crustáceo

De sabor adocicado, siri estrela petiscos nos bares

Seja na forma de casquinhas, pastéis ou até caldos, o crustáceo é um sucesso

Por: Rafael Cavalieri

Armazém Devassa
Casquinha de siri: delícia do Armazém Devassa (Foto: PH Photo Studio)
  • Bares variados

    Armazém Devassa

    Rua Visconde de Pirajá, 539, Ipanema

    Tel: (21) 2512 2051 ou (21) 2540 8380

    Sem avaliação

    Integrado ao Hotel Mar Ipanema, mas aberto aos não hóspedes, o bar e restaurante serve até café da manhã (R$ 34,00 o bufê). A partir da happy hour, no entanto, as mesas se enchem de aperitivos para acompanhar os chopes da casa. Merecem um rodízio as sugestões de Devassa loura (R$ 7,90, 300 mililitros), ruiva, negra (R$ 8,90, 300 mililitros), índia (R$ 6,70, 200 mililitros) e sarará (R$ 13,90, 430 mililitros). O caldinho de feijão com bacon e cebolinha (R$ 13,90) é pedida individual, porém duas ou três pessoas podem se distrair com a porção de calabresa fatiada, flambada na cachaça e servida com cebolas salteadas (R$ 31,90). Na chapa é preparada uma saborosa picanha fatiada (R$ 99,90, para duas pessoas), acompanhada de batata selvagem, farofa de bacon, cebola à juliana na manteiga e molho à campanha. Entre os drinques, o pirata sarará (R$ 27,90) reúne rum prata, suco de laranja, aromatizante de tangerina e chope Devassa sarará. Preço checado entre maio e julho de 2016.

    Saiba mais
  • Mirantes

    Bar Urca

    Rua Cândido Gaffrée, 205, Urca

    Tel: (21) 2295 8744

    Sem avaliação

    Diante do deslumbrante quadro que escancara a Baía de Guanabara, barquinhos e a Ponte Rio-Niterói ao fundo, o Bar Urca retoma, após breve hiato, o posto de estabelecimento com a melhor paisagem da cidade, que ocupou de 2011 a 2013. O tradicional endereço chega à sétima vitória — antes, havia faturado três vezes o prêmio de melhor da orla, entre 2007 e 2009. Com metade dos votos desta edição, superou concorrentes de peso, como o Bar d’Hôtel, de frente para as areias do Leblon, e o Bar do Tino, o vencedor de 2015, no topo do Morro dos Prazeres. Na disputada mureta, o programa é prazeroso a qualquer hora, da saída da praia às noites de lua cheia, passando por aquele momento do lusco-fusco, quando o cenário ganha tons de dourado. À sombra de frondosas amendoeiras, o visual é apreciado entre goles de Bohemia, Amstel (R$ 12,00 cada uma), Original e Serramalte (R$ 14,00), todas em garrafa de 600 mililitros trincando de gelada. Deliciosos salgados, fritos e assados, são consumidos aos montes. O famoso bolinho de bacalhau divide a preferência com o pastel de camarão (R$ 4,50 cada pedido), que ainda pode vir com recheio de siri, pelo mesmo valor, queijo ou carne (R$ 4,00 a unidade). As empadas, a R$ 6,00, de palmito, carne-seca ou camarão, não ficam atrás. Quem procura mais conforto pode subir ao salão refrigerado e desfrutar saborosos pratos à base de frutos do mar, mas o prêmio vai mesmo para o original posto avançado, à beira d’água — que outro endereço mantém seus clientes do outro lado da rua? A propósito: durante a Olimpíada, o balcão improvisado ainda vai servir de camarote para as competições de vela, já que a principal raia será disputada logo ali, aos pés do Pão de Açúcar.

    Preços checados em julho de 2016.

    Saiba mais
  • Bares variados

    Belmonte - Jardim Botânico

    Rua Jardim Botânico, 617, Jardim Botânico

    Tel: (21) 2239 1649

    Sem avaliação

    Migrante vindo do Ceará, Antônio Rodrigues deu duro: lavou prato em boteco de Niterói, foi cumim e garçom, antes de assumir seu primeiro bar. Fez fama com o Carlitos, na Cinelândia e, desde então, só aumenta seu império, hoje dominado pelas sete unidades da rede Belmonte. Em um truque de marketing, as fachadas ostentam um “desde 1952”, alusão à data de origem do Belmonte original, na Praia do Flamengo, pertencente a espanhóis, que Rodrigues comprou, com história e tudo, em 2002. A matriz replica pela cidade um manual do pé-limpo, com banheiros limpos, garçons atentos e petiscos como a empada aberta, de recheio farto. O salgado ganha, entre outros, os sabores de siri, lembrado com um voto na categoria melhor petisco, camarão com catupiry e de carne-seca com catupiry (R$ 12,00 cada um). Outra sugestão de petisco é o filé aperitivo no pão italiano (R$ 65,00). Pedida mais frequente, o chope Brahma é servido na caldeireta (R$ 6,00 o claro; R$ 11,00 o escuro). O cardápio também lista pratos fartos, como a picanha à brasileira, acompanhada de arroz, farofa e batata frita (R$ 119,00, para duas pessoas).

