Juliana Paes perde o apetite por causa de A Força do Querer

Leia na coluna Beira-mar

(Sérgio Baia/Divulgação)

Sucesso em A Força do Querer, Juliana Paes vive um ótimo momento profissional com o papel de Bibi Perigosa, inspirado na carioca Fabiana Escobar, que entrou para o mundo das drogas depois de o marido ter sido preso por tráfico. “Fazia muito tempo que eu não era chamada pelo nome de uma personagem nas ruas”, conta. O papel é apontado como um divisor de águas na carreira de Juliana, que falou a VEJA RIO sobre a repercussão da novela e, de tanto chorar em cena, ganhou dos colegas o apelido de “torneirinha” ou “chuveirinho”.

Que mensagem você acha que sua personagem está passando? A trama mostra que a vida do crime é pura ilusão. Só traz sofrimento. Ao mesmo tempo, há muita gente que critica os traficantes mas não sabe como é a realidade de quem mora na favela nem o que leva essas pessoas ao desvio.

Como foi conhecer Fabiana Escobar? Ela é uma mulher magnética. Você não consegue parar de prestar atenção nela. E, apesar de a Fabiana dizer que fez tudo por amor, sempre a achei muito destemida. Ela é raçuda.

Como seus filhos lidam com a mãe “bandida” em cena? Outro dia, na pracinha, um amigo do Pedro disse que eu ia virar criminosa e ele chegou em casa superimpactado. Fiquei numa saia-justa danada até acalmá-lo. A verdade é que tenho vivido a Bibi mais do que minha própria vida. Fico reclusa no meu quarto e até perdi o apetite.

Gostaria de apostar mais em vilãs? Bibi é muito humana, com erros e acertos. Ela tem seu lado ético, mas ao mesmo tempo torto. Não digo que fazer mocinha seja menos interessante, mas daqui para a frente quero personagens de contrastes. E acredito que a atuação contemporânea vá por esse viés.

LEIA MAIS NA COLUNA BEIRA-MAR DA SEMANA:

+ Chef inglês Jamie Oliver vai abrir sua badalada cantina italiana no Rio

+ Rio ganha ‘consultora de romance’ para transformar a cidade em destino turístico de casamentos

+ Cauã Reymond fala sobre papel de imigrante ilegal no cinema e revela já ter sofrido na pele

+ Diretor do Multishow lança canal de TV na internet para jovens

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Não Juliana Paes, traficante não é “herói” só pque cria empregos e distribui cestas básicas na favela. Ele é CRIMINOSO!!!!! E “raçuda” é a mulher que acorda às 5 da manhã pra trabalhar HONESTAMENTE! Sua personagem é BANDIDA. Enquanto a opinião de gente como vc continuar a glamourizar (e provavelmente sustentar né…) traficantes e outros bandidos, teremos bandidos como o Lula sendo adorado nesse país de miseráveis, e policiais morrendo nas ruas assassinados pela bala de fuzil que o tráfico comprou. O sangue de vítimas inocentes e policiais está nas mãos de quem SUSTENTA o tráfico!!!! Tenha vergonha de falar essas bobagens!!!