Comer & Beber 2014

Carta ao leitor

Por: Daniel Hessel Teich

Carta ao leitor
(Foto: Reprodução)

Em uma de suas muitas frases inspiradas, o advogado e epicurista francês Jean Anthelme Brillat-Savarin (1755- 1826), autor de A Fisiologia do Gosto, cravou que “os aperfeiçoamentos de humanidade nada mais são do que consequências das demandas de nossos próprios sentidos, que, depois de satisfeitos, exigem cada vez mais”. Aplicado ao cenário gastronômico carioca de 2014, o aforismo mostra que o patriarca dos gourmets sabia do que falava. Tome-se como exemplo esta edição do especial Comer & Beber de VEJA RIO que você tem em mãos, caro leitor. Ao percorrer as 348 páginas da publicação, comprova-se não apenas a variedade gastronômica de nossa cidade, com 410 restaurantes, 250 casas especializadas em comidinhas, 300 bares e botequins e 40 lojas de vinhos listados, mas também a vibrante inventividade de chefs e cozinheiros empenhados em desbravar as fronteiras do conhecimento culinário para agradar e surpreender nosso paladar.

Basta uma olhadela na lista de premiados para perceber quanto evoluímos na renovação de ingredientes, na busca pela qualidade e no cuidado minucioso com a apresentação dos pratos. Da mesma forma, salta aos olhos a quantidade de casas que já nascem com o gene da excelência incrustado em seu DNA: entre os vencedores, sete abriram as portas entre 2013 e 2014. É o caso do Pipo, o boteco do chef Felipe Bronze inaugurado no ano passado, com seu menu de acepipes desconstruídos, e do asiático Mee, aberto em fevereiro no Copacabana Palace, sob a supervisão do sino-americano Ken Hom, uma celebridade da gastronomia oriental. Como nós também apostamos em novidades, nesta edição trazemos categorias inéditas na trajetória do guia e premiamos os melhores bolo, coxinha, éclair, menu degustação, carta de drinques e balcão. Também apresentamos os resultados da primeira votação entre os leitores realizada por vejario.com.br.

Desde sua primeira edição, em 2000, o especial Comer & Beber se firmou como o mais confiável, criterioso e abrangente guia etílico-gastronômico da cidade. Para produzir esta edição, a equipe de jornalistas e críticos da revista, coordenada pelo editor Pedro Tinoco, trabalhou com afinco durante quatro meses, em uma jornada que alternou visitas aos estabelecimentos com horas passadas ao telefone checando o cardápio, preços e detalhes como cartões de créditos aceitos pelas casas. O resultado enche os olhos, aguça as papilas e faz a boca salivar. E, seguindo a máxima de Savarin, apenas nos deixa ainda mais impacientes pelas delícias que os craques das cozinhas e dos balcões nos reservam para a próxima edição.

Fonte: VEJA RIO