    Saiba mais
  • Bares variados

    Diagonal

    Rua Aristides Espínola, 88, Leblon

    Tel: (21) 2259 0888

    Sem avaliação

    Palco de episódios que fizeram a história do Baixo Leblon, protagonizados por nomes como Cazuza e Tim Maia, o vizinho da Pizzaria Guanabara mantém sua aura boêmia, com frequentadores mais sossegados. No cardápio, porém, seguem firmes sucessos dos anos 80. O chope Brahma (R$ 7,00, 300 mililitros) acompanha pizzas fininhas de massa preparada com leite, no lugar de água, e coberturas como calabresa, presunto, napolitana, alho e atum (R$ 42,00 cada pedido com seis fatias). No almoço, a picanha na chapa está entre os pratos mais pedidos. Chegam à mesa 500 gramas de carne, farofa de ovo e presunto, arroz e batata frita (R$ 106,00, em porção para duas pessoas). 

    Saiba mais
  • La Carioca Cevicheria Ipanema

    Rua Garcia D'Avila, 173, Ipanema

    Tel: (21) 2522 8184

    Sem avaliação

    Evocada no nome da casa, a popular receita andina aparece em seis versões. O ceviche mixto (assim mesmo, com “x”), que reúne peixe-branco, camarão, vieira, polvo e lula, temperados com cebola-roxa, coentro, pimenta e limão (R$ 32,00), pode ser servido quente ou frio. O peixe fresco estrela outros pratos típicos das gastronomias peruana e chilena, a exemplo das causas, espécie de bolinhos de batata frios, recheados de camarão e molho de azeitona preta (R$ 28,00), ou do tacu tacu, mistura de arroz e feijão frita ao molho de camarão, tomate e cebola (R$ 39,00). O pisco, bebida tradicional desses países, abastece criações como o piscopunch (R$ 26,00), em que o destilado é macerado com capim-­limão e combinado a suco de abacaxi, maracujá e grenadine. A carta conta ainda com dois rótulos próprios de cerveja: pilsen (R$ 11,00, 355 mililitros; R$ 20,50, 600 mililitros) e weissbier (R$ 12,00, 355 mililitros; R$ 21,50, 600 mililitros), esta com notas de cravo e banana. 

    Saiba mais
  • Bares variados

    Real Chopp

    Rua Barata Ribeiro, 319, Copacabana

    Tel: (21) 2547 6673

    Sem avaliação

    O lugar simples, em uma esquina de Copacabana, tem cozinha de primeira. Por lá, o chope Brahma é o mais pedido, nas versões claro e escuro (R$ 6,00 cada um), mas também há garrafas de 600 mililitros a R$ 10,00, das marcas Original, Serramalte e Bohemia. Há quem fique apenas nos bebes e nos petiscos. Para beliscar, há pastel de camarão e quibe (R$ 3,50 a unidade), além da porção de polvo ao vinagrete (R$ 27,00). Nos fins de semana, principalmente, a pedida do almoço é a picanha, servida com arroz, batata frita, farofa e molho à campanha (R$ 85,00, para três pessoas; R$ 45,00, para dois).

    Saiba mais
  • Bares variados

    Rosa Chopp

    Avenida Marechal Henrique Lott, 120, Barra da Tijuca

    Tel: (21) 3325 8336

    Sem avaliação

    Em dias de jogos e lutas de UFC, os bares do Parque das Rosas ficam lotados. Na varanda do Rosa Chopp, tulipas e canecas geladas completam o programa. Chope Heineken (R$ 8,50) ou Brahma (R$ 5,20 o garotinho; R$ 7,50 a caneca zero grau) — eis a questão. Em long neck, são oferecidas garrafas de 300 mililitros da Devassa (R$ 8,00), da Budweiser (R$ 7,70) e da Desperados (R$ 10,90). Sugestão para beliscar, o filé aperitivo ao molho gorgonzola é acompanhado de cesta de pães (R$ 56,90, para dois). Pedida ainda mais robusta, a picanha maturada, para até quatro pessoas, é servida com arroz branco, batata frita e farofa brasileira (R$ 105,00). Os mais dados a ousadias talvez gostem do drinque que combina licor Amarula e Ovomaltine (R$ 24,90).

    Saiba mais

Fonte: VEJA RIO