Três perguntas para Heloisa Périssé

No monólogo E Foram Quase Felizes para Sempre, como uma workaholic que perde o namorado, a atriz ganha mais uma semana no Teatro Vannucci

A peça, que também tem texto seu, traz algo da relação com seu marido, o diretor Mauro Farias, de quem você ficou por um tempo separada? Achei que a personagem fosse o meu alter ego, mas vai além: é o de várias mulheres. Elas me esperam no fim do espetáculo para conversar, é muito engraçado. Quanto à relação com a minha vida e meu marido, tem a ver e não tem. Nossa própria história sempre nos inspira, mas ali tem a vida de muitas pessoas.

Você é workaholic como a sua personagem? Sou, amo meu trabalho. Não sinto o tempo passar, nunca acho que estou trabalhando muito. Meu mundo interno é amplo, minha imaginação é fértil. Sou muito inquieta em tudo. Uma parede na minha casa não fica da mesma cor por dois meses.

Qual é sua avaliação para essa primeira experiência em monólogo? É melhor do que imaginei. Claro que é sempre tenso, sou eu e eu e Deus no meio. Mas foi o melhor elenco que tive até hoje.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s