BARES

Métodos de envelhecimento precoce

Três casas recorrem a técnicas próprias para dar sabor às dicas nas cartas de bebidas

Por: Rafael Cavalieri

Jose Renato Antunes/divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Cachaçaria do Petisco

Envelhecida em laboratório no próprio bar, a cachaça da casa ganha três versões: carvalho virgem (R$ 8,90), jequitibá (R$ 6,30) e carvalho blend já utilizado (R$ 7,30). Avenida Pastor Martin Luther King Jr., 126, 1º piso (Shopping Nova América), Del Castilho, ☎ 2583-1500, Del Castilho (276 lugares). 11h/0h (sex. e sáb. até 2h). Cc: V, M e D. Cd: todos. Couvert art.: R$ 3,99 (qua. e sáb. a partir das 19h30). Aberto em 2006.

El Born

O mixologista Gustavo Stemler interpreta um clássico da coquetelaria: o negroni. Batizada como Yagroni, sua criação utiliza, no lugar do gim, cachaça Yaguara envelhecida em barril de carvalho francês durante quatro semanas, misturada a campari, vermute e laranja (R$ 26,00). Rua Bolívar, 17-A, Copacabana, ☎ 3496-1781, ? Cantagalo (72 lugares). 17h/2h (sáb. e dom. a partir das 15h). Cc: M e V. Cd: R e V. Aberto em 2012.

Paris Bar

Alex Mesquita recorreu ao carvalho francês para incrementar suas criações. O gim Tangueray envelhecido é a base do paris age, que leva ainda conhaque francês Remy Martin VSOP, licor Cointreau e angostura (R$ 34,00). Praia do Flamengo, 340, Flamengo, ☎ 2551-1278 (50 lugares). 19h/1h (fecha dom. e seg.). Cc: todos. Cd: todos. www.julietadeserpa.com.br. Aberto em 2012.

Fonte: VEJA RIO