para aquecer

Caldinhos viram protagonistas dos bares com o frio

Opções criativas provam que há vida além do clássico feijão amigo. Confira as melhores sugestões

Por: Rafael Cavalieri - Atualizado em

Comedoria
Caldinho de cabeça de galo: na Comedoria (Foto: Berg Silva)
  • Mirantes

    Bar Urca

    Rua Cândido Gaffrée, 205, Urca

    Tel: (21) 2295 8744

    Sem avaliação

    Diante do deslumbrante quadro que escancara a Baía de Guanabara, barquinhos e a Ponte Rio-Niterói ao fundo, o Bar Urca retoma, após breve hiato, o posto de estabelecimento com a melhor paisagem da cidade, que ocupou de 2011 a 2013. O tradicional endereço chega à sétima vitória — antes, havia faturado três vezes o prêmio de melhor da orla, entre 2007 e 2009. Com metade dos votos desta edição, superou concorrentes de peso, como o Bar d’Hôtel, de frente para as areias do Leblon, e o Bar do Tino, o vencedor de 2015, no topo do Morro dos Prazeres. Na disputada mureta, o programa é prazeroso a qualquer hora, da saída da praia às noites de lua cheia, passando por aquele momento do lusco-fusco, quando o cenário ganha tons de dourado. À sombra de frondosas amendoeiras, o visual é apreciado entre goles de Bohemia, Amstel (R$ 12,00 cada uma), Original e Serramalte (R$ 14,00), todas em garrafa de 600 mililitros trincando de gelada. Deliciosos salgados, fritos e assados, são consumidos aos montes. O famoso bolinho de bacalhau divide a preferência com o pastel de camarão (R$ 4,50 cada pedido), que ainda pode vir com recheio de siri, pelo mesmo valor, queijo ou carne (R$ 4,00 a unidade). As empadas, a R$ 6,00, de palmito, carne-seca ou camarão, não ficam atrás. Quem procura mais conforto pode subir ao salão refrigerado e desfrutar saborosos pratos à base de frutos do mar, mas o prêmio vai mesmo para o original posto avançado, à beira d’água — que outro endereço mantém seus clientes do outro lado da rua? A propósito: durante a Olimpíada, o balcão improvisado ainda vai servir de camarote para as competições de vela, já que a principal raia será disputada logo ali, aos pés do Pão de Açúcar.

    Preços checados em julho de 2016.

    Saiba mais
  • Bares variados

    Belmonte - Jardim Botânico

    Rua Jardim Botânico, 617, Jardim Botânico

    Tel: (21) 2239 1649

    Sem avaliação

    Migrante vindo do Ceará, Antônio Rodrigues deu duro: lavou prato em boteco de Niterói, foi cumim e garçom, antes de assumir seu primeiro bar. Fez fama com o Carlitos, na Cinelândia e, desde então, só aumenta seu império, hoje dominado pelas sete unidades da rede Belmonte. Em um truque de marketing, as fachadas ostentam um “desde 1952”, alusão à data de origem do Belmonte original, na Praia do Flamengo, pertencente a espanhóis, que Rodrigues comprou, com história e tudo, em 2002. A matriz replica pela cidade um manual do pé-limpo, com banheiros limpos, garçons atentos e petiscos como a empada aberta, de recheio farto. O salgado ganha, entre outros, os sabores de siri, lembrado com um voto na categoria melhor petisco, camarão com catupiry e de carne-seca com catupiry (R$ 12,00 cada um). Outra sugestão de petisco é o filé aperitivo no pão italiano (R$ 65,00). Pedida mais frequente, o chope Brahma é servido na caldeireta (R$ 6,00 o claro; R$ 11,00 o escuro). O cardápio também lista pratos fartos, como a picanha à brasileira, acompanhada de arroz, farofa e batata frita (R$ 119,00, para duas pessoas).

