabana

    Tel: (21) 2547 1787

    Veja Rio
    Sem avaliação

    Pequeno e charmoso, o lugar tem um toque mineiro, inspiração da terra natal da proprietária e chef Elba Ximenes. Nas paredes, imagens variadas do padroeiro da cidade, São Sebastião, dividem espaço com o quadro-negro, no qual se alternam frases inspiradoras e sugestões do cardápio. No almoço, as novidades são diárias. Preparos de carne (R$ 29,00), frango ou peixe (R$ 25,00 cada pedido) podem ganhar saborosas guarnições de creme de aipim com queijo curado e batata-doce com castanha. Na happy hour, têm seus fãs os bolinhos de queijo da Serra da Canastra, pernil e torresmo (R$ 24,00, seis unidades) e de bacalhau com banana-da-terra (R$ 24,00, com quatro). A caipirinha (R$ 15,00) ganha versões de frutas vermelhas e de tangerina com gengibre — com vodca Smirnoff, o pedido sobe para R$ 19,00. Especialidade local, a jarina (R$ 20,00) é uma mistura de anis, cachaça, damasco e frutas vermelhas. Do freezer chegam geladas especiais, a exemplo da Avena Noi (R$ 38,00, 600 mililitros), da amarga Amnésia Mistura Clássica (R$ 38,00, 300 mililitros) e da Paquetá (R$ 38,00, 600 mililitros). Preço verificado em julho de 2016.

    Saiba mais
  • Bares variados

    La Carioca Cevicheria

    Rua Maria Angélica, 113, Lagoa

    Tel: (21) 2226 8821

    Sem avaliação

    Evocada no nome da casa, a popular receita andina aparece em seis versões. O ceviche mixto (assim mesmo, com “x”), que reúne peixe-branco, camarão, vieira, polvo e lula, temperados com cebola-roxa, coentro, pimenta e limão (R$ 32,00), pode ser servido quente ou frio. O peixe fresco estrela outros pratos típicos das gastronomias peruana e chilena, a exemplo das causas, espécie de bolinhos de batata frios, recheados de camarão e molho de azeitona preta (R$ 28,00), ou do tacu tacu, mistura de arroz e feijão frita ao molho de camarão, tomate e cebola (R$ 39,00). O pisco, bebida tradicional desses países, abastece criações como o piscopunch (R$ 26,00), em que o destilado é macerado com capim-­limão e combinado a suco de abacaxi, maracujá e grenadine. A carta conta ainda com dois rótulos próprios de cerveja: pilsen (R$ 11,00, 355 mililitros; R$ 20,50, 600 mililitros) e weissbier (R$ 12,00, 355 mililitros; R$ 21,50, 600 mililitros), esta com notas de cravo e banana. 

    Saiba mais
  • Latinos

    Lima Restobar

    Rua Visconde de Caravelas, 113, Botafogo

    Tel: (21) 2527 9662 ou (21) 2527 2203

    Veja Rio
    Sem avaliação

    Chef e proprietário do Taypá, sofisticado endereço de cozinha peruana em Brasília, Marco Espinoza inaugurou este seu primeiro empreendimento carioca em março de 2013. Ele chegou a abrir novas frentes na cidade, como a sanduicheria El Chalaco, que funcionou no Leblon, e o Tupac, restaurante de perfil mais elaborado e vida curta em Ipanema. As filiais de sua primeira casa na Barra e em Niterói também já não existem mais. De volta ao começo, na matriz são preparadas receitas como a que reúne ceviche de frutos do mar marinados em leche de tigre e empanados, rodelas de pimenta dedo-de-moça e chips de batata-­doce e de banana (R$ 39,00). Sugestão mais consistente, o saboroso gratén de papa y hongos (R$ 46,00) é um ragu de cogumelo coberto por lâminas de batata gratinada com queijo. Outra pedida, o quinoto é um risoto de quinoa misturada a molho cremoso de camarão, queijo grana padano e cogumelo, finalizado com molho de manjericão (R$ 74,00). Boa dica doce para dividir, o trio de suspiros limeños (R$ 32,00) traz a tradicional sobremesa (redução de leite condensado coberta de merengue) em três versões: a clássica, feita com canela, laranja e café.

    Preços checados em julho de 2016.

    Saiba mais
  • Bares de praia

    Temporada

    Avenida Francisco Bhering, 65, Ipanema

    Tel: (21) 2523 0066

    Veja Rio
    Sem avaliação

    Referência na orla mais pela vista privilegiada, que se estende da Pedra do Arpoador ao Leblon, o Azul Marinho fechou as portas em 2014. Sob nova direção, o bar no Hotel Arpoador foi reaberto batizado de Temporada. Como o nome já sugeria, funcionaria por um período definido e, depois, seria reformulado. Mas o sucesso foi tanto — prova disso foi o voto recebido na categoria visual do Rio — que a, digamos, temporada foi prorrogada até o fim dos Jogos Olímpicos de 2016. Para celebrar a sobrevida, o chef argentino Christian Garcia reformulou o cardápio. Sucesso, o tartare de atum com chips de batata-baroa e iogurte de wassabi (R$ 45,00) ganhou a companhia de empanada de carne (R$ 7,00) e do fresco tiradito de salmão com agrião e vinagrete de maracujá e shoyu (R$ 42,00). Atração principal, a carta de drinques, formulada pela mixologista do Teto Solar Sandra Mendes, conta com dicas como o bikini kills, reunião de vodca de açaí, licor Chambord e limão-siciliano (R$ 31,00). Na ala das cervejas, entraram em cena rótulos da Mistura Clássica, a exemplo do Amnésia, uma potente imperial IPA (R$ 29,00; 500 mililitros).

    Preços checados em outubro de 2015

    Saiba mais

Fonte: VEJA RIO