BARES

De cara e cardápio novos

Após dois meses de obras, o Belmonte do Leblon fica bem diferente das demais filiais da rede

Por: Rachel Sterman - Atualizado em

BEBIDAS ✪✪✪?? | AMBIENTE ✪✪??? | COZINHA ✪✪???

roteiro-bares-abre.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Em time que está ganhando às vezes se mexe, sim - vide o exemplo de Antônio Rodrigues. Dono dos botecos Belmonte, o empresário cearense fechou a primeira filial da rede, no coração do Leblon, e submeteu-a a dois meses de reformas. Do negócio original, a casa, reaberta no fim de junho, guardou pouco além do nome. O arquiteto Helio Pellegrino, parceiro de Rodrigues em outras empreitadas, como um hotel no Vidigal, ainda sem data para ser inaugurado, encarregou-se do projeto sustentável. Pequenos vidros de perfume fazem as vezes de lustres, há tapumes nas paredes e os móveis foram construídos com madeira de demolição. Entre as mesas, colunas forradas de alumínio facilitam a vida de quem pretende ver e ser visto, através do reflexo. O resultado é, digamos, eclético, mas o fato é que a casa voltou a encher.

Marca registrada do lugar, as empadas (R$ 4,20 a R$ 8,50) ganharam a companhia de tapas espanholas, após consultoria da chef Chris Lefrève. Guacamole no copinho com cubo de salmão e gergelim (R$ 3,00 cada um) é um dos petiscos que circulam pelo salão. Outros recém-chegados são a porção de croquete de presunto espanhol (R$ 10,00, quatro unidades) e o pimiento de piquillo (minipimentão) grelhado, recheado de brandade de bacalhau (R$ 6,00). Gustavo Stemler incrementou a carta de drinques. Conhecido por seu bom trabalho nos tempos de Meza Bar, o barman assina acertadas criações clássicas, como o bloody mary (R$ 25,00), e invenções, a exemplo do chope de tangerina (R$ 25,00), com vodca, tangerina, gengibre, redução de cerveja e água de flor de laranjeira, e da versão do mojito que leva tomate-cereja (R$ 19,00). Bem tirado e gelado, o chope custa R$ 4,90 (a caldeireta).

Belmonte. Rua Dias Ferreira, 521, Leblon, ☎ 2294-2849 (160 lugares). 11h/4h (dom. até 3h). → ? ↔ Aberto em 2002.

Fonte: VEJA RIO