BARES

Clandestino, mas não muito

Evento revive o speakeasy, bar ilegal dos tempos de lei seca nos Estados Unidos

Por: Rafael Cavalieri

Patricia Morgado/divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Por telefone se garante a senha de acesso à casa, escondida em uma vila de Laranjeiras. Animado por jazz, o ambiente é decorado com fotos de gângsteres americanos de outrora. Mediante reserva, de segunda a sexta, entre 20h e 0h, a escola de coquetelaria Mixing transforma-se por uma noite em um speakeasy, bar clandestino que funcionou nos Estados Unidos nos anos 20, época de lei seca. Lelo Forti e Alex Miranda, sócios do lugar, encarregam-se do preparo de drinques da antiga, quando criminosos como Al Capone - cujo retrato sorridente enfeita a geladeira - vendiam de forma ilegal bourbon e gim. A R$ 120,00 por pessoa, são oferecidas seis receitas clássicas, a exemplo do mint julep, refrescante criação que leva uísque, hortelã, gengibre, limão e um toque de noz-moscada, ou do dry martini, com gim, vermute e uma azeitona. Rua Gago Coutinho, 6, loja 8, Laranjeiras, ☎ 2225-7555 e 99588-4270 (10 lugares). 20h/0h (mediante reserva; fecha sáb. e dom.). Cc: nenhum. Cd: M e V. Aberto em 2011.

Fonte: VEJA RIO