    Saiba mais
  • Bares variados

    Botequim Informal Leblon

    Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon

    Tel: (21) 2540 5504

    Sem avaliação

    As unidades da rede, basicamente na Zona Sul, servem chope com espuma na medida certa. O claro da Brahma é o que mais faz sucesso (R$ 7,30, a caldeireta de 350 mililitros), mas também são oferecidos mais de trinta rótulos de cerveja. Algumas sugestões: a americana Goose Island Honker’s Ale (R$ 28,00, 335 mililitros), a belga Hoegaarden (R$ 18,00, 330 mililitros) e a argentina Patagonia Amber Lager (R$ 30,00, 740 mililitros). O cardápio exibe pratos executivos, como o bife a cavalo guarnecido de batata frita, arroz e feijão (R$ 31,90). Entre os tira-gostos para acompanhar os brindes, o mineirinho, em porção para duas pessoas, reúne lascas de filé-mignon, cebola, queijo derretido e aipim frito, servidos na chapa (R$ 69,90).

    Saiba mais
  • Cervejas especiais

    Botto Bar

    Rua Barão de Iguatemi, 205, Praça da Bandeira

    Tel: (21) 3496 7407

    Veja Rio
    1 avaliação

    Até o fim de 2016, se tudo der certo, o mestre‑cervejeiro Leonardo Botto vai abastecer 110 torneiras de chope pela cidade. Façamos as contas: quarenta na filial da Barra, com abertura prevista para agosto, no complexo Vogue Gourmet, e cinquenta no endereço em Botafogo, que ele planeja inaugurar ainda neste ano, vão se somar às vinte da matriz, eleita pela quarta vez o endereço do melhor chope do Rio. Na Praça da Bandeira, o rodízio é intenso, com ao menos três lançamentos por semana e receitas de Botto. Muitos ex-alunos dos cursos oferecidos por ele desde 2008 criaram marcas próprias. Three Monkeys, Green Lab, Mohave, Hocus Pocus e Hija de Punta estão nessa lista e, volta e meia, compõem noites dedicadas à produção dos discípulos do dono da casa. Raridades são outra atração local. Em março de 2016, uma nova visita de Iron Maiden ao Brasil foi festejada por lá com chope da british ale The Trooper. Detalhe: os cinco barris da marca da banda britânica, devidamente esvaziados, foram os únicos a passar por terras cariocas. Desde 2013, mais de 360 rótulos — e, no mínimo, 4 000 litros por mês — mataram a sede da clientela. Além da bebida, há outras bossas, a exemplo da programação musical ao vivo, lembrada com dois votos do júri nesta edição do COMER & BEBER, e do café da manhã etílico. Em um desjejum diferente, no primeiro domingo do mês, o proprietário diverte-se passando a cerveja por filtros de frutas, lúpulos e cascas de limão. No dia a dia, as dicas de tira-gosto vão do mix de boteco, reunião de azeitonas verdes e pretas, tremoços, cubos de provolone e salame (R$ 19,00), aos croquetes de quatro queijos empanados com macarrão cabelinho de anjo, ao molho de damasco (R$ 27,00, quatro unidades). Outra pedida, o frikadellen (R$ 27,00, com oito unidades) é um bolinho de carne alemão. Agora imaginem quando Botto tiver 110 torneiras à disposição.

