BARES

A terra dos bons drinques

Enquanto em cidades como o Rio de Janeiro os botecos viram instituições culturais e merecem até uma cerimônia de enterro organizada pelos velhos fregueses, tristes e inconformados com o dia em que suas portas se fecham, o grande destaque do circuito etílico de São Paulo é justamente a alta rotatividade. Alguns clássicos, é claro, sempre resistem ao tempo. Mas são exceções. Nos bairros com maior concentração de casas, como a Vila Madalena, não chega a ser um exagero dizer que há sempre uma novida

Por: Fabio Wright - Atualizado em

bares-botagallo.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

ADEGA SANTIAGO

Trata-se de um dos mais concorridos bares-restaurantes da cidade. Seu salão de visual rústico, concebido com muita madeira (ipê e peroba), atrai uma clientela radiante, sobretudo dos 35 anos para cima. Tentador, o cardápio passeia por receitas da Península Ibérica. Entre as pedidas hispânicas estão a paella de frutos do mar e as gambas ao ajillo (camarão ao azeite, alho e pimenta-vermelha). A adega climatizada guarda 150 rótulos de vinho.

Rua Sampaio Vidal, 1072, Jardim Paulistano, ☎ 3081-5211 (65 lugares). 12h/15h e 18h/0h (sex. e sáb. sem intervalo até 0h30; dom. sem intervalo até 22h; seg. até 23h). Cc: todos. Cd: todos. Estac. c/manobr. (R$ 13,00 no almoço de seg. a sex.; R$ 15,00 nos demais horários). ? ? (☎ 4003-2665) ↔ www.adegasantiago.com.br. Aberto em 2006.

ASTOR E SUBASTOR

São dois bares em um endereço. Na entrada fica o Astor. Sua ambientação faz uma ode ao clima boêmio dos anos 50, com espelhos, lustres nostálgicos e um centenário balcão trazido da Filadélfia, nos Estados Unidos. De alta patente, o chope Brahma acompanha velhas e boas receitas, como o filé ao rio antigo, acebolado e guarnecido de arroz, feijão-preto e farofinha de ovo. Para chegar ao SubAstor, um templo da coquetelaria, é necessário atravessar o salão do Astor e descer três lances de escada. Das caixas de som saem rock, blues e jazz, em volume na medida para deixar o clima animado. A seleção de bebidas reúne 54 drinques, a exemplo da curiosa caipi-mate, uma infusão de cachaça em erva-mate acrescentada de limão e maracujá.

Rua Delfina, 163, Vila Madalena, ☎ 3815-1364. Astor (180 lugares). 18h/2h (qui. até 3h; sex. e sáb. 12h/3h; dom. 12h/18h). Cc: todos. Cd: todos. Estac. c/manobr. (R$ 14,00 sex. até 16h; R$ 18,00 nos demais horários). ↔ www.barastor.com.br. Aberto em 2001. SubAstor (60 lugares). 20h/3h (sex. e sáb. até 4h; fecha dom. e seg.). Cc: todos. Cd: todos. Estac. c/manobr. (R$ 18,00). ↔ Aberto em 2009.

BAR DA DONA ONÇA

O espaço está localizado aos pés do Edifício Copan, importante construção projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer. O casal de chefs Jefferson Rueda e Janaína Rueda é responsável pela cozinha, uma das melhores da cidade. Entre as massas, há o garganelli à bolonhesa, uma espécie de penne feito a mão. O menu lista ainda o arroz de galinhada caipira com quiabo, úmido e de paladar marcante. Dos petiscos, não perca o croc milanesa (R$ 39,00), um bife empanado bem crocante cortado para aperitivo. Além de cervejas como a Colorado Indica, há 150 rótulos de vinho.

Avenida Ipiranga, 200, lojas 27/29 (Edifício Copan), centro, ☎ 3257-2016, ? República (83 lugares). 12h/23h (qui. a sáb. até 0h; dom. até 17h). Cc: todos. Cd: todos. ? → ↔ www.bardadonaonca.com.br. Aberto em 2008.

BARETTO

Com apenas 64 lugares, o elegantíssimo salão envolto na penumbra combina paredes forradas de veludo cotelê, piso de peroba rústica e sofás franceses de couro verde. Além da carga romântica, o bar do grupo Fasano atrai pela esplêndida música ao vivo. Diariamente, dois conjuntos entram em ação: o trio do pianista Moacir Zwarg, das 9 da noite à 1 da madrugada, e o quarteto do também pianista Mário Edison, até as 3. Eles acompanham a voz das cantoras Lorena Lobato, Anna Setton, Grazielle Carvalho e Giana Viscardi. Garçons alinhados em smokings impecáveis levam às mesas coquetéis elaborados com precisão pelo barman Walter "Bolinha", entre eles o cosmopolitan e o dry martini.

Rua Vitório Fasano, 88 (Hotel Fasano), Jardim Paulista, ☎ 3896-4000 (64 lugares). 19h/3h (sáb. a partir das 20h; fecha dom.). Cc: todos. Cd: todos. Couvert art.: R$ 37,00 (a partir das 21h). Estac. c/manobr. (R$ 20,00). ? → www.fasano.com.br. Aberto em 1999.

BOTTAGALLO

Numa grande sacada, o cardápio do festejado bar-restaurante traz receitas italianas na forma de pequenas porções, na linha das tapas espanholas. Entre elas, o risoto de tomate e burrata (mussarela de búfala cremosa) coberto por folhas de rúcula e a polenta cremosa sob ragu de linguiça. Dezesseis opções de vinho em taça (somente rótulos italianos) estão disponíveis nas quantidades de 30, 90 ou 150 mililitros.

