Renato Russo, o Musical tem sessão cancelada no Teatro das Artes

Vazamento de som do espetáculo teria sido a causa; produção afirma não ter sido avisada.

Mais de cem espectadores, com ingressos comprados na mão, foram impedidos de entrar na apresentação de Renato Russo, o Musical na noite deste sábado (18), no Teatro das Artes, no shopping da Gávea. Revoltados, eles ameaçaram invadir o teatro e provocaram um princípio de tumulto no corredor do shopping. A confusão se deu por um conflito com outra produção em cartaz na sala localizada um piso acima, o Teatro Clara Nunes. O motivo foi o vazamento do som do musical sobre o líder da Legião Urbana para o espaço onde é encenada a peça O Grande Sucesso, protagonizada pelo ator Alexandre Nero. Incomodado com o problema e as reclamações de seu público, Nero ameaçou cancelar a temporada. Para apaziguar o problema, o Teatro das Artes decidiu suspender as apresentações do musical sobre Renato Russo – mas não fez qualquer aviso prévio à produção. “Não recebemos sequer um telefonema. Estamos muito abalados e nos sentindo desrespeitados. O teatro parou de vender as entradas alegando um problema técnico, o que não é verdade. Não temos patrocínio e dependemos inteiramente da bilheteria para sustentar os gastos de produção, que são altíssimos”, afirma Bianca de Felippes, produtora do musical, que já realizou mais de 400 apresentações por todo o país.

Informado sobre o cancelamento da venda de ingressos, o ator Bruce Gomlevsky, o intérprete de Renato Russo no musical, foi à tarde para o teatro e ficou na porta conversando com o público que começava a chegar. Ele não esperava, contanto, que os ânimos se exaltassem e degenerassem na confusão que se instalou no local. “O desrespeito não é apenas com os artistas, mas com as pessoas que vão ao teatro. Tinha uma família de dez pessoas que veio de Brasília para o Rio especialmente para ver a peça. Nunca passei por nada parecido. Um dos maiores sucessos do teatro brasileiro não pode ser tratado dessa forma”, reclama o ator. Surpreendida pela decisão, a produção da montagem entrou com um pedido de liminar de justiça para conseguir realizar a apresentação. Uma hora antes do início da sessão, o documento chegou às mãos da direção do estabelecimento, que se valeu de uma brecha na lei e disse que só aceitaria a decisão se fosse entregue por um oficial de justiça. Às 22h30, Bruce se desculpou pessoalmente no foyer do teatro, frente a uma plateia perplexa que ainda mantinha a expectativa de ver a peça.

De acordo com a produção de Renato Russo, o Musical, o problema estrutural alegado para o vazamento de som é uma reclamação antiga dentro do Shopping da Gávea. A situação teria piorado com uma obra de ampliação no local. Alertada sobre o incômodo à produção vizinha, a equipe do musical passou a semana tentando fazer adaptações no espetáculo para minimizar a questão, inclusive diminuindo o volume das canções e mudando caixas acústicas de lugar. Ainda assim, o transtorno persistia. “Ainda que fosse um show de bossa nova, a outra produção seria prejudicada. O pior de tudo é que o teatro se eximiu do problema, afirmando que as duas produções teriam que se entender, como se fosse culpa nossa, o que não é o caso”, conta Gomlevsky. Leia nota oficial publicada pela produção.

Um dos proprietários do Teatro Clara Nunes e síndico do prédio, José Hernani Campelo afirma que o problema consiste no uso de equipamento alugado pelas produções,  que não fazem parte da estrutura oferecida no teatro. Segundo ele, a peça que causou o problema precisa achar meios de resolvê-lo e não procurar apoio legal para “persistir no erro”: “Falta bom senso. Aquilo é um condomínio e existem regras a serem seguidas. Fica parecendo até que eles estão cavando mídia gratuita com esse problema, procurando aumentar a polêmica para se promover”, afirma Campelo, que também é proprietário de lojas dentro do shopping. Sobre as obras, o empresário diz que elas não influenciam em nada o revestimento acústico e, por conta disso, não seriam eles que deveriam sofrer com as consequências de “um show de rock”.

O musical, em cartaz de sexta à domingo, teria uma apresentação especial no próximo dia 27, quando é celebrado o aniversário de Renato Russo. Com a liminar, que garante uma multa de 50 000 reais por cada dia sem apresentações, a sessão que acontece neste domingo (19), às 20h, foi confirmada por Luis Eduardo Araujo, dono do Teatro das Artes. “Não estamos aqui para criar problemas, pelo contrário, queremos que as produções fiquem até o final de suas temporadas. Gastamos 15 000 reais para ajudar no isolamento acústico do equipamento que eles trouxeram de fora e ainda assim não adiantou. Com a liminar, as vendas já foram retomadas. Porém, o problema de som só será resolvido se as produções entrarem em acordo e alterarem os horários das sessões para que uma não aconteça ao mesmo tempo que a outra”, conclui Araujo. Em uma rede social, Priscila Prade, produtora da peça O Grande Sucesso, afirmou que as duas produções já estão trabalhando juntas em uma solução.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s