Dez programas imperdíveis para o fim de semana

VEJA RIO selecionou atrações para deixar seu fim de semana mais animado. Destaque para o show do Zé Ramalho

(ANNELIZE TOZETTO/Divulgação)

Auê

A difícil tarefa de traduzir o sentimento de quem está amando é cumprida com rara e contagiante felicidade pela companhia Barca dos Corações Partidos. Na obra coletiva, marcada por belas canções e textos líricos, a direção é de Duda Maia (90min). 12 anos. Teatro Riachuelo. Rua do Passeio, 38, Centro. Quarta, 20h30; sábado e domingo, 17h. R$ 30,00 a R$ 80,00. Até 20 de agosto.

 

(SerendipityInc/Divulgação)

Desesperados

Desde a primeira cena, os atores Pablo Sanábio, Pedroca Monteiro e Marcus Majella (na foto) esbanjam entrosamento e tempo de comédia, além de muita confiança na movimentação quase coreografada, definida pela direção de João Fonseca. O trio dá vida a uma série de tipos solitários e aposta no humor do gênero “rir para não chorar”. Ganham o palco uma mulher em crise, um homem extremamente carente e um marido que só erra. A partir desse núcleo, desfilam cerca de quarenta figuras de existência um tanto melancólica, sempre conectadas de alguma forma com os papéis principais. No cenário simples, composto de mesas e cadeiras de plástico, um grande trunfo da montagem é o recurso sugerido pelo autor, Fernando Ceylão: tarjas com o nome dos personagens, coladas no peito dos atores, são movimentadas em trocas rápidas entre eles e ditam o ritmo intenso da sessão (70min). 12 anos. Teatro Oi Casa Grande. Avenida Afrânio de Melo Franco, 290, Leblon. Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 50,00 a R$ 100,00. Até domingo (9).

(Celso Fontinele/Divulgação)

Em Alice no País da Internet

Nestes tempos de crianças conectadas em seus tablets, celulares e computadores, os clássicos precisam de novas roupagens para agradar ao público. Em Alice no País da Internet, que estreia no sábado (8), no Teatro João Caetano, Heloisa Périssé perde-se dentro de um computador e inicia sua aventura pelo mundo de softwares, banda larga e redes sociais. O vilão da trama, por sua vez, é um vírus disfarçado de mosquito da dengue. O musical, que parte de Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll, marca a estreia teatral das filhas da atriz (com ela na foto): Luisa Périssé, 18 anos, no papel da Rainha de Copas, e Antonia Périssé, 10, como a Coelha Falante. A trilha sonora inclui Villa-Lobos, Beethoven, Vivaldi, Rossini e Tchaikovsky. Teatro João Caetano. Praça Tiradentes, s/nº, Centro, ☎ 2332-9257. Sexta e sábado, 19h30; domingo, 18h. R$ 40,00 (balcão superior) e R$ 60,00 (plateia e balcão nobre). Até 1° de outubro. Estreia prevista para sábado (8).

(Guilherme Lima/Divulgação)

Festa Brasileira: Fantasia Feita à Mão

Há mais celebrações populares entre o São João e o Carnaval do que supõe a nossa vã filosofia. A nova mostra em cartaz no belo prédio do Centro Sebrae de Referência do Artesanato Brasileiro (Crab) passeia por dezesseis desses festejos típicos, vivos na cultura de vinte estados brasileiros. Em sete salas com peças de artesãos renomados (a exemplo de Mestre Vitalino) e anônimos estão representados as folias juninas e de momo, o bumba meu boi do Maranhão, a congada mineira, a folia de reis fluminense… Na montagem esmerada, O Próximo Samba — filme de Marcelo Lavandoski que acompanha a criação de um desfile a partir do barracão — é exibido sobre uma tela composta de 35 000 lantejoulas. Outro acerto, a projeção de fotos da série Na Lona (à dir.), de Rogério Reis, em uma sala espelhada, provoca efeito surpreendente. Crab. Praça Tiradentes, 69, Centro. Terça a sábado, 10h às 17h. Grátis. Até 28 de outubro.

