Três perguntas para Marcelo Valle

Além de interpretar o monólogo LaborAtorial, o ator está no filme e na série de TV Meu Passado Me Condena

Como está sendo dar conta da proposta mais ousada de LaborAtorial? É um campo novo para mim, um monólogo em que contraceno comigo mesmo em vídeos, que tem algo de performance e dramaturgia não linear. O processo foi colaborativo, partiu de um projeto pessoal, mas agregou ideias dos diretores (Cesar Augusto e Simon Will) e do autor (Diogo Liberano). No fim, chegamos a um lugar que eu não esperava.

A peça faz parte das comemorações dos 25 anos da Cia dos Atores, cujo fim chegou a ser anunciado em 2012. O que aconteceu? Houve uma crise financeira e, além disso, os integrantes da companhia, que se juntaram quando tinham uns 20 anos, começaram a ter interesses artísticos que apontavam para fora do grupo. A Cia dos Atores está certamente em transformação, mas não acabou. Outros trabalhos virão.

Você está no filme e na série Meu Passado me Condena, com o Fábio Porchat. Como é fazer graça ao lado de um fenômeno da comédia? É ótimo. O Fábio é um ator muito generoso. Não tenho essa preocupação de ser mais engraçado do que ele, estamos os dois ali pela cena. Se eu entrar com esse espírito, já entro vencido.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s