Rua Jesuíno Arruda, 520, Itaim Bibi, ☎ 3078-2858 (100 lugares). 18h30/0h (ter. a qui. até 1h; sex. 12h/15h30 e 18h30/2h; sáb. 12h/2h; dom. 12h/23h). Cc: todos. Cd: todos. Estac. c/manobr. (R$ 14,00 no almoço de sex.; R$ 18,00 nos demais horários). ? → ↔ www.bottagallo.com.br. Aberto em 2010.

EMPÓRIO SAGARANA

A casa foi aberta por um casal de Alfenas (MG): Paulo Leite, artista plástico entendido em cervejas e aguardentes, e Priscila Vieira, que cuida da cozinha. Entre as delícias servidas ali estão os sanduíches de pão de queijo com pernil desfiado e o cremoso bolinho de mexidinho recheado de queijo da Serra da Canastra (MG). O menu reúne mais de 100 rótulos de cerveja, muitas delas de microcervejarias nacionais. Da Backer, de Belo Horizonte, há a de trigo Exterminador e a india pale ale Pele Vermelha, esta com raspas de laranja na receita.

Rua Marco Aurélio, 883, Vila Romana, ☎ 3539-6560 (54 lugares). 17h/1h (seg. e ter. até 0h; fecha dom.). Cc: todos. Cd: todos. Estac. no nº 765 (R$ 15,00). ↔ www.emporiosagarana.com.br. Aberto em 2009.

NÚMERO

Trata-se do mais exclusivo bar da cidade. Exige reserva para entrar e cobra altos valores de consumação mínima. Pelo classudo ambiente desfila a nata da high society paulistana. O cenário à meia-luz combina paredes revestidas de veludo cotelê, sofás e poltronas de couro e um jardim protegido por uma parede de vidro. Em volume moderado, a trilha sonora pode trazer, por exemplo, Beatles, Strokes, U2, Felix Da Housecat... Os drinques são preparados por Derivan Ferreira de Souza, um dos grandes barmen da cidade. Prove sua releitura do mojito, feita com rum, hortelã, morango e água Perrier.

Rua da Consolação, 3585, Jardim Paulista, ☎ 3061-3995 (120 lugares). 19h/último cliente (fecha dom. e seg.). Cc: todos. Cd: todos. Cons. mínima: R$ 100,00 (mulheres) e R$ 200,00 (homens). Estac. c/manobr. (R$ 22,00). ? → ↔ Aberto em 2010.

ORIGINAL

Surgido em 1996, tornou-se um endereço emblemático da cidade por ter dado origem à família dos botecos chiques. Depois de sua abertura, muitos lugares copiaram o ambiente com piso de ladrilho hidráulico, azulejos nas paredes e decoração com fotos antigas e caricaturas. Coroado com um denso e duradouro creme, o chope Brahma - colhido de duas máquinas quarentonas - é um dos mais bem tirados de São Paulo. Entre as delícias para acompanhar a bebida estão a salsicha viena de jeitão nostálgico enrolada em massa de pastel e os bolinhos de ovo de codorna envolto em massa de linguiça calabresa fresca triturada.

Rua Graúna, 137, Moema, ☎ 5093-9486 (98 lugares). 17h30/2h (qui. e sex. até 3h; sáb. 12h/3h; dom. 12h/22h). Cc: todos. Cd: todos. Estac. c/manobr. (R$ 16,00). → ↔ www.baroriginal.com.br. Aberto em 1996.

SKYE

Localizado na cobertura do Hotel Unique, o concorrido bar é anexo ao restaurante de mesmo nome. Seu espaço mais disputado é todo ao ar livre: um delicioso deque de madeira de 27 metros de extensão, com pufes e espreguiçadeiras, à beira da piscina do hotel. Nos dias mais cheios, o lugar ganha ares de pré-balada. Entre os bons coquetéis da carta, 22 são de autoria própria, a exemplo do sensation martini, combinação de vodca citron, licor de lichia, xarope de flor de laranjeira e cubos de manga macerados.

Avenida Brigadeiro Luís Antônio, 4700 (Hotel Unique), Jardim Paulista, ☎ 3055-4702/4732 (80 lugares). 18h30/0h (seg. a sáb.; dom. 7h/0h30). Cc: todos. Cd: todos. Estac. c/manobr. (R$ 16,00 até 18h; R$ 20,00 após 18h). → ? ↔ (R$ 15,00 por uma hora). www.skye.com.br. Aberto em 2002.

VELOSO

Disputadíssimo, o boteco transborda de gente toda noite. Literalmente. Como dispõe de pouquíssimas mesas (somente catorze), a espera em pé na calçada já faz parte do programa. Todos vão atrás dos deliciosos quitutes, entre eles a coxinha de frango com catupiry. Para se ter uma ideia de seu sucesso, são vendidas em média 1 000 unidades dela todos os dias. No comando no balcão está o barman Souza. Suas caipirinhas não param de arrebanhar fãs. Entre elas, prove a de physalis (frutinha exótica alaranjada, de sabor agridoce e originária da Colômbia) com um toque de abacaxi.

Rua Conceição Veloso, 56, Vila Mariana, ☎ 5572-0254, ? Ana Rosa (60 lugares). 17h30/0h30 (sáb. a partir das 12h45; dom. 16h/23h; fecha seg.). Cc: todos. Cd: todos. ↔ www.velosobar.com.br. Aberto em 2005.

Fonte: VEJA RIO