(Marcos Hermes/Divulgação)

Jorge Aragão

Fundador do Fundo de Quintal, o sambista — que começou como músico de baile e tirava na guitarra os solos de Jimi Hendrix — passeia por sua trajetória de quatro décadas em turnê comemorativa. Clássicos do naipe de Malandro, Vou Festejar e Coisa de Pele têm lugar garantido. Vivo Rio. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Flamengo. Sexta (7), 22h. R$ 80,00 (setor 3) a R$ 200,00 (setor vip e camarote A).

mart-nalia.jpeg

(Eny Miranda/Divulgação)

Mart’nália

Nascida no samba, a filha de Martinho da Vila se permite interpretar outros ritmos no show + Misturado. Clássicos como Com que Roupa (Noel Rosa) e Disritmia, do pai, dividem o repertório com canções de Caetano Veloso, Geraldo Azevedo e Paulinho Moska. Abrindo a noite, Matheus VK vai de Olodum a Bee Gees cheio de gingado. Circo Voador. Arcos da Lapa, s/nº, Lapa. Sábado (8), 22h. R$ 100,00 (1º lote).

(Universal Pictures/Divulgação)

Meu Malvado Favorito 3

Meu Malvado Favorito, de 2010, fez tanto sucesso que gerou uma continuação três anos depois. Em seguida, foi a vez de os amarelinhos tagarelas ganharem o próprio filme, Minions, de 2015. Mas a cinessérie de animação tem fôlego para aguentar um terceiro longa-metragem? Público, certamente, não vai faltar. Embora com um roteiro de estrutura irregular, Meu Malvado Favorito 3 diverte em muitos momentos. O problema maior está na divisão em três tramas paralelas: o reencontro de Gru com seu gêmeo, Dru; a aproximação de Lucy, a esposa de Gru, das filhas adotivas dele; e as trapalhadas dos Minions, que são uma atração ainda mais à parte. O grande achado é o vilão, Balthazar, criança prodígio da TV na década de 80 e, agora, um astucioso ladrão démodé. A abertura do desenho animado, ao som de Bad, de Michael Jackson, tem bossa, humor e ironia. O resto da história traz sequências igualmente hilariantes, mas, em geral, falta um elo coerente entre os personagens. Direção: Kyle Balda e Pierre Coffin (Despicable Me 3, 2017, 90min). Livre.

(Lipe Borges/Divulgação)

Paulo Ricardo

No show On the Rock, o cantor repassa trinta anos de carreira com hits oitentistas do RPM, como Louras Geladas e Olhar 43, faixas moderninhas do Novo Álbum (2016) e clássicos do gênero, de U2 a Rolling Stones. Imperator. Rua Dias da Cruz, 170, Méier. Sexta (7), 21h. R$ 80,00.

(Tiago Queiroz/Agência Estado)

Pitty

Afastada dos shows há um ano e meio para se dedicar à primeira filha, Madalena, nascida em agosto último, Pitty (foto) está de volta aos palcos. A cantora é atração na abertura do WebFestValda, festival criado em 1992 para revelar talentos da música. No dia seguinte, o Monobloco encabeça o line-up. Participantes de outras edições, Maneva e Kapitu tocam na sexta (7), enquanto os grupos Onze:20 e Hey Joe se apresentam no sábado (8). Isso tudo sem falar das dez bandas independentes que concorrem ao título a cada dia. O evento, que teve 1 403 inscritos em 2016, será transmitido ao vivo pelo YouTube. Fundição Progresso. Rua dos Arcos, 24, Lapa. Sexta (7) e sábado (8), 22h. R$ 80,00 (sáb., 1º lote) e R$ 100,00 (sex., 2º lote). Desconto de 50% com 1 quilo de alimento não perecível.

ze-ramalho-foto-dario-zalis-51-de-58.jpeg

Zé Ramalho

No embalo das festas juninas, Zé Ramalho exibe seu rock de sotaque nordestino ao lado da banda Z. Do repertório de quatro décadas aparecem Frevo Mulher, Chão de Giz, Avôhai e Admirável Gado Novo. Releituras de Raul Seixas, como Trem das Sete e Medo da Chuva, também entram no roteiro do bardo paraibano. Vivo Rio. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Flamengo. Sábado (8), 22h. R$ 100,00

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s