    Preços checados em julho de 2016

    Saiba mais
  • Bar-restaurante

    Comedoria

    Rua Rainha Guilhermina, 48, Leblon

    Tel: (21) 2294 2913

    Sem avaliação

    Criadora do afamado (e copiado) bolinho de feijoada do Aconchego Carioca, na Praça da Bandeira, Kátia Barbosa cruzou o Túnel Rebouças em dezembro e aportou no Leblon. O cardápio da nova casa, localizada onde funcionou até pouco tempo atrás uma tentativa de reviver o Caneco 70, está repleto de homenagens a chefs amigos. O foco são os bolinhos que lhe deram fama. São onze variedades, sendo apenas o de feijoada já conhecido. O de rabada (R$ 29,90, quatro unidades) é feito somente com a carne desfiada, sem a gordura que dá a untuosidade habitual ao prato. Um criativo vinagrete de banana ajuda a suprir a ausência. Pedida interessante, o de moqueca (R$ 29,90, seis unidades) traz toda a complexidade de sabores do prato. Na ala dos sanduíches, o de barriga de porco com cebola na cerveja (R$ 26,90) tem componentes saborosos, mas chegou em pão sem crocância. Para matar a sede, destaque para a refrescante caipi raspadinha (R$ 19,90) — a de jabuticaba estava excelente. A caprichada carta de cachaças tem catorze rótulos, e a de cerveja traz 21, entre elas a ótima catarinense Coruja Extra Viva (R$ 39,90, 1 litro).

    Saiba mais
  • Bares variados

    Da Gema

    Rua Barão de Mesquita, 615, Tijuca

    Tel: (21) 3549 0857

    Veja Rio
    Sem avaliação

    É caso de paixão à primeira mordida. Crocantes, dourados e sequinhos por fora, os cubos de polenta frita, de interior macio, amparam bem temperadas lascas de rabada que desmancham na boca. Essa explosão de sabores chega à mesa em porção de doze canapés (R$ 40,00). A adaptação do tradicional prato de botequim, bolada pela dupla de cozinheiros de mão-cheia Luiza de Souza e Leandro Amaral para aproveitar a carne que sobrava da receita original, acabou virando um dos maiores hits do inventivo cardápio do Da Gema. Havia fortes concorrentes na categoria estreante: o bolinho de arroz do Momo, o porquinho de quimono do Bar da Frente e o bolinho de feijoada, criado por Kátia Barbosa no Aconchego Carioca e importado pelo Rivalzinho. A aparência simples do melhor petisco da cidade não condiz com seu preparo elaborado. Primeiro, o rabo de boi fica marinando em temperos da noite para o dia. É então dourado na cebola e cozido na pressão. Em seguida, a carne é refogada no próprio caldo, sem a gordura, junto a molho de tomate e agrião, antes de ser desfiada. Enquanto isso, a mistura de fubá, água, azeite, sal e pimenta vai ao fogo baixo por uma hora e é despejada em um tabuleiro para, depois, ser cortada em quadradinhos e frita. O esforço compensa: são vendidas mais de 540 porções por mês. Não é a primeira vez que as experiências de Luiza e Leandro são consagradas pelo júri de COMER & BEBER: em 2012, a casa levou o prêmio de melhor cozinha e, dois anos depois, voltou a ser laureada por sua famosa coxinha de frango (R$ 6,00), servida às terças. Invenção mais recente, o pirãozinho de costela é oferecido no copinho, com agrião (R$ 13,00). Completam a visita cascos sempre gelados de Original ou Heineken (R$ 11,50, 600 mililitros).

    Saiba mais
  • Alemã / Cervejas especiais

    Herr Pfeffer

    Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon

    Tel: (21) 2239 9673

    Sem avaliação

    Ponto concorrido na galeria do Teatro do Leblon, presta homenagem, no nome, ao alemão Holf Pfeffer, criador da Adega do Pimenta, em Santa Teresa - William Guedes é o atual proprietário dos dois endereços. A carta de cervejas local já chegou aos 140 rótulos fixos. Em uma vitrine são exibidas as novidades. Duas dicas: a checa Pilsner Urquell (R$ 27,90, 330 mililitros) e a Schneider Tap 5 (R$ 27,60, 500 mililitros), de trigo, mais amarga e com fortes 8,8% de gradação alcoólica. Um cardápio atraente completa o programa. A lista vai do steak tartare (R$ 39,00) ao eisbein gegrillt, receita típica de joelho de porco grelhado (R$ 61,00). 

