BARES

Mais bolinhos

Além da rabada, outros recheios dão graça ao salgado em seis endereços

Por: Rafael Cavalieri - Atualizado em

Fernando Frazão
(Foto: Redação Veja rio)

Aconchego Carioca

Foi na casa de Kátia Barbosa, e por inspiração da chef e proprietária, que nasceu o hoje onipresente bolinho de feijoada ? a porção com quatro unidades, acompanhada de torresmo e batida de limão, é servida por R$ 24,00. Nos fins de semana entra em cena uma criação recente, o PFinho. Trata-se de um bolinho com massa de arroz e feijão, recheado de ovo de codorna e ladeado por um pote de carne moída (R$ 24,00 a porção de seis unidades). A carta de cervejas conta com muitos rótulos artesanais, além de dicas mais comuns, a exemplo da Heineken (R$ 9,00, 600 mililitros ).

Rua Barão de Iguatemi, 379, Praça da Bandeira, ☎ 2273-1035 (96 lugares). 12h/23h (dom. até 17h; fecha seg.). Cc: todos. Cd: todos. Aberto em 2002.

Adonis

No reduto de fornidos, e saborosos, pratos de bacalhau, além do famoso cozido, um ponto de partida obrigatório é o bolinho de bacalhau (R$ 3,80 a unidade), eleito o melhor da cidade na edição 2010 do especial "Comer e Beber", publicado por VEJA RIO. Para beber, não invente: peça o chope Brahma muito bem tirado (R$ 5,50).

Rua São Luiz Gonzaga, 2156, loja A, Benfica, ☎ 3890-2283 (140 lugares). 11h30/22h (dom. até 16h). Cc: todos. Cd: todos. Aberto em 1952.

Bar da Frente

No modesto espaço, onde já funcionou o vizinho Aconchego Carioca, encontra-se uma criativa lista de petiscos. Um dos destaques entre os bolinhos é o de arroz de p..., receita que leva linguiça, car­ne-seca e muito tempero, servida ao lado de molho de mostarda com caramelo (R$ 22,00 a porção com seis unidades). Outra sugestão que tem muita saída é o fofinho de camarão. Nessa pedida, o crustáceo é envolvido por massa de bolinho de chuva, também recheada de queijo cremoso, e oferecido ao molho de limão e ervas finas (R$ 26,00, seis unidades). Para beber, duas opções acertadas da variada carta de cervejas são a Therezópolis (R$ 14,00) e a Noi Rossa, uma Irish Red Ale fabricada em Niterói (R$ 20,00), ambas na garrafa de 600 mililitros.

Rua Barão de Iguatemi, 388, Praça da Bandeira, ☎ 2502-0176 (28 lugares). 12h/22h (dom. até 16h; fecha seg.). Cc: todos. Cd: todos. Aberto em 2009.

Bar do Momo

No tradicional boteco, a clientela é atraída pelo bom trabalho de Antonio Lopes dos Santos, o Tonhão, e Antonio Carlos dos Santos, seu filho Toninho. Nas mãos do herdeiro, clássicos tira-gostos ganham versões deliciosas. A estrela do cardápio é o bolinho de arroz (R$ 4,50 a unidade), com linguiça na receita, casquinha crocante e interior cremoso. Além do salgado, o jiló sai da cozinha macio, menos amargo, e pode ser recheado de carne assada com molho saboroso, linguiça ou provolone (R$ 5,00 cada sugestão). Para beber é só escolher a marca da cerveja, sempre gelada (R$ 8,50, Original, Brahma Extra, Serramalte ou Heineken).

Rua General Espírito Santo Cardoso, 50, Tijuca, ☎ 2570-9389 (40 lugares). 8h/23h30 (sáb. até 22h; dom. 10h/18h). Aberto em 1972.

Bar do Serafim

Botequim das antigas em Laranjeiras, já na terceira geração de proprietários, tem clientela fiel que costuma beber seu bem tirado chope Brahma (R$ 5,20 a caldeireta) no balcão, na calçada ou nas mesas do salão. Além do bolinho de bacalhau, o já clássico bolinho de carne é excelente pedida (R$ 4,50 cada salgado). Outro tira-gosto requisitado é o naco de torresmo, vendido por R$ 2,50 a unidade.

Rua Alice, 24, loja A, Laranjeiras, ☎ 2225-2843 (45 lugares). 10h/0h (sex. e sáb. até 1h). Cc: todos. Cd: todos. Aberto em 1944.

Chico & Alaíde

Desde 2009, a cozinheira Alaíde Costa e o garçom Francisco Chagas Gomes, ambos egressos do Bracarense, cuidam de seu próprio estabelecimento. Entre as criações dela figuram o clássico bolinho da alaíde, feito com massa de aipim e recheio de camarão com catupiry (R$ 4,90), o bolinho de tutu, coroado por um torresmo (R$ 4,90), e o criativo cascudinho de baião de dois, reunião de carne de sol e queijo de coalho (R$ 6,30). Tulipas levam chope Brahma (R$ 6,70), muitas vezes tirado pelo próprio Chico, mestre no manejo das torneiras.

Rua Dias Ferreira, 679, Leblon, ☎ 2512-0028 (80 lugares). 11h/0h (sex. e sáb. até 1h; dom. até 22h). Cc: todos. Cd: todos. Aberto em 2009.

Fonte: VEJA RIO