BARES

Bar do Momo

No tradicional bar da Tijuca, clássicos dos pés-sujos ganham versões deliciosas

Por: Rachel Sterman - Atualizado em

COMIDA ✪✪✪✪ | AMBIENTE ✪✪ | BEBIDAS ✪✪✪

tomás rangel
(Foto: Redação Veja rio)

Reduto tradicional da turma da batucada ? em especial às segundas, quando os músicos do Samba do Trabalhador batem ponto por lá depois de tocar no Clube Renascença ?, o boteco na região da Muda, na Tijuca, tem mesas de plástico, nenhuma firula e ninguém se importa. A clientela é atraída pelo bom trabalho de Antonio Lopes dos Santos, o Tonhão, e Antonio Carlos dos Santos, seu filho Toninho. Quando passou a ajudar no negócio, o herdeiro incrementou a ala dos petiscos de um jeito que eles agora dão água na boca. Nas mãos de Toninho, clássicos dos pés-sujos ganham versões deliciosas. A estrela do cardápio é o bolinho de arroz (R$ 4,00 a unidade), com linguiça na receita, casquinha crocante e interior cremoso. Por lá até o jiló, que não é para qualquer bico, ganha ares de iguaria. Sai da cozinha macio e menos amargo, recheado de carne assada com molho saboroso, carne-seca, linguiça ou provolone (R$ 5,00 cada sugestão). Dica recente e mais robusta, o t-rex (R$ 35,00) é um colossal contrafilé de 400 gramas, ponto perfeito, escoltado por dois ovos caipiras estrelados. Antes, durante ou depois, é só escolher a marca da cerveja, sempre gelada (R$ 8,00, Original, Brahma Extra, Serramalte ou Heineken).

Rua General Espírito Santo Cardoso, 50, Tijuca, ☎ 2570-9389 (40 lugares). 6h/23h30 (sáb. até 22h; dom. 9h/18h). ? Aberto em 1972.

Atenção: o estabelecimento não aceita nenhum tipo de cartão

Fonte: VEJA RIO