    Saiba mais
  • Bares variados

    La Carioca Cevicheria

    Rua Maria Angélica, 113, Lagoa

    Tel: (21) 2226 8821

    Sem avaliação

    Evocada no nome da casa, a popular receita andina aparece em seis versões. O ceviche mixto (assim mesmo, com “x”), que reúne peixe-branco, camarão, vieira, polvo e lula, temperados com cebola-roxa, coentro, pimenta e limão (R$ 32,00), pode ser servido quente ou frio. O peixe fresco estrela outros pratos típicos das gastronomias peruana e chilena, a exemplo das causas, espécie de bolinhos de batata frios, recheados de camarão e molho de azeitona preta (R$ 28,00), ou do tacu tacu, mistura de arroz e feijão frita ao molho de camarão, tomate e cebola (R$ 39,00). O pisco, bebida tradicional desses países, abastece criações como o piscopunch (R$ 26,00), em que o destilado é macerado com capim-­limão e combinado a suco de abacaxi, maracujá e grenadine. A carta conta ainda com dois rótulos próprios de cerveja: pilsen (R$ 11,00, 355 mililitros; R$ 20,50, 600 mililitros) e weissbier (R$ 12,00, 355 mililitros; R$ 21,50, 600 mililitros), esta com notas de cravo e banana. 

    Saiba mais
  • Bares variados

    Nobrello - Gávea

    Rua Marquês de São Vicente, 140, Gávea

    Sem avaliação

    A casa passou por algumas mudanças em 2014. Inicialmente Costello, agora se chama Nobrello, após divergência entre os sócios. O transtorno gerou também pequenas alterações na decoração. O estilo passou a ser rústico, com tons mais escuros, e há um piso xadrez no salão interno, com luminárias redondas. A varanda de luz baixa costuma ser disputada por quem sai de casa em busca de um bem tirado chope Brahma (R$ 5,95 a caldeireta de 350 mililitros). Acomodado, peça o mignon com gorgonzola (R$ 54,90). A entrada traz iscas de filé envolvidas por saboroso molho à base do queijo azul. Se quiser ter uma noção geral da cozinha, opte pelo 4x4 (R$ 54,90). A pedida, como o nome sugere, traz quatro unidades de quatro petiscos. São eles os pastéis, os bolinhos do nobrello (estes os sabores que são dados como opções ao cliente), as nobrello wings, asinhas de frango apimentadas e empanadas, e as famosas costelinhas com molho barbecue. As ribs que se descolam do osso podem chegar também em forma de prato principal. Por sua vez, a costella (R$ 54,90) vem acompanhada por batatas fritas. Outra boa opção na ala das refeições é o contrafilé no sal grosso (R$ 64,90). Ele chega fatiado em uma chapa fumegante acompanhado de arroz maluco e batata rosti.

    Saiba mais
  • Mirantes

    Palaphita Kitch

    Avenida Epitácio Pessoa, 20, Lagoa

    Tel: (21) 2227 0837

    Sem avaliação

    No beira da Lagoa, o quiosque recebe grupos e casais, que aproveitam o visual em clima intimista. Entre móveis rústicos, música ambiente e meia-luz, os clientes se deliciam com drinques e comidinhas originais. A caipikitch leva melancia, hortelã e gengibre. Já a caipiranha é um frozen com frutas. Os preços variam de acordo com a bebida usada no preparo. Com cachaça, vodca, saquê ou uísque nacional, o pedido custa R$ 26,50. Com cachaça especial ou vodca importada, passa para R$ 29,50. Saborosas, as sugestões para comer buscam inspiração no Amazonas, terra natal do proprietário Mário de Andrade Netto. Bromélia é o nome do rosbife cortado em flores, com salada verde, mussarela temperada e estrelas de carambola levemente salteadas no azeite de cumaru (R$ 48,00). Outra das riquezas do Norte, o janauari é um carpaccio de pirarucu defumado, relish de maçã com tucupi e folhosos crocantes, acompanhado de torradas (R$ 42,00). A casa da Gávea é mais voltada para o público que curte a noite: a programação de festas pode ser vista nas redes sociais.

    Saiba mais

Fonte: VEJA RIO