borbulhas

Espumante inspira drinques refrescantes nos bares

Bebida comum para brindar em ocasiões festivas é utilizada como base de criações nestas quatro casas

Por: Rafael Cavalieri - Atualizado em

Stuzzi
Poncedi prugna: drinque no Stuzzi (Foto: Alle Vidal)
  • Bares variados

    Barthodomeu

    Rua Maria Quitéria, 46, Ipanema

    Tel: (21) 2247 8609

    Sem avaliação

    No pós-praia ou no início de noite a frequência costuma ser maior — procure lugar nas mesas da área externa, mais agradáveis. Pastéis de camarão com catupiry (R$ 27,70, seis unidades) são uma dica óbvia, mas grupos maiores podem gostar da tábua do mar: trata-se de uma reunião de camarões à milanesa, lula à dorée, gurjão de peixe e croquetes de bacalhau (R$ 84,70). Outra pedida farta, a combinação de carne-seca acebolada, calabresa flambada acebolada, costelinha crocante, aipim frito, farofa da casa e manteiga de garrafa custa R$ 74,50. O chope Brahma (R$ 7,30, 350 mililitros) toma conta das comandas. Para os fãs de uma purinha, há dezesseis rótulos disponíveis. Um copinho de Santa Dose, com mel e limão, sucesso entre os jovens, custa R$ 11,50. Uma enxuta carta inclui o espanhol Cava Don Román Brut Penedès (R$ 95,60 a garrafa) e o argentino Benjamin Nieto Malbec (R$ 49,90 a garrafa). Aviso: por lá tem música todos os dias, de 19h a 22h — a trilha sonora dos festejos varia MPB, rock, sertanejo universitário e pop internacional. 

    Saiba mais
  • Drinques

    Caverna

    Rua Assis Bueno, 26, Botafogo

    Tel: (21) 3507 5600

    Sem avaliação

    Ao vivo, nas mãos do DJ ou bem escolhida em função de onde você vai ouvi-la, a música conta, e muito. Para o bem ou para o mal, pode definir a visita a um bar, tanto quanto a carta de drinques, o cardápio de comes ou a decoração. No endereço em Botafogo, a seção de coquetéis é inventiva, hambúrgueres fazem a alegria da clientela e o cenário inclui detalhes originais, como uma máquina de fliperama. Um letreiro de neon com o nome da canção Highway to Hell, da banda australiana AC/DC, dá as boas-vindas aos fãs do rock, gênero que domina, em alto volume, as caixas de som. Sócio na empreitada, ao lado da chef Aline Tavares e do administrador e sommelier de cervejas Pedro Aliperti, o guitarrista e diretor de arte Marcio Barros sentia falta de um lugar onde pudesse ouvir punk, hardcore e heavy metal. Ao abrir o Caverna, descobriu que não estava só. Além da vitória na categoria, disputando votos com redutos de música ao vivo, o trio de donos tem a comemorar o fato de que a casa vive cheia. Barros, feliz da vida, cuida da seleção musical. Já criou 21 playlists, cada uma com 160 músicas e nove horas e meia de duração. O repertório tem desde Pantera e Nirvana, suas preferidas, passando por Johnny Cash, The Doors e Phoenix, até o grupo sueco Graveyard, expoente do gothic metal. Atrás do balcão, o bartender Miguel Paes prepara delícias como o vanilla sky, reunião de xarope artesanal de baunilha, uísque, limão-siciliano, martini bitter e gotas de água de flor de laranjeira (R$ 28,00). Os chopes locais são receitas de Aliperti: a weiss, a R$ 14,00, e a lager, a R$ 12,00 (preços para 400 mililitros). A chef Aline cria um hambúrguer por semana e sugere tapas, como as arepas, bolinhos de milho branco grelhado com bacon, acompanhadas de guacamole (R$ 24,00). Os três jogam por música — e se enchem de alegria quando os clientes cantam junto a trilha sonora.

    Preços checados em julho de 2016.

    Saiba mais
  • Bares variados

    Stuzzi

    Rua Dias Ferreira, 48, Leblon

    Tel: (21) 2274 4017

    Sem avaliação

    Nas mesas do salão de luz baixa ou mesmo na calçada, os visitantes exploram drinques exclusivos, além dos petiscos em pequenas porções preparados pela chef e sócia Paula Prandini (ex-Le Pré Catelan). Da primeira lista, servido em uma taça bojuda, o sfacciato leva cachaça Yaguara, licor Frangelico, Angostura, xarope de baunilha, licor San German e sour mix (R$ 29,90). O cuban tea, na caneca de alumínio com canela e hortelã, ganha ainda rum Havana 7 anos, abacaxi, limão-taiti, licor 43 e mate (R$ 31,70). Na seção dos stuzzichini, espécie de tapas italianas, a clientela encontra delícias como ravióli de frango defumado e passas com consomê de gengibre (R$ 39,50). Outras dicas saborosas são carré de cordeiro em crosta de avelã e alecrim ao molho de vinho tinto (R$ 69,80) e lulas crocantes com tomates pelados, alho e manjericão (R$ 39,80). Jazz ao vivo na segunda-feira e DJs nas outras noites favorecem a azaração. 

    Saiba mais
  • Bares de praia

    Temporada

    Avenida Francisco Bhering, 65, Ipanema

    Tel: (21) 2523 0066

    Veja Rio
    Sem avaliação

    Referência na orla mais pela vista privilegiada, que se estende da Pedra do Arpoador ao Leblon, o Azul Marinho fechou as portas em 2014. Sob nova direção, o bar no Hotel Arpoador foi reaberto batizado de Temporada. Como o nome já sugeria, funcionaria por um período definido e, depois, seria reformulado. Mas o sucesso foi tanto — prova disso foi o voto recebido na categoria visual do Rio — que a, digamos, temporada foi prorrogada até o fim dos Jogos Olímpicos de 2016. Para celebrar a sobrevida, o chef argentino Christian Garcia reformulou o cardápio. Sucesso, o tartare de atum com chips de batata-baroa e iogurte de wassabi (R$ 45,00) ganhou a companhia de empanada de carne (R$ 7,00) e do fresco tiradito de salmão com agrião e vinagrete de maracujá e shoyu (R$ 42,00). Atração principal, a carta de drinques, formulada pela mixologista do Teto Solar Sandra Mendes, conta com dicas como o bikini kills, reunião de vodca de açaí, licor Chambord e limão-siciliano (R$ 31,00). Na ala das cervejas, entraram em cena rótulos da Mistura Clássica, a exemplo do Amnésia, uma potente imperial IPA (R$ 29,00; 500 mililitros).

    Preços checados em outubro de 2015

    Saiba mais

Fonte: VEJA RIO